Booking.com

quinta-feira, maio 31, 2007

Vitor Duarte abandona os Vidreiros

O técnico Vitor Duarte, que treinou os Vidreiros na época que agora terminou, não vai continuar no clube na próxima temporada. Esta era uma notícia, que há alguns dias já circulava, mas que apenas agora foi possível confirmar. Segundo consta, foi o clube quem não mostrou intresse na continuação do técnico.

Enquanto não se sabe o nome do futuro técnico, correm muitos rumores que o próximo técnico será o experiente Armando Velhinha. Em breve se verá se este nome se confirma.

terça-feira, maio 29, 2007

Taça Distrital - Final/Júniores

Taça Distrital - Final/Júniores

Jogo no Campo das Cabecinhas , na Guia

Árbitro - Rudy Silva

Assistentes - Carlos Romão e Inês Ferreira

Beneditense 1 - Pedroguense 0

Beneditense - Bruno Ezequiel , Tiago , André Milhinhos , Diogo Silva , Dany , David , Asdrúbal (Cap. , depois Samuel Matias, aos 56 minutos) , Perre ( Serrazina aos 69 minutos) , Alexandre , André Fialho (Castelhano aos 90 + 5 minutos) e Rogério
Suplentes não utilizados - João Cruz , Isac Fialho e João Marques
Treinador - Marcelo Prudêncio

Pedroguense - Luis Rodrigues , Fábio , Jonny , Ricardo Mendes (Cap.) , Tiago Silva , João Gaspar (Pedrito aos 81 minutos) , Chinoca , Ricardo Carvalho , Eletriko , Hugo , Jetta ( Helderzito aos 69 minutos)
Suplentes não utilizados - João Neves , Bruno Dinis
Treinador - Hugo Xavier

Ao intervalo 0-0

Marcador - Perre (g.p) aos 62 minutos

Acção Disciplinar - Cartão Amarelo a Jetta (64 min.) , João Gaspar (70 min.) , Ricardo Carvalho (83 min.) , Pedrito (90 min.) e Helderzito (90 + 4 min.) , do Pedroguense e a Rogério ( 72 min.) do Beneditense

Esta foi uma final ganha pela equipa que apresentou um futebol mais estruturado, que apresentou o melhor lote de jogadores do ponto de vista do tecnicismo, que jogou com maior iniciativa atacante e que criou mais e melhores ocasiões de golo. Ganhou portanto a melhor equipa neste jogo. Ganhou bem, mas ganhou por portas travessas.Ganhou porque um jogador - Alexandre Peralta - enganou o árbitro ao "cavar" uma grande penalidade, num lance em que procurou o contacto com o seu adversário Tiago Silva, que ainda custou o cartão amarelo ao jogador da equipa de Pedrogão Grande. Pelo menos assim pareceu de fora de campo e até dava para jurar que foi assim, mas...

Da grande penalidade nasceu o golo que a equipa da Benedita não conseguira noutros lances que aconteceram antes e depois e que teriam dado bonitos golos, quer fosse por se tratar de bons lances de envolvimento, quer de bons remates, quer de bons contra-atques, ou mesmo boas marcações de livres. Alexandre ilustrou o último destes, levando a bola à barra do Pedroguense com enorme estrondo (84 min.), mas André Lourenço, André Fialho , Asdrúbal , Rogério , Samuel Matias e Serrazina também viram remates seus gorarem-se por motivos diversos, como boas defesas de Luís Rodrigues, desvios de emergência sobre a linha de golo, maus remates...É o sumário de uma equipa de bons valores individuais, com simplicidade de processos, fortes no aspecto técnico, virtuosa no meio-campo (bons alas!) e rápida no ataque.

Mas não se entenda que o Pedroguense foi uma equipa fácil e mole.Não, o Pedroguense sai de cabeça erguida e mostrou porque é que chegou a esta final. Foi uma equipa muito unida, começando pelo eixo da defesa (excelente jogo de Jonny; entre outros), uma equipa que fechou muito bem o meio-campo, dando grande luta e fazendo aquilo a que se costuma apelidar de "irritar o adversário", não deixando de se mostrar traiçoeira no contra-ataque, nos remates de longe ( Ricardo Carvalho é bom exemplo) ou na cobrança de livres de bola parada, onde sobressaíu Eletriko, um jogador habilidoso que meteu na cabeça de Ricardo Mendes a bola que devia acabar dentro da baliza, na melhor ocasião da equipa de Pedrogão Grande.

Artigo publicado por Vasco Assunçao no jorrnal Diário de Leiria de 28 de Maio


SLM de Volta ao Futebol Sénior

É com enorme prazer que me estreio a publicar um post neste grande blogue, e antes de o fazer gostaria de agradecer o convite que me foi feito por parte do nosso amigo Tanque Silva, para ser mais um colaborador deste magnifico espaço, espero que possa ser útil para aumentar ainda mais a qualidade dos artigos que aqui tem sido postados.

Ora, como diz o titulo deste post o Sport Lisboa e Marinha um dos clubes mais emblemáticos do nosso distrito, e após um interregno de 2 épocas, esta de regresso ao futebol sénior.
Este regresso deve-se ao facto de o clube estar envolvido no maior projecto da sua história, a construçao de um piso sintético, um sonho de há muito por parte dos dirigentes deste clube, e a par desse sonho fazem regressar também as belas tardes de futebol Domingueiro ao campo da Ordem dando a possibilidade aos jovens formados no clube de fazerem a transição do futebol juvenil para o futebol sénior na "casa" que os formou .

O clube trabalha ja na construção da equipe, apostando pricipalmente em jogadores formados no clube, é já de conhecimento publico o nome do Treinador escolhido para orientar a equipe neste regresso, Valdemar Soares, também ele um regresso as "lides" do futebol, coadjuvado por pessoas que muito deram ao clube em tempos e que abraçaram de novo esta aposta com enorme paixão, refiro- me mais concretamente ao agora responsável pelo departamento de futebol sénior do Lisboa e Marinha, o Sr. José Afonso Natário.
Existe já uma lista jogadores comprometidos com este novo projecto, lista essa que em tempo oportuno será divulgada em futuros posts.

domingo, maio 27, 2007

FINAL I Divisão - Avelarense x Maceirinha


Estádio: Municipal de Pombal
Assistência: Perto da centena e meia
Árbitro: Paulo Marques (AF.Leiria)

Avelarense: João Pedro; Eduardo (Nandão, 50’), Chapa, Rui Ferreira (Pedro Ferreira, 77’) e Laranjas; Torrelhas, Neto e Pedro Almeida (Góis, 30’); Estarola, Luís Silveiro e Pedro Jacob.
Treinador: Fernando Silva

Maceirinha: João Ramusga; André Monteiro, Gigas, Vareta e Márcio; Santana, Nélio e Hélder; Botelho (Pedro Monteiro, 85’), Peugeot (Nelsinho, 93’) e Marco Alves (Renato Videira, 95’)
Treinador: Fernando Luz

Acção disciplinar: Amarelos: Eduardo, 30’), Laranjas, (32’), Estarola (44’), Neto (45’), Vareta (56’) e Marco Alves (65’). Vermelhos: Gigas (80’) e Góis (80’)

Marcadores: Gigas (32’) e Peugeot (87’).

Ontem desloquei-me ao Estádio Municipal de Pombal, na companhia do amigo Tanque Silva, como observadores independentes, para visualizar a final da 1ª Divisão da Distrial.

Eram umas 16:20 quando chegamos e cá fora já muitos adeptos, de ambos os lados, esperavam impacientes para entrar no estádio.

Entramos quando faltavam 15 minutos para a hora marcada, já estava bastante gente, e deu logo para reparar que havia mais espectadores adeptos do Maceirinha que do Avelar, tanto que muitos deles tiveram de se sentar no lugar "reservado" aos avelarenses.

O pior foi a escolha dos balnearios para cada uma das equipas, porque os que estavam reservados à Maceirinha eram perto dos adeptos do Avelar e vice-versa. Mau sinal e mais à frente verão porquê.

