Booking.com

domingo, setembro 29, 2019

2ªJornada - Divisão de Honra 2019-2020 / Seniores

Resultados de 2.ªJornada da Divisão de Honra
AC Marinhense B 1 - ID Vieirense 0
CC Ansião 2 - SCL Marrazes 0
GD Guiense 1 - SC Pombal 2
GRAP 1 - GD Pelariga 0
UR Mirense 1 - GC Alcobaça 2
CCR Alqueidão da Serra 3 - GD Peniche 2
GAU/Bajouca 3 - Moita do Boi 1
GDR Boavista - AD Portomosense (9 de Outubro - 21h00)
--
Próxima Jornada 5/10/2019
AD Portomosense - CCR Aqueidão da Serra
ADRC Moita do Boi - GC Alcobaça
GD Peniche - AC Marinhense B
ID Vieirense - GD Guiense
SCL Marrazes - GDR Boavista
SC Pombal - UR Mirense
GAU/Bajouca - GD Pelariga
GRAP - CC Ansião

sexta-feira, setembro 27, 2019

Diogo Amado nomeado para o CCR Alqueidão da Serra - GD Peniche

Taça de Portugal / Seniores
UD Leiria, - ,Real Massamá,(João Afonso - AF Bragança)
AD Portomosense, - ,FC Alverca,(Diogo Vicente - AF Santarém)
CDC Montalegre,-,AC Marinhense,(Duarte Oliveira - AF Braga)

Divisão de Honra / Seniores
CCR Alqueidão da Serra, - ,GD Peniche,(Diogo Amado)
UR Mirense, - ,GC Alcobaça,(Pedro Menino)
CC Ansião, - ,SCL Marrazes,(Paulo Encarnação)
AC Marinhense B, - ,ID Vieirense,(Joana Rodrigues)
GD Guiense, - ,SC Pombal,(Leandro Pereira)
GAU/Bajouca, - ,Moita do Boi,(Rafael Jorge)
GRAP, - ,GD Pelariga,(Bruno Santos)

1ªDivisão Nacional - Série Sul / Juniores
UD Leiria, - ,SL Benfica,(Eduardo Ribeiro - AF Aveiro)

2ªDivisão Nacional Série C / Juniores
GD Gafanha, - ,SC Pombal,(João Bernardino - AF Viana do Castelo)
AC Marinhense, - ,CD Gouveia,(Luís Filipe - AF Lisboa)

Campeonato Nacional Série C / Juvenis
Caldas SC, - ,União de Almeirim,(Filipe Sousa - AF Lisboa)
Académica de Coimbra, - ,GD Peniche,(Tiago Pinto - AF Leiria)
UD Leiria, - ,CA Fundão,(Fábio Tarrafo - AF Aveiro)

Campeonato Nacional Série C / Iniciados
SCL Marrazes, - ,Académica de Santarém,(Rodrigo Pais - AF Coimbra)
CD Vilarense, - ,UD Leiria,(Hélio Tavares - AF Castelo Branco)
GD Peniche, - ,CADE,(Rui Madeira - AF Lisboa)
AC Marinhense, - ,GD Pelariga,(Pedro Nascimento - AF Coimbra)
CA Fundão, - ,Caldas SC,(Telma Frade - AF Aveiro)

Seniores: Jogo GDR Boavista - AD Portomosense adiado

O jogo da 2ª Jornada da Divisão de Honra entre o GDR Boavista e a AD Portomosense, inicialmente agendado para o próximo domingo, foi adiado para o dia 9 de Outubro, uma quarta-feira, às 21h00. Este adiamento deve-se à presença da equipa de Porto de Mós na Taça de Portugal, sendo que no próximo domingo, a equipa de Pedro Solá, recebe o FC Alverca.

Juniores da UD Leiria repetem pior resultado de sempre

A equipa de juniores da UD Leiria averbou, no passado domingo, uma copiosa derrota no terreno do Vit. Setúbal, por 8-0, a contar para a 1.ª divisão nacional. Números que só não constituem um recorde negativo no clube porque o mesmo resultado já se tinha verificado em outras duas ocasiões.
Na época 2012/2013, os juniores da UD Leiria foram até Alcochete perder igualmente por 8-0 frente ao Sporting, numa equipa leonina onde se destacava Daniel Podence, autor de três golos nessa partida. Do lado da UD Leiria, também jogavam alguns nomes bem conhecidos dos adeptos unionistas, nomeadamente Pepo, Tiago Esgaio e Carlos Daniel, entre outros.
Antes disso, na época 2010/2011, a UD Leiria conseguiu apurar-se para a fase de apuramento de campeão nacional, mas aí voltou a sucumbir aos pés do Sporting, em casa, também por 8-0, numa equipa leonina onde se destacavam jogadores como João Mário, Ricardo Esgaio, Bruma e William Carvalho, entre outros.
Posto isto, o resultado alcançado pela turma de Marco Ramos no passado domingo frente ao Vitória de Setúbal iguala o pior registo de sempre dos juniores unionistas na 1.ª divisão nacional, numa época em que a UD Leiria, em seis jogos disputados, tem seis derrotas, dois golos marcados e 23 sofridos.|

Texto: José Roque - Diário de Leiria
Foto: Fuis Filipe Coito/Arquivo

É a sexta vez que a UD Leiria marca seis ou mais golos para o Campeonato de Portugal


A UD Leiria venceu no passado domingo a UD Santarém por 6-0 – com golos de Laércio, Jahfort, Cuero, Lameira, Onyeka e Choi -, um resultado que causou algum espanto tendo em conta que não é muito usual verificarem-se estes números num jogo entre duas equipas do mesmo escalão e competição, ainda para mais se tivermos em conta que até àquele jogo a formação de Filipe Cândido tinha apenas um golo marcado em quatro jornadas disputadas, tratando-se inclusivamente de um auto-golo.
Nesse sentido, a UD Leiria tirou a 'barriga de misérias' contra a UD Santarém, mas a verdade é que os leirienses até estão habituados a ganhar por resultados dilatados, sendo esta a sexta vez que a UD Leiria marcou seis ou mais golos num só jogo, em partidas a contar para o Campeonato de Portugal ou Campeonato Nacional de Seniores, ou seja, desde a época 2012/2013.
Aliás, a última vez que a UD Leiria marcou seis golos num jogo não foi assim há tanto tempo. A 21 de Janeiro de 2018, a formação então orientada por Rui Amorim recebeu e venceu a AD Nogueirense por 6-1, com golos de Nailson, Kaká, João Vieira, Ernest e Leandro Souza (2 golos), sendo que nenhum deles representa actualmente a UD Leiria.
Na época anterior, em 2016/2017, a formação do Lis repetiu a 'chapa' seis, mas desta vez em dose dupla, e logo contra o mesmo adversário, a Naval. Aproveitando uma fase de crise directiva e desportiva da formação da Figueira da Foz, a UD Leiria venceu por 6-0 tanto em casa como fora de portas. No municipal de Leiria, os golos da equipa então orientada por Nuno Kata foram apontados por Kevyn, Filipe Brigues e Jorginho (4 golos). Na segunda volta, na Figueira da Foz, os leirienses já eram comandados por Rui Amorim e os golos do triunfo foram obtidos por Ernest, Jorginho (2 golos), Éder Diego (2 golos) e Sérgio grilo na própria baliza.
Já na época 2015/2016, a UD Leiria voltou a marcar seis golos num só jogo a contar para o campeonato. Foi frente ao Águias do Moradal que a formação orientada por Jorge Casquilha venceu por 6-2 com golos de Benny, Tony Correia, Rafael Silveira, Tyukalov (2 golos) e Lomakin.
Apesar de todos estes registos em que a UD Leiria marcou seis golos num só jogo, a verdade é que o recorde leiriense na competição remonta à época 2014/2015, altura em que os leirienses então orientados por Jorge Casquilha venceram o Riachense por 7-1, com os golos da vitória a serem obtidos por Miguel Fernandes, Yurii, Miguel Miguel, Adul Seidi (3 golos) e Diego Zílio.
Resta agora saber que a UD Leiria, nos próximos jogos, vai registar a veia goleadora do último jogo, ou vai pecar na finalização como nas primeiras jornadas.|



Texto: José Roque - Diário de Leiria
Foto: Luis Filipe Coito

quinta-feira, setembro 26, 2019

Dupla no comando da Lista de Melhores Marcadores 2019-2020


2 Golos: Rúben Araújo (CCR Alqueidão da Serra); Miguel Velosa (AD Portomosense)
1 Golo: Marcos Duque (AC Marinhense B); Luiz Fernando (AD Portomosense); Normando Carvalho (CC Ansião); David Marques, Eduardo Valente e Vasco Gonçalves e David Marques (CCR Alqueidão da Serra); Cajo (GD Guiense); Hugo Duarte e Motinha (GD Peniche); Cedric Jorge, Dani,  Lagoa e Vieirinha (GRAP); André Cruz e Teles (ID Vieirense); Jimmy e Nélson Pereira (Moita do Boi); Celso Vieira (SCL Marrazes)

