Booking.com

quinta-feira, fevereiro 28, 2019

Nulo em jogo equilibrado



Beneditense 0
Fábio Giroto, André Justino, João Noite, João Amaro, Rafael Ramalho, Miguel Guerra, Rafael Peralta (Guilherme Lopes, 37'), Miguel Carmo (Leonardo Franco, 82'), Diogo Lopes (c), Luís Paixão (Rafael Agostinho, 70'), Lucas Guedes
Não Utilizados: Diogo Fialho, Luís Isaac, Miguel Fialho
Treinador: Rui Agostinho

SC Pombal 0
Rodolfo, Vincent, Cardoso, Leo, Paulito (c) (Guilherme, 61'), Rabi, Tião, Airton (Luís Figo, 76'), Rafa, Camará, António Gonçalves (André, 80')
Não Utilizados: Dédé, Gil, Dalas
Treinador: Fernando Mateus

20.ªJornada da Divisão de Honra 2018-2019
Parque de Jogos Fonte da Senhora, na Benedita
Assistência: 100 espectadores
Árbitro: Eduardo Brites
Auxiliares: Bruno Lourenço e João Dias
Ao Intervalo: 0-0
Acção Disciplinar: Amarelo a Miguel Carmo (18'), Paulito (29'), Cardoso (84'), Diogo Lopes (90'). Luís Figo (90'+3).

Num jogo equilibrado e com muito poucas oportunidades de golo, Beneditense e SC Pombal empataram a zeros, num resultado que não agradou a nenhuma das equipas. Fábio Giroto defendeu uma grande penalidade de António Gonçalves.

O jogo começou num ritmo intenso e logo no primeiro minuto, André Justino tem uma excelente arrancada na direita, remata forte, com a bola a sobrar para Diogo Lopes, que remata para defesa atenta de Rodolfo. Pouco depois, lance de Paulito, que isola Camará, que só com Fábio Giroto pela frente,  acaba por rematar ligeiramente ao lado da baliza do Benditense. Enorme perdida para a equipa do SC Pombal. Depois de um início de partida a todo o gás, o jogo entrou numa toada pastelenta, com as duas equipas a equilibrarem.se a meio campo e com a bola a estar sempre longe das balizas. Só quase em cima do intervalo, vai surgir mais um lance de algum perigo, mas João Noite, expedito, conseguiu o corte, quando Airton ameaçava perigo para a baliza do Beneditense.
A etapa complementar começou na mesma toada equilibrada, ainda assim, logo aos 49', o SC Pombal vai novamente criar um lance perigoso. Contra-ataque perigoso de Tião na direita, valeu ao Beneditense a oposição providencial de Guilherme Lopes. Pouco depois, é o Beneditense que vai criar muito perigo, num livre lateral de Guilherme, com João Amaro a cabecear à trave da baliza de Rodolfo. Este lance moralizou a equipa da casa, que nesta fase tinha algum ligeiro domínio no jogo, mas ainda assim, pouco depois,  vai ser o SC Pombal que vai ter uma ocasião soberana para desempatar a partida. Henrique Brites considerou falta de João Amaro sobre Guilherme dentro da sua área. num lance para grande penalidade. No entanto, na marcação da mesma, António Gonçalves não conseguiu o golo, com Fábio Giroto a opor-se com classe ao remate do avançado do SC Pombal. A partir daqui, o jogo voltou a cair numa toada morna, desinteressante e sem lances de verdadeiro perigo, pelo que o nulo final acaba por se ajustar, a uma jogo equilibrado e com muito poucas ocasiões de golo.
Num jogo sem grandes casos, arbitragem tranquila do trio comandado por Henrique Brites.