Sem desprimor para nenhuma das equipas, sento-me e ao olhar para os jogadores vejo de um lado, uma equipa de azul e branco em que os jogadores me parecem jogadores de futebol, principalmente pela compleição fisica. Do outro está também uma equipa de amarelo e azul/roxo mas reparo que 3 ou 4 teem uma barriga nada condizente com quem pratica um desporto federado, seja em que escalão for. Estranhei, porque se tratavam dos campeões da Zona Norte.

Com o inicio do jogo apercebi-me que a defesa "amarela" era demasiado permeavel, mas tambem pudera, aqueles rapazes da barriguita saliente eram defesas!!! Fiquei com a clara noção que se a Maceirinha forçasse marcaria golos, cedo.

O jogo correu normalmente com as dificuldades habituais dos jogadores, restringidos a pelados, e no relvado é um pouco diferente. Tanto que no inicio a bola andou muito pelo ar e so passado algum tempo se começou a jogar e bem pelo chão.

A primeira parte foi de dominio Maceirinhense e não estranhou o golo à meia-hora, num cruzamento para a área, Giga aparece de rompante e de cabeça a marcar ao angulo, grande golo, já merecido.

O Avelarense também conseguiu empurrar a Maceirinha para trás e principalmente por causa do guarda-redes adversário, causou muito perigo, talvez até com as melhores situações. Muitas saidas em falso e fraco no jogo aéreo, num remate em chapéu e com João Ramusga em cima da linha, se a bola não tem batido na barra tinha levado um "frango".

Do outro lado estava talvez o melhor jogador da formação nortenha. O guarda-redes João Pedro é um jogador completamente desfazado desta divisão e da própria distrital. Muito seguro e bem colocado, defendeu tudo o que lhe era possível, bem a sair e bem entre os posts, nunca fez uma defesa incompleta. Se alguém do Sp. Pombal esteve a ver a partida aconcelho-o a po-lo á experiência na pré-época, ainda para mais agora que o Sp. Pombal está na III Divisão Nacional.

Ao intervalo vencia a melhor equipa, em termos de futebol praticado. Na bancada e do lado Avelarense gritava-se que o árbitro era "isto e aquilo" e que estava tudo feito para os azuis e brancos ganharem. Mais tarde um adepto mais exaltado comentou que até os apanha-bolas eram da Maceirinha.

Para a segunda parte, as equipas entraram diferentes na atitude. O Avelar carregou e muito contribuiu a entrada de Nandão. Bom em desmarcações e também com os pés, isto enquanto a equipa teve descernimento. Mas assistiu-se a 20, 25 minutos quase só no meio-campo da Maceirinha, em que a defesa muitas vezes apostando no fora-jogo e outras com categoria e alguma sorte no remate final adversário, conseguiu manter as redes invioláveis.

Para o final o jogo começou a ficar mais equilibrado, e o Avelarense estava todo balanceado na frente à excepção de dois defesas para segurar um avançado "azul". Mas que defesas? O capitão do Avelarense era um rapaz mais baixo que eu e com uma barriga em dobro superior à minha, para travar um rapaz "azul" com alcunha de carro e que faz da velocidade a sua maior arma? Só podia correr mal tal opção e cada contra-ataque do Maceirinha era um caso serio com o defesa sempre nas covas. A sorte é que muitas das vezes acabou por faltar discernimento no ataque e muitos falhanços principalmente pelo número 17 azul, Marco Alves.

Aos 80 minutos o caso do jogo. Um jogador "amarelo" aparece estatelado no terreno, agarrado à cara, no meio da confusão e talvez por palavras o jogador Gois do Avelarense é expulso directamente. Depois de semi-sanada a confusão o árbitro foi conferenciar com o seu auxiliar que lhe informa que Gigas terá agredido o adversário, o tal que estava no chão. Outra expulsão directa.

No caminho para o balneário Gigas, fez questão de cumprimentar os adeptos e também os adversários, mas esquece-se que quando os adversários estão a chamar-nos nomes convém não dizer nada e as palmas do jogador acabaram por soar a ofensa para os adeptos do Avelar. De tal modo que se gerou muito burburinho à entrada do balneário com os adeptos a tentarem tirar de esforço com o defesa, o que levou a uma reacção pronta de alguns Maceirinhenses que foram acorrer ao local "invadindo" o espaço dos adeptos "amarelo-roxos". Então gerou-se uma pequena confusão com muita troca de palavras mas sem se chegar a vias de facto. E assim estiveram durante algum tempo, mesmo depois de recolherem ao seu lugar ainda foi preciso segurar alguns elementos de ambos os lados. Os animos só serenaram passado 5 a 7 minutos, em que se previu o pior, de tal modo que foi chamado um reforço da policia, mas que não foi necessário.

No campo o jogo decorria, embora quase sem ser notado, e aos 85 minutos um avançado Avelarense correu isolado pela esquerda, entrou na área e sozinho frente a João Ramusga que inexplicavelmente não saiu a fazer a mancha nem cobriu o poste mais perto, (estava situado quase no poste contrário), deixou a baliza completamente à merce do adversário que fez o mais dificil, não marcou nem atirou para fora, acertou no poste!!!

Assim ficaram 3 ou 4 jogadores do Avelarense caidos no chão e de mãos na cabeça, e num contra-ataque, Pegeout pega na bola desde o meio campo, finta um, dois, três defesas "pesadotes" e à entrada da área remata cruzado para um grande golo. Foi o delirio nas bancadas e o desalento do adversário.

O jogo terminava pouco depois com a merecida festa e com a vitória daquela que foi a melhor equipa em campo.

Mais fotos aqui

sexta-feira, maio 25, 2007

Entrevista a Gonçalo Moleirinho , o técnico do momento

Gonçalo Moleirinho, técnico do S.C.L.Marrazes, é aos 26 anos o técnico do momento dos distritais, onde conseguiu comandar a sua equipa a um brilhante e surpreendente 3ºlugar. Fomos conversar com ele e ouvir a sua opinião sobre alguns temas da actualidade.
FDL - Gonçalo, o que leva um jovem como tu, com apenas 26 anos, a deixar de jogar futebol e a optar pela via de treinador?

GM - As coisas aconteceram de uma forma natural. Por um lado á cerca de 5 anos que já treinava as camadas jovens e na época passada surgiu a oportunidade de paralelamente trabalhar com os séniores, no apoio ao técnico principal, que era o meu pai. Como nesta época o meu pai não continuou no clube, surgiu o convite para assumir a equipa, com alguma surpresa minha.

FDL - Depois de uma época em que apenas na última jornada o Marrazes garantiu a manutenção, nesta época garantiram um brilhante 3ºlugar. A que se deve?

GM - Se calhar o que se passou na época passada, serviu de alerta, para que nesta época tenhamos iniciado a época mais fortes, e de forma a transformarmos o real valor da equipa em pontos.
Porque não basta ter qualidade e potencial, é preciso ter ambição e encarar cada ponto com a vontade de o conquistar. E depois os próprios resultados foram mostrando que estávamos a trabalhar bem e que era por ali o caminho.

FDL - Apesar de em termos orçamentais ser uma luta desigual, o Marrazes deu bastante luta aos 2 primeiros classificados , U.Serra e Beneditense, e esteve durante largo tempo em 2º lugar. Chegaste a acreditar na subida?

GM - Mentiria se dissesse que não. Com os resultados positivos foi crescendo a nossa ilusão e que a nossa ambição nos podia levar lá. Acreditamos que isso era possível e os próprios jogos entre nós mostraram isso mesmo.

FDL - Aquele jogo em casa com a U.Serra, em que perderam por 1-2 , sofrendo o 2ºgolo aos 94 minutos foi decisivo.Se não tivessem perdido aquele jogo acreditas que poderia ser diferente?

GM - Não sei se seria diferente, mas certamente a nós nos daria um reforço em termos mentais, e por outro lado colocaria alguma pressão na U.Serra, o que os poderia condicionar.