Mapa Semanal de Castigos

Seniores
1 jogo: Vítor Rodrigues (CC Ansião), Carlos Marques (GC Alcobaça), Rabi Haidar (ID Vieirense)

Juniores
Diversos: AC Marinhense ( Processo Disciplinar)

quarta-feira, setembro 25, 2019

Seniores do GD "Os Nazarenos" 2019-2020

Grupo Desportivo "Os Nazarenos"
--
Plantel 2019-2020
Guarda Redes:
Defesas:
Médios:
Avançados:
Treinador: Francisco Mota
Adjunto:
Directores:
--

Seniores do GD Concha AZul 2019-2020 (INATEL)


‘Bomba’ de André Santos garante vitória nos Açores

Depois de o Caldas ter conquistado a sua primeira vitória na jornada passada, a turma de José Vala tomou-lhe o gosto e voltou a vencer. Desta vez, o Caldas foi ao terreno do Praiense, então líder da classificação e um dos principais candidatos à subida, vencer por 0-1, com o golo de André Santos a fazer a diferença num jogo que contou com vento muito forte, o que acabou por condicionar o futebol das duas equipas.
Os primeiros minutos foram dominados pelos açorianos que foram criando algumas situações de perigo para a baliza caldense, mas a defesa visitante juntamente com Luís Paulo, foram resolvendo os problemas com maior ou menor dificuldade.
Com o passar do tempo, o Caldas conseguiu equilibrar o jogo, e foi já perto do intervalo que o Praiense ficou perto do golo quando Vitinha rematou cruzado para grande defesa de Luís Paulo.
A segunda parte foi uma réplica da primeira, com os açorianos a entrarem fortes e com vontade de chegar ao golo, obrigando o Caldas a momentos de algum sufoco.
Depois de uma fase em que o Praiense viu um golo ser-lhe anulado por falta sobre o guarda-redes caldense, foram mesmo os visitantes que se adiantaram no marcador (73'), com André Santos a tentar o remate de longe e a ser feliz ao assinar um grande golo.
Até ao final, o Praiense tudo fez para chegar à igualdade, mas o Caldas segurou a vantagem com unhas e dentes.|

SC Praiense 0
Tiago Maia, Bruno Sousa (Diogo Moniz, 74'), Alexsandro, Weliton, Itto Cruz, Vitinha (Filipe Andrade, 63'), João Peixoto, Márcio (Marcos Silva, 85'), Ragner, Magina, Matheus Souza.
Não jogaram: Fábio Pimentel, Diogo Martins, Manuel Câmara.
Treinador: Francisco Agatão.

Caldas SC 1
Luís Paulo, Juvenal, Militão (c), Pedro Gaio, Luís Farinha, Pedro Faustino (Marcelo, 84'), André Santos, Paulo Inácio, André Simões (Karim Labdi, 90+2'), Ruca, Ricardo Isabelinha (Nuno Januário, 67').
Não jogaram: Rui Oliveira, Duarte Coito, João Passuco, Miguel Cunha.
Treinador: José Vala.

Estádio Municipal da Praia da Vitória, Terceira
Árbitro: Marcos Brazão (AF Algarve). Assistentes: Cristiano Pires e Rui Correia.
Ao intervalo: 0-0.
Golos: 0-1 André Santos (73').
Disciplina: Amarelo a Ricardo Isabelinha (43'), André Simões (75'), André Santos (83'), João Peixoto (83').

Texto: Renato Santos - Diário de Leiria
Foto: Joel Ribeiro - Gazeta das Caldas

Marinhense cai com estrondo em Oleiros

Frente a uma equipa que ainda não tinha registado qualquer vitória, o Marinhense perdeu por 4-0, dando sequência a uma série recente de maus resultados. A equipa de Rui Rodrigues, ao intervalo, já perdia por 3-0 num jogo em que o Oleiros soube ser melhor durante o primeiro tempo, construiu uma vantagem tranquila e depois geriu bem o resultado durante o segundo tempo.
O resultado começou a ser construído após um livre do lado direito em que Jimmy desviou para o primeiro golo (17'). Pouco depois, na sequência de um canto, surgiu novo golo, com Samir a ser o protagonista, saltando mais que toda a gente para o 2-0.
A melhor oportunidade do Marinhense no primeiro tempo veio logo a seguir, num lance em que, na sequência de um canto, a bola sobrou para a entrada da área, com o remate a sair muito perto do poste. De seguida e na resposta, Duvan Guerra, muito rápido, fugiu aos centrais e com a baliza aberta fez o 3-0.
No segundo tempo, o Marinhense tinha que arriscar e entraram os avançados Adelaja e Pedro Emanuel após o descanso e a verdade é que o jogo mudou. O Marinhense teve mais bola no segundo tempo, com os locais a recuarem e a apostarem na transição para levar perigo à área contrária. Num destes lances e após duas boas tentativas o Oleiros chegaria mesmo ao golo, quando Jimmy, fazendo uso do espaço deixado nas costas, fez o quarto golo, bisando no jogo e 'matando' em definitivo a partida.
Arbitragem não isenta de erros, mas sem influência no resultado final.|

ARC Oleiros 4
Norbert, André Farinha (Fábio Gaião, 80'), Tiago Gomes, Samir, Luís Martins, Jardel, Guilherme, Jimmy, Michael (Iago, 82'), Duvan Guerra (Dentinho, 68'), Matheus Silva.
Não jogaram: Pedro Dias, Coma, Flavinho, Ari.
Treinador: Natan Costa.

AC Marinhense 0
Mirza, Simão Moreno (Adelaja, int.), Oidel Pérez, Fábio Santos, André Sou-sa, Abdel, André Perre, Alex, Rúben Martins (Ednilson, 68'), Leandro Antunes, Rúben Coelho (Pedro Emanuel, int.).
Não jogaram: João Guerra, Luís Oliveira, Ricardo Ferreira, Pedro Rodrigues.
Treinador: Rui Rodrigues.

Estádio Municipal de Oleiros
Árbitro: Luís Reforço (AF Setúbal).
Assitentes: Fábio Fernandes e Humberto Pereira.
Ao intervalo: 3-0.
Golos: 1-0 Jimmy (17'), 2-0 Samir (22'), 3-0 Duvan Guerra (32'), 4-0 Jimmy (76').
Disciplina: Amarelo a André Farinha (19'), Alex (41'), Duvan Guerra (45+1'), Jardel (50'), Pedro Emanuel (77' e 90+1'), Michael (80'), Guilherme (84'). Vermelho por acumulação a Pedro Emanuel.

Texto: Diário de Leiria

Segunda parte de luxo garante goleada

O GRAP apadrinhou a estreia do Grupo Alegre e Unido (GAU) na Divisão de Honra, mas a formação dos Pousos não foi de mordomias ao vencer por claros 4-0, fruto de uma segunda parte avassaladora.
No primeiro tempo, as equipas actuaram com grandes cautelas, mas sempre com o GRAP a tomar as rédeas da partida. Aliás, a equipa da casa foi a primeira a criar perigo quando Lagoa cabeceou para grande defesa de Pedrosa. Na resposta, o GAU aproveitou uma perda de bola de Lucas, mas Kevin não acertou no alvo.
O jogo entrou então numa toada equilibrada, mas com sinal mais da formação dos Pousos, e foi já perto do intervalo que o GRAP voltou a ameaçar o golo quando a defesa da Bajouca aliviou mal a bola, com o esférico a sobrar para Pedro Domingues que, na cara de Pedrosa, rematou por cima.
Na segunda parte o jogo foi totalmente diferente, com o GRAP a imprimir mais velocidade e qualidade ao seu futebol, o que se traduziu em golos. Antes disso, houve duas grandes oportunidades para marcar, mas Vieirinha, em ambas, pecou na finalização. Depois surgiu mesmo o golo quando Lucas cruzou para área onde apareceu Cédric a cabecear para o 1-0. Estava feito o mais difícil.
Com o passar do tempo, o GAU mostrava incapacidade para reagir à desvantagem e foi o GRAP quem dilatou após cruzamento de Francisco Reis para o desvio vitorioso de Dany Marques. No minuto seguinte, novo golo para o GRAP após boa jogada de envolvimento, com Dany Marques a oferecer o tento a Vieirinha.
Já perto do final, o GRAP fechou o marcador quando Pedro Domingues colocou a bola na área, a defesa visitante não conseguiu aliviar e Lagoa aproveitou para fazer o gosto ao pé.|

GRAP 4
Mocheco, Lagoa, Lomba, André Amores, Lucas, Fábio Pedro (Migas, 70'), Luisito (Benny, 82'), Vieirinha, Dany Marques, Pedro Domingues, Cédric (Francisco Reis, 75').
Não jogaram: Rui Pedro, Fábio Martins, Pedro Manso, Rodolfo.
Treinador: Marco Aurélio.

GAU 0
Pedrosa, Dilan, Xavi, Fábio Pereira, Fábio Silvério, Mauro Oliveira (Joel, 75'), Jani (c), Nicolas, João Pedro (Dénis, 75'), Kevin (Gonza, 86').
Não jogaram: Miguel, Miguel Silva, Bruno, Ricardo.
Treinador: Milton Branco.