Vitória justa mas muito sofrida

O GRAP continua a fazer um campeonato irrepreensível, obtendo a 6.ª vitória consecutiva e o 15.º jogo sem conhecer o sabor da derrota, desta vez à custa do vizinho Boavista, em que o triunfo sorriu apenas nos últimos instantes da partida.
O jogo teve duas partes distintas com os visitados, na primeira etapa, a serem claramen­te superiores, mas no segundo tempo os boavisteiros superiorizarem-se, claudicando apenas nos últimos 10 minutos.
Nuns primeiros 45 minutos muito faltosos, o GRAP assumiu a sua condição de favorito, tomando conta do desafio, mas apenas causou perigo quando Danny isolou-se, contudo Rui Pedro, com uma grande intervenção, desviou o esférico para a barra. Na recarga, Alexandre Cruz atirou ao lado.
Pouco depois, Danny, na passada, rematou fora a área com Rui Pedro a defender, bem, para canto. Do lado contrário foi Lukas Fonseca que, de livre directo, proporcionou excelente defesa a Mocheco.
Na resposta, grande oportunidade para Cédric, que bem posicionado viu o guardião axadrezado e o poste negar-lhe o golo.
Os donos da casa viram novamente o poste devolver uma bola, desta vez rematada por Caio Prado. No minuto seguinte, o mesmo Caio foi derrubado dentro da área, com o árbitro a apontar para a marca dos 11 metros. Na conversão, Vieirinha permitiu a defesa de Rui Pedro.
Na segunda parte, os visitantes surgiram mais afoitos e Diogo António, apagado até então, começou a aparecer no encontro e, ao minuto 57, isolou--se, mas diante de Mocheco não teve o discernimento necessário, atirando ao lado. Minutos depois, foi o capitão Lom­ba a dar o corpo ao manifesto evitando o pior para sua equipa. Depois foi Lukas Fonseca a não aproveitar da melhor maneira um ressalto, atirando ao lado, quando poderia ter feito bem melhor.
Mais eficaz foi a formação da casa que aproveitou uma falha de comunicação de André Amores e o seu guarda-redes, com Danny a não enjeitar a oportunidade para empurrar a bola para a baliza deserta (1-0).
O 2-0 surgiu pouco depois, na sequência de um canto, com Danny, de cabeça, a assistir Cristiano que também de cabeça fez o resultado final.
Boa arbitragem. |

GRAP 2
Mocheco, Migas, Lomba (c), Fábio Martins, Lucas, Vieirinha, Fábio Pedro, Caio Prado (Rodrigo, 64’), Alexandre Cruz (Mantorras, 79’), Danny e Cédric (Cristiano, 64’).
Não jogaram: Renato, Rodrigo e Bernardo.
Treinador: Carlos Ribeiro.

GDR Boavista 0
Rui Lopes, Daniel Gregório, André Amores, Ricardo Godinho (Miguel Oliveira, int.), Ari (Francisco Reis, int.), Wilson Oliveira, Pedro Luís (João Capão, 23’), Lukas Fonseca, Celso Pereira e Diogo António.
Não jogaram: Palecas, Pedro Roda, Nuno Vieira e Mosca.
Treinador: Pedro Nunes.

Campo da Charneca , Pousos
Árbitro: André Mendes.
Assistentes: Paulo Silva e David Santos.
Espectadores: 275.
Ao intervalo: 0-0.
Golos: 1-0 Danny (82’), 2-0 Cristiano (87’).
Disciplina: Amarelo a Vieirinha (26’), Ari (45’), Lomba (81’).

Texto e foto: Fábio Osório - Diário de Leiria

Marinhense autoritário vence e convence no dérbi

Um ‘bis’ de Rúben Martins e um livre de Zé Pedro decidiram o dérbi a favor do AC Marinhense, numa partida em que o Vieirense deu boa réplica, mas a superioridade visitante foi evidente.
O Marinhense entrou forte no jogo e, logo no primeiro minuto, inaugurou o marcador por intermédio de Ruben Martins que aproveitou bem o cruzamento de Zé Pedro para, no coração da área, encostar para o 0-1.
Pouco depois, novamente perigo para as redes do Vieirense, mas desta vez o guardião Ruben mostrou-se seguro a defender a cabeçada de André Sousa.
O Vieirense demorou algum tempo a reagir à pressão inicial do Marinhense, mas aos poucos foi ensaiando o contra-ataque. Assim, Teles dispôs de boa oportunidade, mas o chapéu ficou curto e Guerra agarrou seguro. Do outro lado, Ruben Martins bisava e aumentava a vantagem dos visitantes com um remate cruzado a fazer o 0-2.
Até ao descanso, continuaram a ser os visitantes quem mais procurava o golo perante um Vieirense na expectativa e mais recuado no terreno.
A segunda parte começou praticamente como a primeira, ou seja, com novo golo do Marinhense, desta feita Zé Pedro, num livre superiormente marcado, a aumentar para 0-3.
Na resposta, e também de livre, André Lourenço esteve perto do golo, mas João Guer­ra, com boa intervenção, desviou para canto.
O jogo estava bem vivo e João Paulo, com um remate à entrada da área, proporcionou a defesa da tarde a Ruben com a bola ainda a embater no poste.
Na resposta, o remate de longe André Lourenço também criou perigo, mas a bola saiu ligeiramente ao lado.
À medida que o relógio a­vançava acentuava-se o domínio dos visitantes e esteve sempre mais próximo o Marinhen­se de ampliar do que o Vieirense de reduzir.
Assim, os três pontos do dérbi seguem para a sede do concelho, numa vitória que não merece contestação e com uma arbitragem tranquila e assertiva do trio liderado por Cláudio Monteiro. |