FDL - Paralelamente aos séniores, também treinas os sub-13. Como está a formação do Marrazes?

GM - Penso que se trabalha bem na formação do Marrazes, o que é bem visível, no número de jogadores da equipa sénior que são oriundos das camadas jovens do clube. Mesmo assim , penso que com as novas condições previstas e com uma melhor organização, o clube pode ainda atingir melhores resultados.

FDL - Curioso é o facto, de o Marrazes, não sendo o clube que mais títulos ganha nas camadas jovens nos últimos tempos, continua a ser um dos clubes que mais jogadores coloca nos chamados grandes. A que se deve?

GM - Isso é a grande prova que se está a trabalhar bem no Marrazes. Apesar de não ter muitos títulos e equipas nos nacionais, muitos dos jovens aqui formados acabam por singrar depois em outras equipas. Previligia-se não só os títulos, mas também o jogar bem , é uma cultura que está bastante incutida nos Marrazes.

FDL - Uma das grandes falhas apontadas ás gestões do Marrazes, tem sido a falta de investimento nas infra-estruturas e que se tem reflectido principalmente na formação. Concordas com isso? Acreditas que as novas condições que se avizinham vão mudar a situação?

GM - Muito faz o Marrazes com as condições de que dispõem. Se calhar as entidades competentes já deveriam ter olhado para o Marrazes de outra forma, pelo muito que o Marrazes tem feito pela região, e esse seria um apoio merecido e mais que justificado. E talvez, essas melhorias das condições, possam vir a ser a alavanca que o Marrazes necessita para conseguir ser ainda melhor.

FDL - Concordas com quem diz que é muito redutor, tantas equipas a lutarem para apenas uma subir? Não achas que os campeonatos deveriam ser revistos?

GM - Concordo, Se olharmos para os últimos anos, o que vemos, é que com este modelo, muitas das vezes os campeonatos perdem interesse cedo de mais. Existe competividade, mas muitas das vezes, o que acontece é que um grupo restrito de duas ou três equipas luta pela subida, e todas as outras para não descerem, o que condiciona as equipas a jogarem para o ponto, o que sem dúvida prejudica o espectáculo.

FDL - Foste apontado por muitos como a grande revelação dos treinadores dos distritais. Qual o segredo, para pegares numa equipa que na última temporada só garantiu a manutenção na última jornada e quase sem reforços levaste a equipa a um brilhante 3ºlugar?


GM - Muita da surpresa deve-se a minha idade e ao facto de alguém tão novo liderar a equipa. Mas o meu trabalho reflecte o trabalho de todo o grupo, que percebeu que tínhamos que ter mais ambição. Uma das mudanças mais significativas terá sido essa, a mudança de mentalidade do grupo, que passou a ter mais ambição e mais querer.

FDL - Surpreendeu-te a vitória do Ansião na final da Taça Distrital?


GM - Tenho que considerar uma meia surpresa. A Benedita é uma excelente equipa, muito bem organizada, mas o Ansião também pôs em campo os seus argumentos e conseguiu ser feliz.

FDL - Consideras a U.Serra um justo vencedor da Divisão de Honra?

GM - Penso que a U.Serra acabou por ser a equipa mais regular e os campeonatos ganham-se com regularidade e não em 1 ou 2 jogos. E foi isso que a U.Serra fez, com alguma sorte em alguns jogos e acabou por ser um justo campeão.

FDL - Para o ano prevê-se uma divisão de honra fortíssima, com a descida de algumas equipas históricas dos nacionais. Também pensas assim?

GM - Sim , certamente teremos um campeonato muito competitivo. O facto de ter descido mais uma equipa da 3ª Nacional, vai levar certamente a uma melhoria da qualidade e do nível do campeonato. Assim o espero.

FDL - E para o ano , vamos continuar a ter o Gonçalo Moleirinho a comandar a equipa do Marrazes?

GM - Ainda não está nada definido.


Taça Distrito Juniores - FINAL


Forma de desempate:

- Se após o tempo regulamentar se verificar uma igualdade, o desempate far-se-á através da marcação pontapés da marca de grande penalidade.

ENTRADAS GRÁTIS


FINAL I Divisão - Avelarense x Maceirinha


Organização Financeira
- A organização financeira deste jogo é a cargo da A.F. Leiria.
- Preço único dos bilhetes – 2,30 €

Forma de desempate:

- Se após o tempo regulamentar se verificar uma igualdade, proceder-se-á ao desempate da seguinte forma:

1- Será o jogo interrompido durante cinco minutos e depois prolongado por trinta minutos, divididos em duas partes de quinze minutos cada, sem intervalo, mas com mudança de campo, terminando este prolongamento assim que uma equipa obtenha um golo.

2- Se findo este prolongamento ainda se mantiver a igualdade, apurar-se-á o vencedor através da marcação de grandes penalidades, segundo as Leis do Jogo.

A vida de árbitro!

Para quem pensa que a vida de árbitro é fácil, aqui fica uma amostra do que é essa vida difícil da arbitragem!

E, o que é mais difícil na vida de um árbitro? É a vida da pessoa que é o árbitro. Até começar o jogo, passámos uma semana de trabalho, treinos semanais, recebemos a nomeação do jogo, comunicámos com os colegas de equipa, discutimos com a nossa família (“nunca estás cá ao fim-de-semana” – “nunca podemos contar ctg”), tentamos descansar no final de cada dia de trabalho para que no fim-de-semana de jogos possamos estar em perfeitas condições (“que raio, hoje não consigo dormir pq?!”) arrumámos o saco de equipamentos (“não sei se me falta alguma coisa?!”) comunicámos ao patrão que vamos precisar sair mais cedo na sexta-feira ou faltar nesse dia porque vamos ter que fazer uma viagem para um sitio distante para arbitrar um jogo ( será que vou ser despedido?), preparámos o carro para a viagem (“será que o carro vai conseguir resistir a mais 1000 km num dia?!”), evitámos contactos telefónicos dos amigos (“Vamos tomar um copo logo, dançar até amanhecer” – “ai, não dá, tenho jogo amanhã, fica para a próxima”) reunimos com os colegas às 7 da manhã para estar no campo mais do que uma hora de antecedência, resolvemos o imprevisto da falta de um árbitro assistente (“Oi, sei que é muito em cima da hora, mas estou muito doente”), fizemos refeições adequadas (“ai, essa alheira está com um aspecto delicioso mas…”), olhámos para o mapa inúmeras vezes para tentar encontrar o caminho (“ups, estamos perdidos. Olhe, se faz favor, pode indicar-nos onde fica o campo de futebol?”), encontrámos o campo e vamos para o balneário dos árbitros (“ui, que grande! Podemos pôr as malas em cima uma das outras e vestimo-nos à vez?!”) enfrentamos alguns percalços (“Desculpem senhores árbitros, mas hoje não temos água quente, rebentou-se a caldeira, espero que compreendam…” – “E principalmente ou coincidência, quando estamos em pleno Inverno!!!”). Antes de começar o jogo, verificamos tudo: equipamento, relógio, apito, moeda, cartões, caneta, bloco de notas, bola, cabeça, tronco, membros, juízo, árbitros assistentes, bandeiras, disposição, espelho para ver a pinta, respirar fundo, sair do balneário, intervenientes em sentido, público que já começou a falar connosco (“que queridos, antes do jogo já começam a tratar-nos bem!”), identificação dos jogadores, sorteio, saudação, balizas em ordem, troca de olhares entre os árbitros, cronómetro a postos… e começou o jogo! Até aqui parece ser uma vida fácil?! Depois digam que não é normal um árbitro falhar durante um jogo… Pudera, somos pessoas como as outras… E se os jogadores, alguns até bem remunerados, falham, porque é que nós árbitros temos de ser perfeitos para todos?!

Um abraço a todos...

quarta-feira, maio 23, 2007

Lisboa e Marinha avança para sintético

O Sport Lisboa e Marinha deverá avançar, nas próximas semanas, para a colocação de piso sintético no Campo da Ordem. O investimento deverá ultrapassar os 150 mil euros.