Campo da Charneca, Pousos
Árbitro: Jorge Carreira. Assistentes: Henrique Ramos e Eduardo Menino.
Ao intervalo: 0-0. Espectadores: 150.
Golos: 1-0 Cédric (58’), 2-0 Dany Marques (76'), 3-0 Vieirinha (77’), 4-0 Lagoa (81’).
Disciplina: Amarelo a Lomba (32'), Fábio Pedro (61'), Luisito (66'), Dany Marques (74'), Gonçalo Oliveira (88').

Texto e foto: Luís Conceição - Diário de Leiria

Portomosense arranca na Honra com vitória justa

A AD Portomosense recebeu o CC Ansião e venceu com justiça, por 3-1, numa partida bem disputada entre duas das boas equipas da Divisão de Honra.
Entrou melhor a equipa da casa, a querer impor o seu jogo, no entanto, a primeira grande ocasião de golo pertenceu ao conjunto comandado por Ricardo Silva. Fernandinho conseguiu isolar-se em zona perigosa e, na cara de Jonathan, tentou fazer um chapéu mas atirou por cima, já com o guardião caído no chão.
A toada ofensiva do Portomosense manteve-se e, pouco depois, deu os seus frutos numa boa jogada pela direita finalizada com mestria, de cabeça, por Luiz Fernando, após grande cruzamento de Miguel Velosa.
Os homens de Pedro Solá não tiraram o pé do acelerador e, pouco depois, aumentaram para 2-0. Miguel Velosa, numa brilhante jogada individual, assistiu Luiz Fernando que rematou forte. A bola esbarrou num defesa e sobrou para Velosa que rematou rasteiro e colocado a contar.
Perto do intervalo o Ansião quase reduziu na sequência de um canto em que Dembélé cabeceou forte e colocado, mas um pouco ao lado da baliza. Se não foi à primeira foi à segunda. No minuto seguinte, uma desatenção da defesa da casa deu a oportunidade a Normando de reduzir para 2-1, completamente sozinho, apenas com Jonathan pela frente.
O segundo período começou como o primeiro, com um domínio quase absoluto dos homens da casa, com a diferença que apenas precisaram de 10 minutos para voltar a aumentar a contagem já que uma boa jogada colectiva permitiu que Afonso Feteira oferecesse o 'bis' a Miguel Velosa.
Pouco depois, Miguel Velosa retribuiu a gentileza e com um grande passe isolou Afonso Feteira, mas o avançado, com tudo para fazer o 4-1, perdeu tempo de remate e quando tentou assistir Luiz Fernando já era tarde.
O Ansião respondeu com um remate de Normando, na cara de Jonathan, valendo a coragem do guardião brasileiro, após grande jogada individual e passe de Gabriel Lemos.
Até ao final, o Portomosense dispôs de dois remates de golo, mas ambos saíram a rasar o poste. Primeiro Lico a disparar fortíssimo e de muito longe, e depois Kiko, isolado por Filipe Santiago, também não conseguiu ter sucesso.
Vitória justa da equipa que melhor aproveitou os lances de que dispôs, contudo é de ressalvar a grande valia do plantel do Ansião.|

AD Portomosense 3
Jonathan; Caracol, Trindade, Farruba, Silvério; Igor Cambraia, Rica, Romana; Miguel Velosa (Filipe Santiago, 80’), Afonso Feteira (c) (Lico, 72’), Luiz Fernando (Kiko, 85’).
Não jogaram: Caio Moreira, Tiago Luzio, Zé Sousa, Rodrigo Rivas.
Treinador: Pedro Solá.

CC Ansião 1
João Pedro; Nelson (Jorge, 80’), Vítor Rodrigues, Comboio, Gabriel Lemos; Koné, Rui Castela, Salvadore Sulçe (c) (Pedro, 34’); Normando, Fernandinho (Kamará, 56’), Dembélé.
Não jogaram: Pesca; Alexandre Silva; Rafael, Leonardo.
Treinador: Ricardo Silva.

Estádio Municipal de Porto de Mós
Árbitro: Rafael Marques. Assistentes: Pedro Pereira e Diogo Lucas.
Espectadores: 200. Ao intervalo: 2-1.
Golos: 1-0 Luiz Fernando (19’), 2-0 Miguel Velosa, 2-1 Normando (42’), 3-1 Miguel Velosa (55’).
Disciplina: Amarelo a Vítor Rodrigues (27’ e 44’), Rui Castela (32’), Koné (55’) e Gabriel Lemos (59’). Vermelho por acumulação a Vítor Rodrigues (44’).

Texto e foto: Pedro Sousa - Diário de Leiria

Golo de Marcos ao cair do pano decide jogo equilibrado

O Marinhense B entrou com o pé direito no campeonato, ao vencer o SC Pombal, por 0-1. A equipa da casa dispôs de mais oportunidades para marcar, contudo pecou na finalização, algo que foi bem aproveitado pelos comandados de Vítor Duarte na parte final do encontro.
Apenas aos 16 minutos surgiu a primeira situação de perigo para a equipa da casa, mas Guilherme, em boa posição, rematou por cima da baliza. Dois minutos depois, o Marinhense B esteve perto do golo, mas Lionel realizou uma grande intervenção a remate de Marcos.
Pouco depois, o Sporting de Pombal voltou a criar perigo por intermédio de Alexi, mas David Santos correspondeu com uma enorme defesa.
Perto do intervalo, registo ainda para um remate de Edgar, com a bola a passar perto da baliza pombalense.
No segundo tempo, a primeira oportunidade pertenceu aos locais, com Guilheme a rematar por cima, após passe de Yan. Na resposta, o Marinhense voltou a criar perigo por António, mas Lionel voltou a demonstrar segurança. Numa fase de parada e resposta, os locais voltaram a estar perto do golo por Yan, mas este, com tudo para fazer o golo, rematou por cima.
Voltou a reagir o Marinhense através de John Abraham, mas Lionel correspondeu com mais uma bela intervenção.
Com o golo a poder chegar para qualquer uma das equipas, foi o Marinhense que acabou por chegar ao golo a três minutos do final: num ataque rápido a bola foi colocada em Marcos que, na cara de Lionel, atirou para o fundo das redes.
Até final os locais ainda dispuseram de uma oportunidade soberana para marcar, contudo Guilherme rematou por cima.
Boa arbitragem de Henrique Brites.|

SC Pombal 0
Lionel; Pedro Marques, Fidalgo e Leo (André, 62'); Dedé (Rafael Abreu, 55'), Tião, Vasco e Duary; Guilherme, Alexi e Yan (Duary, 77').
Não jogaram: Luís, Dani, Thales e Cardoso.
Treinador: Ricardo Pateiro.

AC Marinhense ‘B’ 1
David Santos; Vicente, Serginho, Filipe e Edgar; Vitor, Azenha (Tiago Claro, 65') e Elton; Marcos, António (Tiago Costa, 71') e John Abraham (Camará, 77').
Não jogaram: Jorge, Zé Miguel, William e Ricardo Carpinteiro.
Treinador: Vítor Duarte.

Estádio Municipal de Pombal
Árbitro: Henrique Brites. Assistentes: Rodrigo Pedro e Miguel Rebelo.
Ao intervalo: 0-0.
Golos: 0-1 Marcos (87').
Disciplina: Amarelo a Vicente (39'), Azenha (43'), Tião (80'), Edgar (84'), Filipe (90') e Vitor (90+1').

Texto e foto: Cid Ramos - Diário de Leiria

Eficácia ditou leis na Moita do Boi

A Moita do Boi entrou a vencer no campeonato, após vitória sobre o Mirense, por 2-0. A equipa de Marco Gomes foi eficaz, ao contrário do seu adversário que foi bastante perdulário no primeiro tempo.
O primeiro golo dos locais surgiu por Jimmy através de um belo remate de fora da área, sem hipóteses para Ivo Cristo. Seguiram-se dois golos anulados aos visitantes por alegada posição irregular de Testas.
O segundo golo dos locais aconteceu pouco depois, com Nélson Pereira a faturar. Na resposta, o Mirense teve uma soberana oportunidade para reduzir para 2-1, contudo na transformação de um pontapé de penálti, o brasileiro Igor Maicon permitiu a defesa de Rodolfo.
No segundo tempo as situações de perigo escassearam, com os locais a controlarem na perfeição as incidências do encontro. O Mirense já não conseguiu ser tão perigoso como na primeira parte e acabou por não conseguir discutir o resultado.
Boa arbitragem de Gonçalo Teixeira. Muito seguro ao longo de toda a partida e nos dois golos anulados ao Mirense, os assistentes parecem ter decidido bem. |

Moita do Boi 2
Rodolfo; Zezito, Marquito, Paulito e João do Touco; Micael Santos (Calixto, 58'), Sami e Pedrito; Simão (João Cintra, 85'), Nélson Pereira e Jimmy (Dany Fernandes, 86').
Não jogaram: Duarte, Márcio, João Saramago e David.
Treinador: Marco Gomes.