ID VIEIRENSE 0
Ruben, Júlio (Coelho, 31’), Freitas, André Lourenço, Serginho, Ruben Fernandes,Letra (c), André Cruz (Fábio Lucas, 75’), Daniel, Cláudio e Teles (Botas, 62’).
Não jogaram: Carlos, Bruno Ferreira, Luis Carlos e Rafael Rego.
Treinador: Luciano Silva.

AC MARINHENSE 3
João Guerra, Fred, Zé Ricardo, Luis Oliveira,Zé Pedro, Pedro Rodrigues, André Sousa, Faustino (Fábio, 75’), Ruben Martins, Ruben Coelho (Tozé, 51’) e João Paulo (c) (Marcos, 83’).
Não jogaram: Hugo Pinheiro, Bernardo, Alex Dias e Nelson.
Treinador: Marco Aurélio.

Estádio Albano Tomé Feteira, V. Leiria
Árbitro: Cláudio Monteiro.
Assistentes: Nuno Rodrigues e Alexandre Santos.
Espectadores: 400.
Ao intervalo: 0-2.
Golos: 0-1 Ruben Martins (1’), 0-2 Ruben Martins (30’), 0-3 Zé Pedro (50’).
Disciplina: Amarelo a Ruben Coelho (20’), Freitas (56’), Ruben Fernandes (61’), Letra (65’).

Texto e foto: Carlos Pinheiro - Diário de Leiria

Mapa Semanal de Castigos


Seniores
1 jogo: Rodrigo Marta (ACR Maceirinha), Rúben Santos (GC Alcobaça), João Videira e Ângelo Martins (CCR Alqueidão da Serra), Mauro Oliveira (GAU/Bajouca), Diogo Duarte (Biblioteca)
2 jogos: Fábio Oliveira (ACR Maceirinha), Daniel Costa (CC Ansião), Telmo Vazão e Nuno Colaço (CCR Alqueidão da Serra), Diogo Gaspar (GD "Os Vidreiros")
3 jogos: Luís Filipe (ACR Maceirinha)
Suspensões: Carlos Fernandes (ACR Maceirinha / 15 dias), Carlos Almeida (GD "Os Vidreiros" / 15 dias), Carlos Almeida (GD "Os Vidreiros" / 20 €)
Multas: Carlos Fernandes (ACR Maceirinha / 50 €)
Diversos: Miguel Santos (GD "Os Vidreiros" / Processo Disciplinar referente ao jogo contra o AC Marinhense B),  GD "Os Vidreiros" (Processo Disciplinar referente ao jogo contra o AC Marinhense B)

Juniores
1 jogo: Rafael Santos (Beneditense), Filipe Santos (ID Vieirense)
2 jogos: Nuno Jorge (SCL Marrazes), Diogo Casais (GRAP)
Suspensões: Lucas Grilo (Beneditense / 20 dias), André Cristóvão (Beneditense / 15 dias), Arthur Vaccari (GD "Os Vidreiros" / 8 dias), Marco Ferreira (Biblioteca / 8 dias)
Multas: Lucas Grilo (Beneditense / 20 €), André Cristóvão (Beneditense / 10 €), Arthur Vaccari (GD "Os Vidreiros" / 5 €), Marco Ferreira (Biblioteca / 5 €)

Juvenis
2 jogos: Pedro Fernandes e João Mamede (GRAP B), Arlindo Dias (GC Alcobaça B)
3 jogos: Guilherme Quitério (GC Alcobaça)
Multas: Almagreira (50 €), GRAP B (50 €), GC Alcobaça B (50 €), GD Peso (50 €)
Diversos: AC Marinhense (Processo Disciplinar referente ao jogo frente à UD Leiria B), Almagreira (Derrota no jogo frente ao GD Alvaiázere), Amagreira (Subtracção de 3 pontos), GRAP B (Derrota no jogo frente ao AC Marinhense B), GC Alcobaça B (Derrota no jogo frente à ACR Maceirinha), GD Peso (Derrota no jogo frente à Biblioteca), GD Peso (Subtracção de 3 pontos)