A decisão está tomada: o campo da Ordem vai receber “relva” sintética.

A direcção do SL Marinha considera “estratégico” avançar para o investimento, numa lógica de futuro. “Os miúdos estão fartos de treinar e jogar no pelado e se não avançarmos para o sintético é bem provável que venhamos a perder por um lado jogadores e por outro a não atrair jovens para o clube”, afirmou um dirigente do SLM ao JMG.
Assim sendo, a direcção do popular clube da Ordem tem vindo a estudar a possibilidade de se abalançar para um projecto que transforme o pelado principal em sintético. O único problema é mesmo o custo que tal processo comporta.
A colocação do tapete verde terá um custo superior a 100 mil euros, mas o investimento não se fica por aqui. Há ainda que investir “outro tanto”, garante uma fonte do clube, na preparação do terreno. O JMG apurou que o sintético do SL Marinha, a avançar, será de “última geração”, ou seja, a borracha será substituída por “coco ralado”, tornando assim o piso “mais confortável”.

Noticia extraída do Jornal da Marinha

C.C.R MERCADO JÁ MEXE !!!!

No C.C.R Alqueidão da Serra, já existem algumas novidades para a próxima época desportiva, estando desde já confirmado que o técnico Luso Alemão Kimmel não vai continuar a frente da equipa do C.C.R Alqueidão da Serra estando a direcção á procura de novo treinador para a nova época (07/08).
Quanto ao plantel que acabou a presente época, já se registaram duas transferências Juliano e Matreco, ambos os jogadores vão jogar na próxima época no Portomosense (3ª Divisão Nacional).
Ainda de referir que a inauguração do sintético está planeada para ser dia 15 de Agosto de 2007 (data ainda a confirmar).
* Post em actualização

segunda-feira, maio 21, 2007

TAÇA DISTRITAL A.F.LEIRIA 2007 - SENIORES



Ansião vence Beneditense na Final da Taça



A equipa do Clube Caçadores de Ansião, "caçou" literalmente a Taça Distrital de Séniores ao Beneditense que partia para esta vantagem com um ligeiro favoritismo, por o seu historial, a boa época que fez na divisão de Honra e porventura por os argumentos que poderia apresentar.

Contudo com o decorrer do jogo denotou-se no Beneditense uma equipa cautelosa, preocupada talvez em demasia com o adversário e com o seu poder de fogo algo nervoso e sector intermédio por vezes não imprimindo uma maior velocidade ao jogo ficando algo preso e agarrado à bola, mas que ainda assim criava algumas ocasiões mas que teimavam em não ter o melhor desfecho.

Do lado do Ansião as preocupações eram colocar uma barreira na frente da sua area não permitindo veleidades e não abdicando de colocar em ataques rápidos e contra-ataques sempre três ou quatro atletas em zonas perto da àrea adversária mas nem sempre com o melhor entendimento.


Das bancadas do Municipal de Leiria via-se alegria e ouvia-se constantemente incentivos a ambas as equipas, com uma maior predominancia azul e amarela do Beneditense, que desta forma animava as pessoas que viam um jogo muito "morno" e em que o golo desejado não aparecia.


Ao intervalo o resultado justificava-se e pedia-se mais a ambas as equipas, afinal tratava-se de uma final.



Na segunda parte a toada do jogo foi similar, embora se deve dizer que houve um ligeiro ascendente dos Beneditenses que deixaram a ideia de que "acelerando" um pouco o ritmo de jogo poderiam muito bem alcançar o golo. Golo esse que até esteve perto de acontecer, mas contudo ora a defensiva do Ansião, ora o seu guarda-redes iam dando conta do recado.

Na parte final do jogo, aos 84' minutos, surge a jogada do encontro: Substituição no Ansião, entrando o seu numero 12, "Pokinha", que após cinco segundos em campo, junto a linha esquerda do seu ataque, recebe a bola e segue em diagonal para o centro do terreno enquadrando-se com a baliza, ao mesmo tempo que um dos avançados arrastava consigo um defesa, criando um espaço que permitiu desferir um remate de fora de àrea, indefensável, levando a bola a entrar na zona superior da baliza, fazendo o unico golo do jogo. A festa nas bancadas era das gentes de Ansião, enquanto que do lado oposto era a desilusão.

Até ao fim o treinador do Beneditense colocaria mais um jogador na frente e por uma vez mais a ocasião do golo surgira mas a bola teimava em não entrar. Os ultimos minutos foram de sofrimento para ambas as partes e o desfecho foi claramente mais feliz para o C.C.Ansião que apesar de aparentemente mais defensivo nunca deixou de "estar no jogo"!


O árbitro da partida, Romão Santos, esteve razoavelmente bem , não influenciando o jogo, no seu estilo bem caracteristico de deixar jogar!



Parabéns aos vencedores, e felicitações aos vencidos!

domingo, maio 20, 2007

TAÇA DISTRITAL A.F. LEIRIA - INICIADOS 2007

Iniciados Ginasistas mais felizes no jogo e nos penalties

Nesta manha de 20 de Maio de 2007 sorriu aos Alcobacenses a vitória na Taça Distrital de Iniciados, após a conversão das grandes penalidades, conseguindo desta forma igualar o feito dos Juvenis no dia anterior.
Do jogo temos a referir, que o grupo que mais clarividencia apresentou e mais argumentos, até acabou por ser o GRAP/Pousos, que ao longo do jogo apresentou um futebol ligado entre os sectores defensivo e intermediário, mas com um aparente nervosismo nos jogadores da linha avançada, especialmente o capitão que dispôs de duas excelentes ocasiões para finalizar, sendo uma delas já nos descontos na segunda parte.
A forma de sair a jogar de trás e a mobilidade de alguns jogadores do meio campo, deixavam baralhadas as marcações e consequentemente impossibilitando a saida de bola em condições por parte dos do Ginásio que em apenas algumas bolas bombeadas conseguiam acercar-se com relativo perigo à baliza adversária.
O apoio que vinha das bancadas era incessante e permitia animicamente dar força aos atletas que iam conseguindo alguns momentos distintos na construção de jogo e dominio por ambas as equipas, mas os lances dos golos mais evidentes foram sendo sempre do GRAP/Pousos.
Na lotaria dos penalties o nervosismo de alguns jogadores era demasiado evidente e dava quase uma percepção clara de quem tremia mais na ida para a marcação, saindo vitorioso e sendo felizes os jovens iniciados do Ginásio orientados por Bernardo Tavares que em dois anos consecutivos leva a Taça de Distrito: em 2006 na categoria de Juvenis e 2007 em Iniciados, ambos pelo mesmo clube.
Se formação fosse classificada por a obtenção de titulos poderiamos dizer que o Ginásio estava a dar cartas, mas devo dizer que o gesto final de felicitações entre os atletas de ambos os clubes(claro que com sentimentos diferentes!) foi o sinal mais evidente do que deve ser o futebol na formação, saber vencer, saber perder...

Lista Final dos Melhores Marcadores Divisão de Honra - Temporada 2006-2007


Melhores Marcadores Época 2006-2007
1º Simões (Beneditense ) - 20 Golos
2º Likas (Pedroguense) - 19 Golos
3º Norberto (U.Serra) - 17 Golos
4º Ferraz (Fig.Vinhos) - 16 Golos
5º Tropa(Bibiolteca) e Lima (Ansião) - 15 Golos
7º Henrique (Nazarenos) - 13 Golos
8º Miguel(Pousos), Tendinha(Fig.Vinhos) e Zim(U.Serra) - 12 Golos
11º Marco Dinis (Marrazes) - 11 Golos
12º Ricardo Mafra (Biblioteca) , Pimenta (A.Serra) , Rui Codinha (Nazarenos) , Fabinho (Nazarenos) e Nelinho(Nazarenos) - 10 Golos
16º Bruno Antunes(Meirinhas) e João Costa (Pataiense) - 9 Golos
18º Hugo Afonse ( U.Serra) - 8 Golos

sábado, maio 19, 2007

TAÇA DISTRITAL A.F. LEIRIA 2007 - JUVENIS


19 de Maio de 2007

Ginásio de Alcobaça revalida triunfo na Taça Distrital de Juvenis

(A alegria dos vencedores...)