UR Mirense 0
Ivo Cristo, Gonçalo Alves, Diogo Caetano, Kevin (Marinho, 69') e Crespo (Edu, 46'); Fernando, Rodrigo Damasceno, Rafael Matias (João Rafael, 26') e Igor; João Matias e Testas.
Não jogaram: Pedro Fojó, Nuno Caetano, Tomás Santos.
Treinador: César Carvalho.

Campo da Guarita, Moita do Boi
Árbitro: Gonçalo Teixeira. Assistentes: Nuno Rodrigues e João Santos.
Ao intervalo: 2-0.
Golos: 1-0 Jimmy (21'), 2-0 Nélson Pereira (33').
Disciplina: Amarelo a Crespo (35')

Texto: Pedro Jorge - Diário de Leiria
Foto: Hélder Ferreira

Confirmação: Portomosense joga com o Alverca à porta fechada

O jogo da 2.ª eliminatória da Taça de Portugal entre a Associação Desportiva Portomosense e o FC Alverca vai ser disputado à porta fechada, no próximo domingo, no Estádio Municipal de Porto de Mós, isto na sequência de um castigo aplicado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Esta foi uma decisão tomada pelo Conselho de Disciplina da FPF, na semana passada, organismo que multou ainda o clube de Porto de Mós em 1275 euros e suspendeu o jogador Elton Cruz em 30 dias.
Este castigo está relacionado com o jogo da 1.ª eliminatória da Taça de Portugal que opôs o GRAP ao Portomosense (2-3), em que os visitantes utilizaram Elton Cruz no onze inicial, incorrendo numa irregularidade já que o médio estava impedido de ser utilizado por castigo federativo.
O caso remonta a 18 de Dezembro de 2016 numa altura em que Elton Cruz representava o Alcanenense no Campeonato de Portugal. Nessa data, o médio foi expulso num jogo por agressão ao árbitro e viu ser-lhe instaurado um processo disciplinar, confirmando-se mais tarde um castigo de cinco jogos.
Poucos dias depois, a 18 de Janeiro de 2017 o jogador abandona o Alcanenense e 'desce' aos campeonatos distritais para representar o Portomosense. Com esta 'transferência' o jogador acabou por nunca cumprir castigo, já que o mesmo só se aplica a jogos organizados pela FPF. No caso dos campeonatos distritais, os mesmos estão sob alçada das respectivas Associações de Futebol.
Quase dois anos e meio depois do castigo inicial, a sanção voltou a 'assombrar' Elton Cruz que jogou numa prova organizada pela FPF, como é o caso da Taça de Portugal, quando não o poderia ter feito. Ao que o Diário de Leiria conseguiu apurar, a actual direcção do Portomosense desconhecia o castigo tendo em conta que está em funções há relativamente pouco tempo e o próprio jogador nunca deu conta do sucedido.
Nesse sentido, o Portomosense foi informado na passada sexta-feira do castigo aplicado, nomeadamente do jogo à porta fechada, o que acontecerá no confronto de domingo frente ao FC Alverca para a Taça de Portugal.
Por outro lado, sabe o Diário de Leiria, os responsáveis do GRAP já manifestaram descontentamento pela decisão da FPF, isto porque consideram que o Portomosense deveria ter sido afastado da competição em prol do GRAP, como já aconteceu em casos idênticos. Contudo, pelo que conseguimos apurar, o Portomosense não foi afastado da Taça de Portugal porque o resultado foi entretanto homologado pela FPF ainda antes deste processo estar a decorrer, pelo que a “sanção de derrota” é “substituída pela sanção de multa e por um jogo à porta fechada”, como se pode ler no comunicado oficial do Conselho de Disciplina.|

Texto e foto: José Roque - Diário de Leiria

terça-feira, setembro 24, 2019

Ricardo Parracho homenageado pela UD Serra

O jogo do passado sábado de apresentação da equipa da União Desportiva da Serra, serviu também para o clube de Santa Catarina da Serra homenagear Ricardo Parracho, que depois de muitos anos como jogador, esta temporada fará parte da equipa técnica do clube.
Com uma carreira ímpar, Ricardo Parracho despontou no Sport Lisboa e Marinha, clube do qual transitou para o CF "Os Belenenses", onde completou a sua formação. Enquanto sénior, o defesa natural da Vieira de Leiria, representou o CD Fátima, AC Marinhense, CA Ouriense e União da Serra, onde ao todo, completou dez temporadas, tendo feito parte das grandes equipas do clube que competiram nos Campeonatos Nacionais.

‘Bebés’ dos Marrazes vencem e convencem

Num jogo com raríssimas oportunidades de golo, um tento solitário de Celso Vieira selou o triunfo do Marrazes diante da Pelariga por 1-0, conferindo justiça ao marcador. A formação da casa, formada por jogadores de tenra idade, mostrou que tem futebol para ombrear com equipas com outros argumentos mas, para já, entrou da melhor maneira no campeonato.
Os primeiros minutos foram equilibrados, mas com maior pendor ofensivo da turma da casa que conseguiu construir várias jogadas que culminaram em cruzamentos para a área, mas apenas por uma vez, através de um remate por cima de João Marques, é que o Marrazes conseguiu criar algum perigo.
Do lado da Pelariga, o melhor que se viu foi um remate de longa distância de André Simões que Marcelo encaixou com segurança.
Ao intervalo, o numo castigava a incapacidade das duas equipas de chegar com perigo à baliza contrária.
Na segunda parte, o jogo recomeçou sem grandes motivos de interesse, com a toada da partida a manter-se, até que aos 60' minutos, numa jogada de insistência e bem construída pelo Marrazes, Juninho, na esquerda, cruzou rasteio para a área onde apareceu o central Celso Vieira que, à ponta de lança, desviou para o golo inaugural.
A Pelariga tentou reagir, mas continuou a ser o Marrazes a equipa mais perigosa, com Bruno Morais a deixar novo aviso com um remate de longe que obrigou João Malva a defesa a dois tempos.
Com o passar do tempo, o Marrazes foi gerindo a vantagem perante uma Pelariga sem argumentos e incapaz de criar perigo, pelo que o apito final do árbitro só veio confirmar a vitória justa da equipa da casa.
Arbitragem a roçar a perfeição do trio liderado por Eduardo Brites.|

SCL Marrazes 1
Marcelo, Tiaguinho, Celso Vieira, Diogo José, Diogo Carvalho (Mini, 82'), Bruno Morais, Diogo Gomes (Luís Franco, 68'), Juninho, João Marques, Sima, Bernardo Ramos (Élvis, 90+2').
Não jogaram: Tiago Gordalina, Caio Souza, Zimas, PS.
Treinador: Mário Artur

GD Pelariga 0
João Malva, Balteiro, Digo (c), Frade, Rúben Santos, André Simões (Rúben Silva, int.), Zé, João Silvério (Coimbra, 77'), Vítor Moura, Carlos Patrício (Hugo Eusébio, 64'), Júnior.
Não jogaram: Rodrigo, Joel, Zé Carvalho, Flávio.
Treinador: Carlos Soares

Campo Aldeia do Desporto, Marrazes
Árbitro: Eduardo Brites
Auxiliares: Bruno Colaço e Francisco Ferreira.
Espectadores: 150
Ao intervalo: 0-0
Golos: Celso Vieira (60')
Disciplina: Amarelo a Juninho (34'), Zé (61'), Luís Franco (74'), Júnior (78'), João Marques (81'), Bruno Morais (86').

Texto e foto: José Roque - Diário de Leiria

Alqueidão aproveita superioridade numérica com eficácia

O Vieirense entrou no campeonato vergado a uma pesada derrota caseira (2-5), num jogo em que até começou melhor e esteve em vantagem, mas uma expulsão no final da primeira parte e um Alqueidão da Serra forte na segunda ditou o resultado final.
Foi a equipa da casa quem melhor entrou na partida, e desde cedo mostrou que queria entrar no campeonato com o pé direito. Assim, logo aos 5’, o Vieirense esteve perto de inaugurar o marcador, mas Ruben Fernandes falhou por pouco a emenda. Na resposta o Alqueidão criou muito perigo por intermédio de Vasco que ganhou em velocidade aos defensores mas valeu o guardião Rúben a fechar bem o caminho da baliza.
Nesta fase, o Vieirense estava melhor na partida e Baixinho criou muito perigo, mas falhou o remate. Pouco depois, Alex foi derrubado na área serrana e, na marca dos 11 metros, André Cruz abriu o activo (1-0), colocando o Vieirense em vantagem.
Os visitantes reagiram bem ao golo sofrido e equilibraram as acções ao meio-campo, chegando com mais frequência à baliza contrária. Já perto do intervalo, o Vieirense ficou reduzido a 10 unidades com a expulsão de Rabi, por duplo amarelo, e puco depois Dady restabeleceu a igualdade.
A segunda metade previa-se difícil para a equipa da casa, e Araújo confirmou isso ao consumar a reviravolta logo nos minutos iniciais com um bom remate cruzado.
O Vieirense ainda esboçou alguma reacção, mas Miguel mostrou-se inspirado e defendeu para canto um golpe de cabeça de Ruben Fernandes que levava selo de golo. Baixinho pouco depois também tentou o golo, mas viu o seu remate sair por cima da barra.
Do outro lado o Vasco encarregou-se de converter um pontapé de penálti cometido sobre si para ampliar o resultado (1-3).
Os anfitriões sentiram, e de que maneira, o terceiro golo e, pouco depois, os visitantes aproveitaram para ampliar através de David. O 1-5 não tardou muito com Araújo a bisar na partida com um ‘chapéu’ bem medido.
Até final o melhor que o Industrial conseguiu foi reduzir para 2-5 por Teles num bom trabalho do ponta de lança.
Arbitragem positiva de Diogo Oliveira, não isenta de pequenos erros, mas assertiva nos lances decisivos. |

ID Vieirense 2
Ruben, Daniel, Rabi, Ruben Fernandes, Freitas, Gerson, Letra (c), André Cruz (Coelho, 81’), Alex (André Lourenço, int.), Baixinho (Carlos, 70’) e Teles..
Não jogaram: German, Luis Carlos, Hércules e Botas.
Treinador: Luciano Silva.

CCR Alqueidão Serra 5
Miguel, Lúzio, Tiago Cerejo, David, Graça, Chiquinho (João Matos, 86’), Leandrito (c) (Conca, 68’), Araújo, Dady, Rudy e Vasco (Colaço, 82’).
Não jogaram: André, Luis Correia, Kiko e Fitas.
Treinador: Filipe Faria.

Estádio Albano Tomé Feteira, Vieira de Leiria
Árbitro: Diogo Oliveira.
Auxiliares: Bruno Vieira e Eduardo Gomes.
Espectadores: 230.
Ao intervalo: 1-1
Golos: 1-0 André Cruz (10’, p.), 1-1 Dady (45’), 1-2 Araújo (56’), 1-3 Vasco (77’, p.), 1-4 David (80’), 1-5 Araújo (86’), 2-5 Teles (87’).
Disciplina: Amarelo a Chiquinho (5’), Alex (13’), Rabi (33’ e 45’), Baixinho (38’), Rabi (44’), Leandrito (49’), Freitas (58’), Daniel (61’), Ruben (76’), André Cruz (80’), João Matos (89’). Vermelho por acumulação a Rabi.

Texto e foto: Carlos Pinheiro - Diário de Leiria

Goleada contra a crise

Num relvado municipal que já viu melhores dias, a UD Leiria deu um pontapé na crise e logo com uma goleada já que a primeira vitória da época foi substanciada num resultado 6-0 num desafio que acabou por não ter grande história, tendo em conta que os escalabitanos ofereceram pouca resistência.
A UD Leiria entrou forte no jogo e decidida a inverter a senda de maus resultados. Assim, logo aos 3', no seguimento de um livre lateral de Danny Choi, Dénis apareceu ao segundo poste, mas o cabeceamento sai por cima da baliza. Ficava o aviso e, pouco depois, num lance quase tirado a papel químico, mas do lado esquerdo do ataque, surgiu um cruzamento para a área, e Laércio Morais a saltar mais alto que toda a gente para, de cabeça, fazer o golo inaugural.
Nesta fase a UD Leiria estava claramente por cima do jogo, e pouco depois, aos 14', João Lameira, na marcação de um livre, levou novamente o perigo junto da baliza da UD Santarém.
Com uma boa dinâmica ofensiva, a equipa da casa era dona e senhora do jogo, perante uma equipa de Santarém, algo surpreendida com as boas movimentações ofensivas do adversário. Assim não foi de estranhar que aos 29', novamente num lance de bola parada, Jahfort tenha saltado mais alto para fazer o 2-0, após canto de João Lameira.
A UD Santarém ia mostrando muitas fragilidades defensivas, e pouco depois, aos 33', no seguimento de mais um cruzamento para a área, Fábian Cuero, oportuno, fez o 3-0. Praticamente no lance seguinte, bola recuperada pela UD Leiria, e João Lameira, com um remate colocado à entrada da área, fez mais um golo, colocando a equipa da casa a vencer por claros 4-0.
Parecia que as coisas não podiam ficar piores para a UD Santarém, mas foi puro engano, pois aos 41', a equipa treinada por André Luís viu-se reduzida a dez unidades, num lance em que Yaka Medina recebeu ordem de expulsão, após travar irregularmente Onyeka, num lance de novo golo eminente para os leirienses.
Apesar da vantagem dilatada, a UD Leiria não desacelerava e, aos 45', foi Danny Choi que vai ter mais um lance muito perigoso, mas o desvio frente a Diogo Ferreira saiu fraco, e com a defesa visitante a conseguir o corte.
Em vantagem confortável no jogo, a etapa complementar começou naturalmente com um ritmo mais baixo, com a equipa da casa em gestão da vantagem clara que possuía. Ainda assim, a UD Leiria tinha o controlo total do jogo e, aos 62', no seguimento de uma boa jogada colectiva, Onyeka apareceu isolado na cara de Diogo Ferreira e, por muito pouco, não fez o 5-0.
Pouco depois, novo lance de perigo, com Nuninho a trabalhar bem na esquerda e a colocar em Danny Choi que, dentro da área, e com um remate colocado, levou a bola a bater caprichosamente na barra da baliza visitante.
A UD Leiria estava novamente mais pressionante e, aos 73', num lance algo caricato em que a defesa da UD Santarém ficou novamente mal na fotografia, Onyeka ampliou a vantagem para 5-0.
Pouco depois, na sequência de um contra-ataque rapidíssimo, boa triangulação no ataque da equipa de Leiria, com a bola a chegar a Danny Choi que, dentro da pequena área, finalizou fácil para o 6-0 final.
Foi preciso esperar quase 90 minutos, para a UD Santarém criar um lance de verdadeiro perigo, com Tomás Cardoso a obrigar Fábio Ferreira a uma defesa apertada para canto.
Vitória indiscutível da UD Leiria, num jogo em que os números espelham bem o que aconteceu dentro das quatro linhas, tal o domínio da equipa de Filipe Cândido.
Num jogo fácil, boa arbitragem do trio que viajou de Lisboa. |

UD Leiria 6
Fábio Ferreira, João Dias (c) (Tomás Silva, int.), João Cunha, Laércio Morais, Dénis, João Lameira (Usalifa Indi, 64'), Heli, Jahfort, Danny Choi, Onyeka, Fábian Cuero (Nuninho, 58')
Não jogaram: Filipe Dinis, Vlad, Bruno Cepeda, João Vítor.
Treinador: Filipe Cândido.

UD Santarém 0
Diogo Ferreira, Miguel Lopes, Ganhão (c), Yaka Medina, Leo (Pratas, 79'), Saavedra, Pedro Augusto (Fabinho, 68'), João Martins, Tomás Cardoso, Grilo, Pires.
Não jogaram: Coli, Didi, Nuno Longo, Mendonça, Allan Peixoto.
Treinador: André Luís.

Estádio Municipal de Leiria
Árbitro: Árbitro: José Quitério Almeida (AF Lisboa).
Auxiliares: Assistentes: Ricardo Oliveira e Bruno Veloso.
Ao intervalo: 4-0
Golos: 1-0 Laércio Morais (6'), 2-0 Jahfort (29'), 3-0 Fábian Cuero (33'), 4-0 João Lameira (35'), 5-0 Onyeka (73'), 6-0 Danny Choi (76').
Disciplina: Amarelo a Grilo (14'), Pedro Augusto (32'), Fábian Cuero (58'), João Martins (59'), Tomás Cardoso (62'), Heli (80'). Vermelho directo a Yaka Medina (41').

Texto: Pedro Almeida - Diário de Leiria
Foto: Luis Filipe Coito

Pedro Faustino: “O Caldas foi o melhor que me podia ter acontecido”

Pedro Faustino foi eleito pela Associação de Futebol de Leiria o melhor jogador no distrito na época 2018/2019, oportunidade perfeita para o Diário de Leiria revisitar a carreira do talentoso médio ofensivo numa entrevista em que o atleta do Caldas SC abriu o livro sobre a sua formação no Sporting SC, sobre a grave lesão que quase lhe colocou um ponto final na carreira, como voltou a ser feliz a jogar futebol no SCL Marrazes e como a época passada acabou por ter um sabor amargo ao serviço do AC Marinhense.

Como é que surgiu essa paixão pelo futebol?
Desde que eu me lembro (risos). Lembro-me de ter quatro ou cinco anos e de estar sempre a chatear os meus pais porque queria ir para uma equipa. Surgiu a hipótese de ir para a UD Leiria e, na altura, não era muito usual miúdos tão novos irem para lá, mas aceitaram-me e tudo começou a partir daí.

Como foram esses primeiros tempos? Que memórias tem dessa altura?
Tenho memória de ser claramente o mais pequeno, mas lembro-me de os meus colegas ficarem encantados por já conseguir fazer coisas tão especiais com a bola. Era evoluído para aquela idade.