O GC Alcobaça venceu pelo segundo ano consecutivo a Taça Distrital de Juvenis. Se no ano passado venceu durante o jogo por 2-1 o AC Avelarense, este ano perante o vencedor do campeonato, SL Marinha, conquistou o trofeu após o desempate por grandes penalidades.

Do jogo temos a referir que entraram melhor os alcobacenses, conseguindo anular algumas peças importantes do adversário que deixava o controlo do jogo e procurava com calma inquietar os de Alcobaça. Destacava-se a segurança muito firme do guardião do SL Marinha, João Guerra(Internacional Sub-16) e o avançado com muito poder fisico e sentido de baliza, TD. E assim foi, à passagem dos 28 minutos o SL Marinha inaugura o marcador onde após remate fora de area a bola vai anichar-se no fundo das redes. Acusava o golo a equipa e minuto e meio depois numa bola cruzada para a àrea, a defensiva alcobacense foi muito passiva e também após erro do guardião acaba por se encontrar a perder 2-0.
Até ao intervalo a maturidade e experiencia evidenciada por alguns elementos do SL Marinha controlaram o tempo e a bola alcançando-se o intervalo com um resultado pesado para o que se havia passado nos 40 minutos iniciais.

Na segunda parte, aos cinco minutos a expulsão do trinco do Alcobaça por acumulação de amarelos acabou por ser o ponto de viragem no rumo do jogo, isto porque os marinhenses acabaram por criar um excesso de confiança na vitoria e não assumiram o jogo deixando os ginasistas alcançar a area adversaria mais vezes, que apesar de com menos um jogador não abdicaram de procurar algo mais, tendo aos 65 minutos conseguido reduzir para 1-2 e poucos minutos depois na sequencia de um canto obtendo na confusão o empate. O tempo acercava-se do fim e o SL Marinha ainda teria tempo para desperdiçar o 3º golo, levando o jogo para penalties.

A controversia surgiu no primeiro penalty marcado pelo GC Alcobaça visto que o fiscal de linha anulou o lance em que João Guerra havia defendido avançando demasiado para a frente(facto que voltara a repetir mais algumas vezes!) entrando em campo e em protestos o delegado e depois o treinador do SL Marinha até junto do fiscal de linha(esta atitude repetiria-se duas vezes mais, depois contestando as intervenções de Fábio Santos na defesa de dois penalties). Tudo isto enervou publico e jogadores, tendo terminado a primeira ronda de 5 com o empate, obrigando a serie a continuar até à 7ªmarcação onde após a defesa de Fábio Santos, Braulio partiu para a bola com toda a confiança finalizando e dando o triunfo aos ginasistas.

No final do jogo que deveria ter sido apenas de festa, adeptos de ambos(repito ambos!) os lados começaram com provocações, alastrando esse nervosismo aos jogadores no relvado que também se envolveram em algumas escaramuças...

(Os vencidos pouco conformados!)

sexta-feira, maio 18, 2007

Jogos e árbitros do fim-de-semana

Final da Taça Distrital - Séniores
Estádio Municipal de Leiria - Domingo - 16 Horas
Beneditense - Ansião (Romão Santos)
-----
Final da Taça Distrital - Juvenis
Pataias - Sábado -17 Horas
S.L.Marinha - Alcobaça ( Luciano Gonçalves)
-----
Final da Taça Distrital - Iniciados
Municipal M.Grande - Domingo - 10h30
Alcobaça - Pousos
-----
Juniores - 1ªDivisão - Final do Campeonato
Albergaria dos Doze - Sábado - 17 Horas
Avelarense - Gaeirense
-----
Juvenis - Fase Final - 1ªDivisão - Campeonato
Série A
U.Leiria B - Arcuda (Carlos Romão)
Série B
Alvaiázere - Peniche (Ricardo Martinho)
-----
Iniciados - Fase Final - 1ªDivisão -Campeonato
Série A
Ilha - Beneditense B (José Príncipe)
Série B
Arcuda - Bombarralense (Domingos Lavinha)

Taça de Leiria

BENEDITENSE v ANSIÃO

Vou deixar aqui algumas informações para abrir o apetite para a final da Taça


Palmarés das equipas nas últimas épocas

Beneditense ( tiveram 19 anos nos Nacionais)

1999-00....17º......2º Div. B (desceu)
2000-01............3º Div (subiu)
2001-02....18º......2º Div B (desceu)
2002-03............3º Div
2003-04....13º......3º Div
2004-05............3º Div
2005-06....14º......3º Div (desceu)
2006-07............Div Honra

Ansião

1999-00....12º......Div Honra
2000-01............Div Honra
2001-02....12º......Div Honra
2002-03............1º Div Distrital(A)
2003-04............Div Honra
2004-05............Div Honra
2005-06....11º......Div Honra
2006-07............Div Honra


Evolução ao longo da época

O Beneditense nas primeiras sete jornadas alterou a sua posição entre o 1º e 2º lugares. Depois entre a 8º Jornada e a 26º jornada esteve sempre em 3º lugar. Nas últimas 4 jornadas passou para 2º lugar onde nunca mais viria a perder.

O Ansião ao longo da época teve uma evolução muito regular. começou como líder logo na 1º jornada graças a uma goleada (6-1 ao Boavista). Na jornada nº7 já estva em 11º lugar, acabando por ficar em 9ºlugar. Sem contar com a primeira jornada o melhor que consegiu foi o 5º lugar na 12º jornada.


Produção de golos

O sal...ora bem, aqui surgem algumas diferenças. O Beneditense (64 golos) supera o Ansião (48 golos) em relação à produção atacante com uma média de 2,1 golos por jogo contra 1,6 do Ansião. Na defesa a equipa da Benedita continua a demonstrar melhores resultados, 27 contra 45 sofridos do Ansião (o dobro). uma média de 0,9 contra 1,5.

quinta-feira, maio 17, 2007

Estatisticas finais da Divisão Honra

Com o final dos campeonatos na AF Leiria, vou colocar aqui as estatisticas finais e classificações, da 1ª Divisão Norte e Sul e da Divisão Honra.

Depois de ontem e anteontem ter colocado as estatisticas rerferentes à 1ª Divisão Zona Norte, e 1ª Divisão Zona Sul, hoje veremos, por fim, a Divisão Honra.

Espero terem sido posts uteis e/ou agradáveis .

Campeão - União Serra


TOTAL

Melhor ataque - União Serra, 67 golos
Melhor defesa - União Serra, 23 golos
Melhor diferença de golos - União Serra, + 44 golos
Maior número de vitórias - União Serra, 21 vitórias
Maior número de empates - Gaeirense, 14 empates
Menor número de derrotas - União Serra, 2 derrotas
Maior goleada - Alqueidão Serra 7x0 Boavista
Jogo com mais golos - Biblioteca 6x2 gaeirense e Pataiense 4x4 Figueiró Vinhos

Pior ataque - Boavista, 29 golos
Pior defesa - Boavista, 86 golos
Pior diferença de golos - Boavista, - 57 golos
Menor número de vitórias - Boavista, 1 vitória
Menor número de empates - Alqueidão Serra, Figueiró Vinhos, Ansião, Pataiense e Juncalense, 6 empates
Maior número de derrotas - Boavista, 22 derrotas


CASA

Mais pontos ganhos - Beneditense, 37 pontos
Melhor ataque - Beneditense, 41 golos
Melhor defesa - Leiria e Marrazes, 10 golos
Melhor diferença de golos - Beneditense, + 30 golos
Maior número de vitórias - Beneditense, 12 vitórias
Maior número de empates - Gaeirense, 7 empates
Menor número de derrotas - Biblioteca, União Serra e Leiria e Marrazes, 1 derrota
Maior vitória - Alqueidão Serra 7x0 Boavista