Tão evoluído que acabou por ir para o Sporting...
Fui para o Sporting com 10 anos. Nessa altura fazia quatro ou cinco golos por jogo e acabei por chamar a atenção do Sporting e por fazer testes de captação. Éramos cerca de 25 ou 30 do País todo e, logo o primeiro teste, quiseram ficar comigo. Nos primeiros dois anos, por não ter idade para ir para a Academia [do Sporting], treinava na UD Leiria e jogava lá ao fim-de-semana, mas depois, aos 12 anos, fui convidado para integrar a Academia. Tive que deixar tudo em Leiria para ir para lá.

Como é que lidou com essa mudança?
Na Academia do Sporting já tínhamos pessoas a tomar conta de nós, psicólogos, pessoas que nos levavam à escola. A adaptação era mais fácil porque já tínhamos certas coisas garantidas. Havia uma estrutura que nos protegia. A nível pessoal, porque sou uma pessoa mimada e muito ligada à família, não foi fácil, mas como a paixão pelo futebol era tanta acabou por tornar-se fácil.

É difícil, com essa idade e estando no Sporting, manter os pés no chão?
O facto de ser jogador do Sporting e de estar naquele patamar fez-me desviar um pouco dos estudos porque vivíamos muito focados naquilo. Já tinha treinos específicos e às vezes treinos bi-diários. Vivíamos tanto o futebol que acabávamos por nos desviar de tudo o resto e foi difícil conseguir manter o mesmo nível nos estudos. A escola quase que era secundária para nós.

Nesse período, com que jogadores privou no balneário que agora são conhecidos dos portugueses?
Os que mais se destacaram e que me lembro agora foram o João Mário [Lokomotiv de Moscovo], o Ricardo Esgaio [SC Braga], Ricardo Pereira [Leicester] ou o João Carlos Teixeira [Vitória SC].

Olhando para esses casos de sucesso e naquilo que poderia ter sido a sua carreira, o que lhe vem à cabeça?
Sinto que a nível de capacidades técnicas poderia estar no mesmo patamar, mas eles atingiram um certo nível de maturidade mais cedo e conseguiram perceber o que era importante para se chegar a um nível de topo, e isso só aconteceu mais tarde comigo.

No escalão de juvenis regressa à UD Leiria. Como foi deixar esse sonho de Alcochete?
Aceitei bem porque na altura foi uma decisão tomada por mim. Nos iniciados do Sporting, por uma questão de falta de físico – era muito pequeno e era constantemente colocado de parte - era pouco utilizado, sentia-me descontente e acabei por sair. Aliás, no final essa época de iniciados, tínhamos um torneio na Holanda e o treinador chegou ao pé de mim e disse que não podia levar-me porque os holandeses eram muito mais altos e que eu ia ficar de fora, mesmo sendo tecnicamente evoluído. Nesse dia liguei aos meus pais e disse que me queria ir embora.

Deve ter sido duro ouvir essas palavras…
Foi muito duro. Uma das grandes injustiças que tive que lidar na formação foi perceber que muitas das vezes privilegia-se o físico em detrimento da qualidade técnica e do talento. Eu sofri muito com isso. É um paradigma que está a mudar a pouco e pouco, mas na altura acabei por sofrer muito com isso. Acima de tudo deve-se olhar para um jogador e promover o seu potencial independentemente do seu crescimento físico.

No regresso à UD Leiria voltou a sentir-se útil?
Adaptei-me bem porque foi um regresso a casa e a certas coisas de que já tinha saudades. Contudo, quando estava a dar um ‘salto’ no meu crescimento tive uma lesão na anca. Foi a fase mais difícil da minha vida. Basicamente tinha uma deformação na cabeça do fémur que fazia com que tivesse um osso a roçar no osso.

Como lidou com isso?
Isto aconteceu no meu 2.º ano de juniores. Para além de se ter demorado muito tempo para detectar o meu problema, tinha muitas dores. Passei imenso tempo a fazer fisioterapia e a tentar recuperar. Não me conseguiram fazer o diagnóstico logo e quando isso finalmente aconteceu tive que ir a várias consultas, até que fui operado em Espanha. Com isto tudo tinha perdido dois anos. Na transição de júnior para sénior foi muito complicado por causa disso. Tive que ficar parado. Foi muito difícil de lidar. Sentia que tinha futuro no futebol e que tinha perdido uma fase importante, em que tive dois anos sem poder fazer aquilo que mais gostava.

Temeu que essa lesão fosse um ponto final na sua carreira?
Sim. Na altura tinha muitas dores e não me conseguia imaginar sem aquela lesão, era como se fizesse parte de mim.

Depois dessa fase negra, como é que se sentiu ao regressar aos campos?
Confesso que, por precipitação minha, não fiz bem a recuperação. Tinha de cumprir várias etapas, mas a ânsia era tanta que acabei por saltar certas etapas, o que não foi positivo. Além disso, como tive dois anos parado, estava muito limitado. Na altura só queria voltar a ser feliz e voltar a fazer aquilo que mais gostava, mas ainda me sentia muito afectado. Demorei muito tempo a ficar ao nível que agora consegui atingir. Na altura estava bastante desmotivado porque pensava que já tinha passado o pior, mas não foi bem assim porque foi um processo lento até ficar bem, de sentir fisicamente aquela leveza que nos permite ter agilidade.

Nesses anos passa por GRAP, Alqueidão da Serra, Vitória de Sernache, Académica B e SC Pombal, mas não se sentia verdadeiramente feliz…
Não estava focado no futebol. Basicamente nesta altura andava no futebol mais porque as pessoas me ‘chateavam’ do que por vontade própria e compromisso, porque não me sentia bem depois da lesão. A seguir ao Sernache tinha metido na cabeça que ia deixar de jogar futebol, mas na Académica acabaram por me dar esperança que ainda podia chegar lá. Foi o ponto de viragem na minha mentalidade.

Há muitas pessoas ligadas ao futebol que dizem que o Pedro tem muito talento mas que lhe faltava ‘cabeça’. Acha essa crítica justa ou as pessoas não compreendem aquilo por que passou?
Não vou dizer que sou exemplar, mas sei que grande parte do meu percurso foi afectado por alguns azares e que ainda hoje me afectam, mas que estou a tentar deixar para trás. Estou praticamente curado do problema [lesão] que tive e hoje isso não me impede de poder ir mais longe no futebol.

Foi no SCL Marrazes, em 2017/2018, com o treinador Marco Aurélio, que voltou a ser feliz?
Considero o Marrazes o meu grande ponto de viragem, acima de tudo na maneira como via o futebol. Sentia que a paixão que tinha ficado adormecida tinha voltado e que sentia uma alegria enorme em jogar à bola. É um ano que vou recordar para sempre.

Por que foi tão marcante para si?
Pelo grupo, pelo espírito no balneário. Éramos muito unidos. Para além de colegas eramos amigos e, acima de tudo, porque tínhamos um treinador [Marco Aurélio] em que me revia a 100% na forma de estar e na forma de ele pensar o jogo. Sentia um prazer muito grande de estar dentro de campo e de jogar de acordo com a forma dele pensar.

Depois do Marinhense, entra no seu caminho o Caldas, clube que representa actualmente. Como tem sido a experiência?
Foi a melhor coisa que me aconteceu pelo espírito que se vive no Caldas. É um clube com muita estabilidade, damo-nos todos como uma verdadeira família e, neste momento, o ‘chip’ é completamente diferente. Sinto que estou muito mais comprometido, mais adulto e com muito mais vontade do que há alguns anos atrás. Estou muito mais focado, mais feliz e estou a ter muito prazer em jogar.

Com 26 anos como é que projecta a sua carreira?
Neste momento vivo mais o presente. Já tive muitos sonhos que não se realizaram e agora consigo viver mais o dia-a-dia e desfrutar deste momento sem fazer grandes planos para o futuro. Este ano gostava de fazer uma boa época e de me destacar na competição, mas tento apenas desfrutar da realidade e tentar fazer o melhor possível.

Foi eleito o melhor jogador do distrito na época 2018/2019 pela AF Leiria. O que representa este prémio para si?
Este prémio é, acima de tudo, mais importante para a minha família que me tem acompanhado principalmente nos últimos anos no futebol. Sei que sentem um orgulho enorme. Pessoalmente é bom porque depois de todos os objectivos colectivos terem sido cumpridos [no AC Marinhense] é sempre bom ser destacado naquela super equipa.|

Na temporada passada, Pedro Faustino estava a ser um dos principais obreiros da excelente campanha do AC Marinhense na Divisão de Honra e na Taça do Distrito. Contudo, na recta final da época, o médio ofensivo deixou de entrar nas contas do treinador e falhou a final da Taça e da Supertaça. Pedro Faustino abriu o livro e conta ao Diário de Leiria tudo o que aconteceu.

Depois do Marrazes, tanto o Pedro como o treinador Marco Aurélio foram para o Marinhense, para aquela super equipa que ganhou tudo, mas as coisas não acabaram bem…
Quando o Marco [Aurélio] soube que ia para o Marinhense convidou-me e eu disse logo que sim. Foi uma época que correu super bem. Conquistámos tudo aquilo que havia para conquistar, mas teve um final amargo.

Amargo por não ter disputado os últimos jogos, nomeadamente a final da Taça e da Supertaça? O que aconteceu?
Depois de já termos garantido o título distrital, foi me proposta a renovação, mas não houve acordo de valores. A partir daí o Marinhense decidiu castigar-me. Fiquei proibido de jogar. Ainda pensei que pudéssemos chegar a um acordo, mas os castigos teriam que ser retirados porque eu merecia jogar por tudo aquilo que tinha feito durante a época. A minha vontade era ficar no Marinhense, mas tinha que haver justiça nos valores.

Nessa altura treinava com a equipa ou foi afastado?
O que me disseram na altura foi isto: ou ia embora e não recebia nada ou continuava a ir aos treinos – mesmo não jogando – e recebia tudo no final da época. Infelizmente isso não aconteceu porque não pagaram.

Sentiu-se injustiçado?
Sem dúvida alguma, mas já faz parte do passado. Sinto-me injustiçado por tudo o que dei àquele clube e por me terem privado de jogar duas finais que eram muito importantes. Eu disse ao presidente [Bruno Ferreira] que ficava no Marinhense, mas tinham que me deixar jogar as duas finais. Ele disse que sim e até tínhamos chegado a acordo de verbas, mas queriam que eu assinasse logo um contrato. Para mim, por uma questão de orgulho e princípio, eles primeiro tinham que me deixar jogar e depois assinava contrato. Eu propus-lhe apertar a mão em sinal que seria jogador do Marinhense e que assinava no final da época tendo em conta as circunstâncias, mas ele não me apertou a mão.|

José Roque - Diário de Leiria

Jogo da Taça de Portugal GRAP - AD Portomosense ainda promete dar muito que falar

O jogo da I Eliminatória da Taça de Portugal 2019-2020, que a AD Portomosense venceu por 2-3 frente ao GRAP promete vir ainda a dar muito que falar. Isto porque, no comunicado da Federação Portuguesa de Futebol de dia 20 de Setembro, a AD Portomosense, foi castigada com uma multa de 1275 euros, e um jogo à porta fechada, por utilização irregular do jogador Elton Cruz, o qual foi castigado com um mês de suspensão. Na base deste castigo, está o facto de o atleta ter um castigo ainda a cumprir desde 2016, em jogos organizados pela Federação Portuguesa de Futebol.
No entanto, neste mesmo comunicado a FPF reafirma a homologação da vitória da AD Portomosense no jogo e a consequente passagem à II Eliminatória da Taça de Portugal, situação com a qual o GRAP não concorda, pois o clube dos Pousos considera que a utilização deste jogador de forma irregular, trouxe benefícios à equipa de Porto de Mós, e que no final de tudo, o GRAP acaba lesado por esta situação, pelo que irá fazer uma exposição à FPF de forma a mostrar os seus argumentos perante esta situação.

domingo, setembro 22, 2019

1ªJornada - Divisão de Honra 2019-2020 / Seniores

Resultados da 1ºJornada - 22/9/2019
ID Vieirense  2 - CCR Alqueidão da Serra 5
Moita do Boi  2 - UR Mirense 0
SCL Marrazes 1 - GD Pelariga 0
GD Peniche 2 (Hugo Duarte e Motinha) - GDR Boavista 0
SC Pombal  0 - AC Marinhense B 1
GRAP 4 (Cedric, Dani, Vieirinha e Lagoa) - GAU/Bajouca 0
AD Portomosense 3 ( Luiz Fernando e Miguel Velosa 2) - CC Ansião 1 (Normando)
GC Alcobaça 0 - GD Guiense 1
--
--
Próxima Jornada - 29/9/2019
AC Marinhense B - ID Vieirense
CC Ansião - SCL Marrazes
GD Guiense - SC Pombal
GD Pelariga - GRAP
UR Mirense - GC Alcobaça
CCR Alqueidão da Serra - GD Peniche
GAU/Bajouca - Moita do Boi
GDR Boavista - AD Portomosense

sábado, setembro 21, 2019

César Carvalho: “O principal objetivo é assegurar a manutenção”


Quais são os objetivos da UR Mirense para a época que vai agora começar?
O principal objetivo para a nova época é assegurar a manutenção o mais rápido possível, mas claro que temos objetivos e ambições internos que estão definidos.

Como caracteriza o plantel que construiu?
O nosso plantel foi construído mediante as condições económicas que temos, e posso afirmar que temos os melhores. O nosso plantel é dos mais jovens do nosso campeonato, temos “miúdos” com muita ambição, humildes e muito trabalhadores.

Que comentário lhe merece o sorteio do calendário?
Nunca é como queremos, claro que preferia outro tipo de adversários nas primeiras jornadas, mas temos de jogar com todas as equipas.

O primeiro jogo é fora, frente ao Moita do Boi. Quais são as expectativas?
Preferia jogar em casa a primeira jornada, sentir o apoio dos nossos adeptos. Jogamos com uma equipa que na última época subiu de divisão com alguma vantagem pontual, logo esperamos um adversário difícil. As nossas expectativas são entrar em todos os campos para pontuar, este não vai ser um jogo diferente.

Que importância vão ter os adeptos para a presente temporada?
Os nossos adeptos são muito importantes para a equipa, são eles que nos podem dar força que muitas vezes vem do lado de fora do campo. Quero deixar uma palavra em especial para a nossa claque – os Black Angels – que são fantásticos e estão em todo lado para apoiar a equipa.

Que promessa pode deixar aos adeptos?
Prometemos melhorar de ano para ano, marcar mais golos do que na época passada, sofrer menos. Prometemos trabalho, em busca da vitória domingo após domingo.

Plantel da União Recreativa Mirense 2019-2020
Guarda-redes: Ivo Cristo (ex-Almeirim) e Nuno Caetano
Defesas: Gonçalo Crespo, Gonçalo Alves, Kévin Miranda, Diogo Caetano, Tomás Guerreiro (ex-jun. Fátima), Edu Ferreira, Diogo Fonseca
Médios: Mário Susano, Fojo, Rodrigo Damasceno, Rafael Matias, Fernando Pedreiro (ex-Alcanenense), Edgar (ex-Torres Novas), João Matias, Igor Marcon
Avançados; Testas, Rafa (ex-Torres Novas), Leandro Daniel, Pedro Pereira (ex-jun. Vasco da Gama), Victor Popescu
Treinador: César Carvalho
Treinador-adjunto: Pedro Martins
Treinador de guarda-redes: Fábio Oliveira

Fonte: O Portomosense

GD Ilha apresenta-se aos sócios no próximo dia 29 de Setembro


A equipa principal do Grupo Desportivo da Ilha iniciou os trabalhos para a época 2019/2020 no passado dia 24 de Agosto sob a orientação do novo treinador Rui Franco e do seu adjunto Hélder Gomes. 
São reforços para a nova época os atletas Joni Alberto (ex-GD Guiense), João Gonçalves (ex-GD Guiense), David Olaio (ex-GD Guiense), Fábio Esperança (ex-Grupo Alegre e Unido), Alexandre Carvalho (regresso), Rúben Sousa (ex-futsal), Delmar Alberto (inativo), Alexandre Teixeira (inativo), Eduardo Francisco (inativo) e Francisco Santos (ex-Juve Lis). A estes jogadores juntam-se os promovidos do escalão Júnior: Telmo Gaspar, Guilherme Mendes e Diogo Francisco. Os objetivos da equipa passam por melhor a prestação da época passada lutando pelos lugares do topo da tabela classificativa. A apresentação da equipa aos sócios e simpatizantes está agendada para o próximo dia 29 de Setembro num triangular no Campo das Lagoas com a presença do GD Santo Amaro e GD “Os Vidreiros”. 

Plantel Grupo Desportivo da Ilha 2019-2020
Guarda-Redes: Bruno Santos e Telmo Gaspar 
Defesas: Dima, Francisco Santos, João Gonçalves, Alexandre Teixeira, Diogo Pedrosa, Francisco Silva Santos, Alexandre Carvalho, David Olaio, Rúben Sousa, Jimmy Santos e João Ferreira
Médios: Vasco Couto, Guilherme Mendes, André Fernandes, Eduardo Francisco, Fábio Esperança e Delmar Alberto
Avançados: Francisco Loureiro, Diogo Fernandes (Skender), João Alves (Jota), Joni Alberto, David Fernandes, Diogo Anselmo, Diogo Francisco, Rúben Soares e Rodrigo Graça. 

Pedro Solá: “Os nossos adeptos têm sido incansáveis”


Quais são os objetivos do Portomosense para a época que vai agora começar?
Os objetivos passam por fazer um campeonato competente, pensando sempre em apresentarmo-nos dentro de campo com uma dinâmica forte e um futebol positivo. Acredito que temos todas as condições para sermos competitivos, mas teremos que trabalhar afincadamente porque a nossa meta é pensar nas coisas jogo a jogo e não mais que isso.

Como caracteriza o plantel que construiu?
Temos um plantel que alia jogadores com uma vasta experiência com jovens que têm um potencial tremendo. É uma mescla que agrada a qualquer treinador, mas, acima de tudo, interessava-me ter um plantel de homens comprometidos com o projeto e que sentissem o emblema. Acho que isso foi conseguido.