Pior ataque - Boavista, 14 golos
Pior defesa - Boavista, 30 golos
Pior diferença de golos - Boavista, - 16 golos
Menor número de vitórias - Boavista, 0 vitórias
Menor número de empates - Beneditense, 1 empate
Maior número de derrotas - Boavista, 10 derrotas


FORA

Mais pontos ganhos - União Serra, 34 pontos
Melhor ataque - União Serra, 35 golos
Melhor defesa - União Serra, 12 golos
Melhor diferença de golos - União Serra, + 23 golos
Maior número de vitórias - União Serra, 11 vitórias
Maior número de empates - Gaeirense, 7 empates
Menor número de derrotas - União Serra, 1 derrota
Maior vitória - Figueiró Vinhos 0x4 União Serra, Figueiró Vinhos 0x4 Guiense, Juncalense 0x4 União Serra e Pataiense 0x4 Os Nazarenos

Pior ataque - Gaeirense e Meirinhas 9 golos
Pior defesa - Boavista, 56 golos
Pior diferença de golos - Boavista, - 41 golos
Menor número de vitórias - Gaeirense, 0 vitórias
Menor número de empates - Ansião, 0 empates
Maior número de derrotas - Boavista,12 derrotas

(CLICAR NO QUADRO PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO)

Cumprir Calendário



30.ª Jornada do Campeonato Distrital da 1.ª Divisão
Campo das Figueira
Árbitro:Fábio Piló

Moitense 1- Atouguiense 4



Moitense: Edgar, Rogério, Filipe Moleiro, João Vigia, Catalino, João Mota, Luis Filipe (Celso aos 71m), Leonel, Ricardo, Luis Monteiro (Pedro aos 50m)
Suplentes não utilizados:
Treinador: Hélio Moleiro

G.D. Atouguiense: Augusto, Ché (João Russo aos 61m), Sousa, Xaxo, Ganhão (João Nuno aos 53m), Constantino, Super, Michael (João aos 53m), Kafanfa, Mata, Tiago
Suplente não utilizado: Vando
Treinador: Ricardo Silva
Delegados: Cajú;
Massagista: Agostinho

Disciplina: cartão amarelo Leonel e cartão vermelho a Ricardo e João Mota (por acumulação)
Marcadores: Rogério, Kafanfa (2) e Super (2)
Ao intervalo: 0 – 2

Acabou da melhor forma o campeonato do Atouguiense com uma vitória no campo do Moitense o que permitiu ascender à quinta posição, ainda que com igualdade pontual coma equipa da Praia da Vieira.
Assistiu-se a um jogo típico de fim de época, com os jogadores já a pensarem mais nas férias do que em jogar futebol.
O jogo começa praticamente com o golo do Atouguiense logo aos 2 minutos por Kafanfa que foge à marcação de recebe a bola por cima da defesa do Moitense e só com Edgar pela frente não enjeita e inaugura o marcador.
Com isto tentou reagir a equipa do Moitense, mas era muito inconsequente na forma como atacava e apesar de chegarem à área Atouguiense não causavam perigo.
O Atouguiense por seu lado, apesar de jogar também muito abaixo daquilo a que já nos habituou lá ia chegando à área adversária com algum perigo e foram várias as oportunidades desperdiçadas para dilatar a vantagem o que veio a acontecer por Super num lance muito idêntico ao primeiro a meio do primeiro tempo.
Foi assim que se chegou ao intervalo com o Atouguiense a dominar o jogo e o Moitense a jogar em contra ataque e de vez em quando a chegar à baliza adversária.
No reatar da segunda parte assisti a um dos golos mais rápidos no futebol. Segue a equipa do Moitense, Sérgio toca a bola para traz, começa a correr desalmadamente para a área do Atouguiense, a bola é-lhe endereçada através de um pontapé longo e já dentro da área remata cruzado que surpreende tudo e todos reduz para 1-2. Ficaram todos os jogadores do Atouguiense a olhar uns para os outros a tentar perceber o que tinha acontecido enquanto os do Moitense festejavam.
Acordou novamente para o jogo o Atouguiense e continuou a mandar no jogo a equipa forasteira. Se na primeira parte o Moitense ainda se acercava da baliza do Atouguiense com alguma frequência, já na segunda parte só a espaços lá chegava.
Apesar da qualidade de jogo das duas equipas ter diminuído com o intervalo, continuava a mandar no jogo o Atouguiense e várias foram as vezes, novamente, que os seus homens mais avançados desperdiçaram oportunidades para aumentar a vantagem. Destas oportunidades aproveitaram-se duas, primeiro por Kafanfa a fugir à marcação de um adversário e já dentro da área aumenta a vantagem para 1-3 e minutos depois após boa jogada de Xaxo pela direita, Edgar não fica bem na foto e Super aproveita o deslize e empurra para a baliza deserta.
Nota ainda para um penaltie desperdiçado por Xaxo que atira por cima do travessão.
Foi uma segunda parte fraca que valeu exclusivamente pelos golos apontados.
Quanto ao trabalho da equipa chefiada por Fábio Pilo, nada a apontar, bem nas expulsões e em cima dos lances o que permitiu um bom juízo na sua grande maioria.

Não quero terminar sem deixar de dar uma palavra de apreço a todos os elementos que compõem a equipa do Atouguiense, desde dirigentes a equipa técnica, incluindo o anterior mister Adriano Leiria, porque todos eles foram inexcedíveis para tentar superar as diversas adversidades que o Atouguiense sofreu ao longo desta época e em especial a todos os jogadores que chegaram ao fim de mais uma época difícil e desgastante. A todos eles um grande Bem Hajam.

Quero deixar aqui ainda os meus sinceros Parabéns às equipas que subiram à Divisão de Honra, nomeadamente Maceirinha e Vieirense e a todas as outras equipas que de uma forma ou outra contribuíram para que o campeonato distrital de futebol da A.F. Leiria fosse a festa que foi e se assistisse por vezes a excelentes partidas de futebol.

Ao longo destes meses que comentei os jogos do meu Atouguiense e tentei fazê-lo de uma forma isenta e idónea, sabendo também que por vezes não agradava às outras partes envolvidas e que poderia suscitar opiniões contraditórias, mas sendo eu jogador do Grupo Desportivo Atouguiense e vivendo o jogo por dentro acho que o consegui. Desculpem-me ainda todos aqueles que eventualmente se tenham ofendido com algo que escrevi mas não foi essa a minha intenção, mas sim trazer sempre ao de cima a verdade desportiva.
Aproveito ainda para desejar a todos os sócios e adeptos do Grupo Desportivo Atouguiense, aos adeptos em geral e a todos os cibernautas que nos acompanham nos mais diversos sites e blogs, umas óptimas férias.

Por Luis Sousa (Xuxa)

quarta-feira, maio 16, 2007

Estatisticas finais da 1ª Divisão Zona Sul

Com o final dos campeonatos na AF Leiria, vou colocar aqui as estatisticas finais e classificações, da 1ª Divisão Norte e Sul e da Divisão Honra.

Depois de ontem ter colocado as estatisticas rerferentes à 1ª Divisão Zona Norte, hoje veremos a 1ª Divisão Norte, espero amanhã ter o mesmo post mas sobre a Divisão Honra.

Campeão - Maceirinha
2º lugar com subida - Vieirense

TOTAL

Melhor ataque - Vieirense, 75 golos
Melhor defesa - Vidreiros, 17 golos
Melhor diferença de golos - Vieirense, + 56 golos
Maior número de vitórias - Maceirinha, 21 vitórias
Maior número de empates - Outeirense, Ferrel, Alfeizerense, Unidos e Turquel, 5 empates
Menor número de derrotas - Vieirense e Vidreiros, 2 derrotas
Maior goleada - Vieirense 10x0 Unidos
Jogo com mais golos - Vieirense 10x0 Unidos (10 golos)

Pior ataque - Moitense, 22 golos
Pior defesa - Moitense, 103 golos
Pior diferença de golos - Moitense, - 81 golos
Menor número de vitórias - Moitense, 1 vitória
Menor número de empates - Maceirinha e Pilado & Escoura, 2 empates
Maior número de derrotas - Moitense, 22 derrotas


CASA

Mais pontos ganhos - Vieirense e Vidreiros, 37 pontos
Melhor ataque - Vieirense, 48 golos
Melhor defesa - Vieirense, 5 golos
Melhor diferença de golos - Vieirense, + 43 golos
Maior número de vitórias - Vieirense e Vidreiros, 12 vitórias
Maior número de empates - Alfeizerense, 5 empates
Menor número de derrotas - Vieirense e Vidreiros, 0 derrotas
Maior vitória - Vieirense 10x0 Unidos

Pior ataque - Alfeizerense, 12 golos
Pior defesa - Moitense, 46 golos
Pior diferença de golos - Moitense, - 30 golos
Menor número de vitórias - Moitense, 1 vitória
Menor número de empates - Praia Vieira, 0 empates
Maior número de derrotas - Turquel, 10 derrotas


FORA

Mais pontos ganhos - Maceirinha 31 pontos
Melhor ataque - Maceirinha e Vieirense, 27 golos
Melhor defesa - Vidreiros, 11 golos
Melhor diferença de golos - Vidreiros, + 15 golos
Maior número de vitórias - Maceirinha, 10 vitórias
Maior número de empates - Ferrel e Turquel, 4 empates
Menor número de derrotas - Maceirinha, Vieirense e Vidreiros, 2 derrotas
Maior vitória - Moitense 0x5 Vieirense; Moitense 0x5 Vidreiros; Moitense 1x6 Pilado & Escoura

Pior ataque - Moitense, 6 golos
Pior defesa - Moitense, 57 golos
Pior diferença de golos - Moitense, - 51 golos
Menor número de vitórias - Moitense e Turquel, 0 vitórias
Menor número de empates - Pilado & Escoura, Alfeizerense e Moitense, 0 empates
Maior número de derrotas - Moitense, 13 derrotas


(CLICAR NO QUADRO PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO)

terça-feira, maio 15, 2007

Estatisticas finais da 1ª Divisão Zona Norte

Com o final dos campeonatos na AF Leiria, vou colocar aqui as estatisticas finais e classificações, da 1ª Divisão Norte e Sul e da Divisão Honra.

Hoje veremos a 1ª Divisão Norte, espero amanhã ter o mesmo post mas sobre a 1ª Divisão Sul.

Campeão - Avelarense
2º lugar com subida - Alvaiázere

TOTAL

Melhor ataque - Alvaiázere, 66 golos
Melhor defesa - Avelarense, 17 golos
Melhor diferença de golos - Avelarense, + 48 golos
Maior número de vitórias - Avelarense e Alvaiázere, 21 vitórias
Maior número de empates - Pelariga e Matamourisquense, 10 empates
Menor número de derrotas - Avelarense, 4 derrotas
Maior goleada - Pelariga 10x0 Alegre e Unido da Bajouca
Jogo com mais golos - Pelariga 10x0 Alegre e Unido da Bajouca (10 golos)

Pior ataque - Os Simonenses, 21 golos
Pior defesa - Alegre e Unido da Bajouca, 97 golos
Pior diferença de golos - Os Simonenses, - 71 golos
Menor número de vitórias - Os Simonenses, 1 vitória
Menor número de empates - Alvaiázere, Arcuda, Castanheira Pêra e Os Simonenses, 4 empates
Maior número de derrotas - Os Simonenses, 25 derrotas

CASA

Mais pontos ganhos - Avelarense e Alvaiázere, 38 pontos
Melhor ataque - Ranha, 41 golos
Melhor defesa - Avelarense, 4 golos
Melhor diferença de golos - Avelarense, + 30 golos
Maior número de vitórias - Avelarense e Alvaiázere, 12 vitórias
Maior número de empates - Matamourisquense, 7 empates
Menor número de derrotas - Avelarense e Alvaiázere, 1 derrota
Maior vitória - Pelariga 10x0 Alegre e Unido da Bajouca

Pior ataque - Os Simonenses, 11 golos
Pior defesa - Os Simonenses, 51 golos
Pior diferença de golos - Os Simonenses, - 40 golos
Menor número de vitórias - Os Simonenses, 0 vitórias
Menor número de empates - Ranha, 0 empates
Maior número de derrotas - Os Simonenses, 12 derrotas

FORA

Mais pontos ganhos - Pelariga, 31 pontos
Melhor ataque - Alvaiázere, 36 golos
Melhor defesa - Pelariga, 8 golos
Melhor diferença de golos - Pelariga e Avelarense, + 18 golos
Maior número de vitórias - Pelariga, Avelarense e Alvaiázere, 9 vitórias
Maior número de empates - Casal Novo e Ranha, 5 empates
Menor número de derrotas - Pelariga, 2 derrota
Maior vitória - Pousaflores 0x7 Alvaiázere

Pior ataque - Castanheira de Pêra e Os Simonenses, 10 golos
Pior defesa - Alegre e Unido da Bajouca, 57 golos
Pior diferença de golos - Alegre e Unido da Bajouca, - 45 golos
Menor número de vitórias - Alegre e Unido da Bajouca, 0 vitórias
Menor número de empates - Castanheira de Pêra, 0 empates
Maior número de derrotas - Os Simonenses, 13 derrotas

(CLICAR NO QUADRO PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO)

Ambos lutaram até ao esgotamento

Campo dos Pescadores , na Praia da Vieira
Árbitro : Carlos Amado
Assistentes : Artur Louceiro e R.Morgado
Praia da Vieira 1 - Vidreiros 2
Praia da Vieira - Gil, Zéquinha, Nuno Féteira, Márcio, Telmo, Renato , Mauro, Alex , Nuno Rodrigues, Tito, Vando (Filipe Preto aos 62 minutos) e Rogério Btalha (Cap.)
Suplentes não utilizados - Mário Leal , Trobi , Quim Lavos e Luis
Treinador - Bruno Ramusga
"Os Vidreiros" - Make, Paulito, Marrazes (Cap.), Pedro Matias , Daniel, (Cláúdio aos 85 minutos) , João Paulo , Orlando , Inácio (Ctarino aos 54 minutos) , Chico (Rúben aos 54 minutos) , Gito e Vitinho
Suplentes não utilizados - Radar , Valdo , Guedes e João Luis
Treinador - Vitor Duarte
Ao intervalo - 1-0
Golos 1-0, Rogério Batalha aos 13 minutos ; 1-1 Rúben aos 63 minutos ; 1-2 Telmo Renato p.b aos 82 minutos
Acção Disciplinar - cartões amarelos para Rogério Batalha (50 min.) , Márcio ( 58 min.) , Mauro (67 min.) , Marrazes (74 min.) , Telmo Ramusga ( 79 min.) e Paulito ( 90 + 3 min.) . Cartões Vermelhos para Márcio (segundo amarelo) e Gil (directo), aos 64 e 70 minutos respectivamente
Era, já se sabia, um jogo "dramático" para a equipa de Picassinos. Todavia , não se julgue que era " a feijões" para os praienses. Os primeiros teriam de ganhar para poder ascender a Divisão de Honra, mas teriam de contar com um desaire do Maceirinha no Outeiro da Fonte, ou do Vieirense na Ortigosa. Os segundos queriam a todo o custo segurar o quarto lugar ( que acabou por ir para o Pilado e Escoura), por uma questão de orgulho, mas só o conseguiriam averbando os três pontos.
Perante este cenário, não é difícil advinhar a onda de nervos que pairou no Campo dos Pescadores. A equipa de "Os Vidreiros" entrou a pressionar, mas no último terço do terreno não tinha descernimento para a finalização. O Praia da Vieira recuperava bolas e, de imediato, lançava o contra-atque, apostando nos dois homens da frente - Vando e Rogério Batalha. E foi assim, que o suspeito do costume (Rogério Batalha) ao 13ºminuto abria o activo.
Com este tipo de características, o jogo arrastou-se até ao intervalo, aceitando-se, até aí, a vantagem da formação praiense.
Para os segundos 45 minutos o GD "Os Vidreiros" regressou disposto a apostar tudo, mas o seu jogo só se tornou mais fluente depois das entradas de Catarino e Rúben. O domínio dos forasteiros foi, progressivamente, tornando-se mais intenso, principalmente após as expulsões de Márcio e Gil. Momentos houve em que a carga do grupo de Picassinos se tornou massacrante, daí resultando os dois golos obtidos, sendo que o da vitória resultaria de uma infelicidade de Telmo Renato, ao introduzir a bola na própria baliza, então defendida por Nuno Rodrigues, após a expulsão(correcta) do guarda-redes Gil.
Face a todo este "filme", a parada tornou-se mais agreste, tendência completamente isenta nos 45 minutos iniciais, nos quais nem um cartão amarelo foi mostrado.
A Praia da Vieira jogou os 20 minutos finais, mais o tempo de compensação, reduzida a 9 unidades. Quanto à expulsão do guarda-redes Gil(mão fora da área), não pode haver discussão. Já a de Márcio nos mereceu algumas dúvias, na medida em que o lance da qual resultou, nos pareceu dividido entre os dois atletas. No final toda a gente perdeu.
Artigo de Ângelo Gomes, escrito no Jornal Diário de Leiria de 14 de Maio