Que comentário lhe merece o sorteio do calendário?
Vejo o calendário com alguma relatividade porque a verdade é que vamos ter que jogar contra todos e o nosso principal foco é estarmos preparados para cada desafio.

O primeiro jogo é em casa frente ao Ansião. Quais são as expectativas?
O facto de jogarmos o primeiro jogo em casa é importante porque vamos poder contar com o carinho dos adeptos. Contudo vamos defrontar uma equipa com bons valores individuais e que é muito bem orientada pelo Ricardo Silva. Será certamente um bom espetáculo de futebol e que possamos estar a um bom nível que nos permita vencer.

Que importância vão ter os adeptos para a presente temporada?
Os nossos adeptos têm sido incansáveis e estão ao nosso lado em todos os momentos. O que podemos pedir mais? Os jogadores sentem que do lado de fora do campo contam com essa ajuda extra, uma força que os leva a dar um pouco mais de si próprios.

Que promessa pode deixar aos adeptos?
A única promessa que se pode fazer nesta altura é que tudo iremos fazer para dignificar este clube histórico e que vamos trabalhar arduamente para o concretizar.

Plantel AD Portomosense 2019-2020
Guarda-redes: Jonathan (ex-Inter Lages, Brasil), Caio Moreira e Makê
Defesas: Ilyas (ex-jun. UD Leiria), Farruba, Alexandre Trindade (ex-Académica), João Faustino
Médios: Hugo Romana (ex-jun. Oliveirense), Rica, Igor Cambraia (ex-Lajeadense, Brasil), Bóris, Elton Cruz, Filipe Santiago
Avançados; Luiz Fernando (sem clube), Rodrigo Rivas, Kiko (ex-Mirense), Zé Sousa, Miguel Velosa (ex-jun. Sporting), Tiago Lúzio (ex-Mirense), Afonso Feteiro, Vilson Soares (ex-Carção)
Treinador: Pedro Solá
Treinador-adjunto: João Sousa
Treinador de guarda-redes: Tiago Santos
Preparador Físico: Armando Nava

Filipe Faria: “Podem contar com muito trabalho”


Quais são os objetivos do CCR Alqueidão da Serra para a época que vai agora começar?
Os objetivos para a presente época, em termos gerais, são melhorar a nossa prestação desportiva quando comparada com o ano transato. Os objetivos específicos serão definidos por todo o grupo no decorrer desta semana.

Como caracteriza o plantel que construiu?
O plantel que construímos teve em consideração uma série de fatores. Entendemos que é um plantel equilibrado, com jogadores de qualidade, muito competentes e comprometidos com o clube e com todo o grupo de trabalho. Achamos que é importante a qualidade enquanto jogador, mas é fundamental, e em primeiro lugar, a pessoa (compromisso, dedicação e capacidade de trabalho).

Que comentário lhe merece o sorteio do calendário?
Consideramos que este campeonato vai ser muito difícil e equilibrado. Logo de início jogamos contra três equipas bastante fortes, que irão lutar pelo primeiro lugar, mas vamos procurar pensar jogo após jogo e prepararmo-nos para atingir os objetivos.

O primeiro jogo é fora, frente ao Vieirense. Quais são as expectativas?
O Vieirense tem uma equipa com qualidade, que achamos que se reforçou muito bem e em sua casa são ainda mais fortes, contudo acreditamos no nosso valor e no trabalho realizado e de certeza que vamos estar preparados para disputar um bom resultado.

Que importância vão ter os adeptos para a presente temporada?
Os adeptos do Alqueidão são uma das grandes qualidades e forças do clube, é uma massa adepta muito dedicada, eufórica e exigente, portanto, certamente vão ser preponderantes ao longo da época desportiva. Todo o grupo de trabalho sabe que os nossos adeptos podem ser o nosso 12.º jogador.

Que promessa pode deixar aos adeptos?
A única promessa que podemos todos fazer, é a de esperarem e contarem com muito trabalho, compromisso e uma dedicação total ao futebol e ao CCR Alqueidão da Serra.

Plantel CCR Alqueidão da Serra 2019-2020
Guarda-redes: André Tavares e Miguel Santos
Defesas: Tiago Cerejo, Luís Correia, Sérgio Neves, David Marques, Fábio Lúzio (ex-Ouriense), João Francisco (ex-jun. Marinhense), Guilherme Graça (ex-Ouriense)
Médios: Conca (ex-Marrazes), Leandro Gaspar, Rudy, João Matos, Chiquinho (ex-Marrazes)
Avançados: Dady, Nuno Colaço, Vasco Gonçalves, Rúben Araújo (ex-Caldas), André Simões (Fitas), José Correia, Ciro Costa

Equipa Técnica
Treinador: Filipe Faria 
Treinador-adjunto: Nuno Coito 
Treinador de guarda-redes: Fábio Giroto 
Preparador Físico: Carlos Pereira 
Diretor: José Marto

Fonte: O Portomosense

sexta-feira, setembro 20, 2019

Finalmente avança a colocação da relva nas novas instalações do Motor Clube

Num processo que tem sido mais lento que o esperado, parece que o Motor Clube vai finalmente poder usufruir das suas novas instalações, à muito planeadas e que obrigaram o clube a jogar a última temporada fora de portas. Esta semana, começou finalmente a colocação do tão desejado relvado sintético.

Joana Rodrigues nomeada para o GC Alcobaça - GD Guiense


Divisão de Honra / Seniores
GRAP,-,GAU/Bajouca,(Jorge Carreira)
SCL Marrazes,-,GD Pelariga,(Eduardo Brites)
AD Portomosense,-,CC Ansião,(Rafael Marques)
GC Alcobaça,-,GD Guiense,(Joana Rodrigues)
Moita do Boi,-,UR Mirense,(Gonçalo Teixeira)
GD Peniche,-,GDR Boavista,(José Agostinho)
SC Pombal,-,AC Marinhense B,(Henrique Brites)
ID Vieirense,-,CCR Alqueidão da Serra,(Diogo Oliveira)

Pedro Faustino eleito o melhor jogador e Marco Aurélio o melhor treinador

Pedro Faustino foi eleito o melhor jogador de futebol da época passada. O atleta que joga actualmente no Caldas SC, do Campeonato de Portugal, recebeu o prémio na noite de sexta-feira, na 12.ª Gala do Futebol Distrital, que decorreu em Leiria. Na mesma cerimónia, Marco Aurélio (GD Guiense) foi eleito o melhor treinador, com realce para o facto de ambos os premiados terem representado o AC Marinhense na época passada.
Também ao nível da formação foram atribuídos prémios, com Manuel Lopes (GD Pelariga) o melhor treinador de futebol.
Numa noite longa de prémios e homenagens, Manuel Nunes, presidente da Associação de Futebol de Leiria (AFL), aproveitou a presença de Hermínio Loureiro, vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), para fazer alguns apelos, nomeadamente a “revisão do valor do IVA no desporto”, quer para “materiais desportivos” quer no “preço dos bilhetes”; a implementação do “estatuto de agente desportivo voluntário”; a “regulamentação do seguro desportivo”; a “reabilitação de infra-estruturas”; a “criação de centros de treino” para os mais variados agentes desportivos e a possibilidade de mais equipas do Campeonato de Portugal ascenderem à II Liga, foram apenas alguns dos pontos destacados pelo responsável.
A Gala arrancou com a homenagem dos clubes a personalidades indicadas por elas, seguindo-se a premiação dos clubes do distrito que receberam a certificação de clubes formadores pela FPF.
Subiram também ao palco do Teatro José Lúcio da Silva os árbitros promovidos aos quadros da FPF, assim como os jogadores que foram internacionais pela primeira vez na época 2018/2019, nomeadamente Marta Salvador e Maria Malta (A-dos-Francos), Paulo Ferreira (Burinhosa), Rúben Brilhante (ACD O Sótão) e Dário Caetano (UD Leiria).
Pela primeira vez foram ainda distinguidos os melhores atletas-alunos, com o prémio de finalistas a ser atribuído a Francisco Martins, Bernardo Barros e Isabel Cardoso (todos AE Óbidos), João Frazão (Nazarenos), Bernardo Jesus (Costifoot) e Gonçalo Bastos (Marinhense).
Foram ainda entregues prémios aos vencedores da Taça Disciplina, aos clubes de Excelência ‘Saber Estar’, atribuídos a ADA Ribeira do Sirol (futsal) e Caldas SC (futebol), e aos clubes que comemoraram o 50.º aniversário na época passada – GAU Bajouca e CR Golpilheira. A Gala serviu ainda para prestar homenagens a Manuel Quintal, Jaime Azevedo, José Miguel Medeiros, João Viola e Ângelo Gomes por mérito desportivo e atribuir o prémio de mérito desportivo em provas nacionais à Burinhosa (futsal), à GRAP (futebol de praia) e à UD Leiria (futebol).
Por fim, subiram ao palco todos os campeões distritais nos mais variados escalões, em futebol, futsal e futebol de praia, sem esquecer os prémios aos clubes de excelência na formação, atribuídos a Ribafria (futsal) e Caldas SC (futebol).|

Texto: José Roque - Diário de Leiria
Foto: Luís Filipe Coito

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Wook