O regresso ao futebol distrital!

É com enorme prazer que estou a escrever pela primeira vez num blog que tem feito uma excelente cobertura de tudo o que se passa no distrito de Leiria. Apesar de há muito ter recebido este honroso convite para colaborador, só agora me foi possível relatar algo sobre o futebol local, já que, por motivos profissionais, fui obrigado a colocar um ponto final na minha carreira de atleta e, claro está, foi-me de todo impossibilitado o acompanhamento de jogos desta natureza.

Assim, está dado o meu pontapé de saída e, para apadrinhar a minha estreia, nada melhor que falar do clube que mais me diz na divisão de honra, da A.F.L.

MARRAZES 1-1 ALQUEIDÃO DA SERRA

Este foi o primeiro jogo que tive oportunidade de assistir do Marrazes nesta temporada, isto apesar de, pelos jornais ou amigos, saber dos resultados que os mesmos vinham obtendo semana após semana. Confesso que fiquei surpreendido pela positiva em relação àquilo que vi. Não falo unicamente da equipa do Leiria e Marrazes, falo também do Alqueidão e do bom espectáculo que ambas as equipas proporcionaram, principalmente no primeiro tempo. As duas equipas mostraram, em largos períodos, bom futebol, procuraram jogar o jogo pelo jogo, tentaram, dentro das suas possibilidades e limitações, jogar com a bola no chão, e, como tal, o espectáculo ficou a ganhar. Há que dizer também que a equipa de arbitragem ajudou a que o jogo fosse entretido.
Falando mais especificamente na equipa da casa, notou-se efectivamente trabalho. O jovem treinador, Gonçalo Moleirinho, acabou a época em terceiro lugar e, percebe-se porquê. A equipa marrazense demonstrou uma cultura táctica muito interessante, nunca demonstrou desorganização defensiva, algo que é fundamental no futebol distrital e, outro aspecto que me pareceu muito positivo foram as trânsições defesa-ataque. Dois jogadores de inegável qualidade técnica, no caso, Ganincha e João Alves, são responsáveis pelo jogo ofensivo da equipa. Normalmente, têm duas situações bem delineadas: ou exploram a velocidade e capacidade técnica dos alas (Bé e Miguel), ou jogam directo no ponta-de-lança Mauro que, pela sua capacidade física e atlética, é capaz de dar profundidade ao ataque, é capaz de ganhar faltas, é capaz de desgastar uma defesa. Pelo exposto, parece-me muito bom o que se está a fazer com uma equipa que, para além de ser muito jovem, não recebe qualquer verba e, mais importante que isso, nunca teve o espírito de lutar por outros objectivos que não os da permanência na divisão de honra. Está no bom caminho esta equipa e, no próximo ano, com um campo mais de acordo com a dimensão do clube e com mais um ou outro ajuste, pode finalmente aspirar a lutar pela súbida de divisão.

No que diz respeito ao jogo propriamente dito, creio que o resultado reflecte aquilo que foi a partida. Na primeira parte, o Marrazes foi superior, isto apesar de, em contra-ataque, o Alqueidão nunca ter deixado de assustar o guarda-redes Cacola. Apoiada numa posse de bola sólida e na exploração das faixas laterais, nomeadamente com a inclusão do rápido lateral direito Ruben, a equipa do Leiria e Marrazes foi controlando os acontecimentos e nunca permitiu ao adversário ter bola. Numa bonita jogada pelo lado direito onde o avançado Mauro, sempre colaborativo, mostrou mais uma vez toda a sua capacidade em jogar de costas para a baliza adversária, surgiu o primeiro golo do jogo. Rúben, aventurou-se no ataque e, tabelando com Mauro, isolou-se e fez balançar as redes pela primeira vez. Estava feito o 1-0, resultado com que se chegou ao intervalo.

Na segunda parte, o jogo teve outro cariz. Para isso, muito contribuiu a substituição efectuada por Kimmel, treinador do Alqueidão, ao intervalo. O técnico forasteiro tirou o médio centro Pimenta e lançou o extremo esquerdo Fernando, isto com o intuito de travar as investidas de Rúben pelo flanco direito. Ora, o esquerdino do Alqueidão entrou muito bem na partida e foi o grande impulsionador do ataque serrano. O Marrazes não mais conseguiu criar perigo pelas alas e, só em contra-ataque ou de bola parada, conseguia levar a bola perto da área de Domingues, guarda-redes do Alqueidão.
Quando estavam decorridos sensivelmente 15 minutos, o Alqueidão chegou, com justiça, à igualdade. O capitão Plim foi o autor do golo, diga-se, um grande remate de fora da área a uns bons 30 metros.
Até final, o jogo foi caíndo de qualidade, algo que se pode explicar pelo natural final de temporada. Foi pena para todos aqueles que assistiram ao jogo e ficaram algo desgostosos por não terem assistido a um segundo tempo da qualidade que foi o primeiro. Ainda assim, parabéns às três equipas que mostraram que, afinal, até há bons valores no futebol distrital.

NOTA: Não gostaria de terminar sem antes de fazer uma alusão ao meu blog (gdsa.blogspot.com). Todos os leitores estão convidados a dar uma espreitadela num espaço que fala essencialmente de futebol.

segunda-feira, maio 14, 2007

Ponto da situação

Na 3ª Divisão, se descerem 5 clubes, apenas 2 clubes do distrito irão para os distritais.
Desses dois clubes o Bidoeirense já estava à muito condenado. Relativamente ao 5º Clube a descer, curiosamente envolve 3 clubes do distrito de Leiria.
Ora bem...fazendo os "matemáticamente possíveis", o Alcobaça apesar de estar abaixo do Bombarralense já está fora de perigo porque na eventualidade de perder e o Caranguejeira vencer, o Ginásio tem vantagem no confronto directo.
Ao Caranguejeira apenas interessa vencer e o Bombarralense perder(vantagem com a Caranguejeira no confronto directo), independentemente do resultado do Ginásio

Se ficarem todos empatados no final com 38 pontos desce o Bombarralense (Alcobaça-6pt, Caranguejeira-5pt e Bombarralense-3pt)

8º...(...)
9º....Penamacorense....39
10º..Bombarralense....38
11º..Alcobaça....38
12º..Caranguejeira....35
13º..Riachense....32
14º..Idanhense....32
15º..Un Coimbra....24
16º..Bidoeirense....13

Nota: A situação do Peniche ainda não está contabilizada, mas a acontecer não deixa de descer 2 equipas apenas.

Perante este cenário descem à 1ºDivisão Distrital, os 5 últimos classificados

10º....(...)
11º...Pataiense....33
12º...Juncalense....33
13º...Gaeirense....29
14º....Meirinhas....29
15º....GRAP....24
16º....Boavista....10

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Wook