Iniciados
1 jogo: Vicente Zarro (GD "Os Nazarenos")
2 jogos: Diogo Rainho (GC Alcobaça), Luís Oliveira (Almagreira)
Suspensões: Jorge Marques (GD Alvaiázere / 8 dias)
Multas: Jorge Marques (GD Alvaiázere / 5 €), Almagreira (50 €)
Diversos: Almagreira (Derrota no jogo frente à UD Batalha)

quarta-feira, fevereiro 27, 2019

Juvenis: Fase Final da 1.ª Distrital sorteada

Realizou-se ontem na AF Leiria o sorteio da Fase Final da 1.ª Divisão Distrital, de Juvenis. A competição será dividida em duas séries, a saber:

Zona Norte: AC Avelarense, GD Alvaiázere, GD Pelariga, GDR Boavista, ID Vieirense B e SCL Marrazes B
Zona Sul: Academia CCMI, ACR Maceirinha, AC Marinhense B, Biblioteca, GD "Os Nazarenos" e GD Atouguiense

A 1.ª Jornada está marcada para dia 9 de Março, com os seguintes jogos:

Zona Norte
AC Avelarense - GD Pelariga
GDR Boavista - ID Vieirense B
SCL Marrazes B - GD Alvaiázere

Zona Sul
GD "Os Nazarenos" - AC Marinhense B
Biblioteca - Academia CCMI
ACR Maceirinha - GD Atouguiense

ACR Maceirinha revoltada com arbitragem de Rafael Marques no jogo com o CC Ansião

O jogo do passado domingo entre a ACR Maceirinha e o CC Ansião, e que terminou com uma derrota da equipa da casa por 1-2, ficou marcado por vários casos de arbitragem, com a equipa da ACR Maceirinha a contestar a arbitragem do trio comandado por Rafael Marques.
A ACR Maceirinha acabou o jogo com apenas 8 unidades, sendo que também Walter Estrela teve ordem de expulsão, logo nos minutos iniciais da partida. O jogo decorreu numa toada equilibrada, sendo que aos 90' a equipa da casa se colocou em vantagem no jogo. No momento dos festejos, o árbitro da partida deu a indicação que seriam jogados mais quatro minutos, no entanto já depois de o CC Ansião fazer o 1-1, aos 93', o árbitro da partida acabou por prolongar a partida até aos 100', sendo que aos 99', a equipa do CC Ansião consumou a reviravolta e acabou por vencer por 1-2. Para além das expulsões, e do prolongamento exagerado do jogo sem qualquer motivo para isso, a equipa da casa queixa-se ainda de um critério sempre bastante discutível, numa partida em que para além das 4 expulsões, a ACR Maceirinha acabou também por ver um atleta com um maxilar deslocado, João Gomes, num lance em que o árbitro da partida nada assinalou.

Testas está de saída da AD Portomosense

Rúben Nathis, mais conhecido no mundo do futebol simplesmente por "Testas" , está de saída da Associação Desportiva Portomosense. Jogador e direcção do clube incompatibilizaram-se por motivos financeiros, motivo que levou à saída do atleta do clube de Porto de Mós.

domingo, fevereiro 24, 2019

Resultados de 24 de Janeiro de 2019




Campeonato Nacional - Série C / Seniores
UD Leiria,-,CD Fátima


Caldas SC,-,GS Loures
AD Nogueirense,-,GD Peniche


Divisão de Honra / Seniores

AD Figueiró dos Vinhos,-,SCL Marrazes
ACR Maceirinha,-,CC Ansião
GRAP,-,GDR Boavista,
ID Vieirense,-,AC Marinhense,
Beneditense,-,SC Pombal
CCR Alqueidão da Serra,-,GC Alcobaça
GD Pelariga,-,AD Portomosense
GD Guiense,-,UR Mirense



1ªDistrital Norte / Seniores
AC Avelarense,-,UDRC Matamourisca
ARCUDA,-,GD Ilha
Recreio Pedroguense,-,Castanheira de Pêra
AC Carnide,-,GD Alvaiázere
GAU/Bajouca,-,Moita do Boi



1ªDistrital Sul / Seniores
Motor Clube,-,GD "Os Nazarenos"
GD Peso,-,GDR Bidoeirense
Biblioteca,-,SCE Bombarralense
UD Serra,-,AC Marinhense B
GD Atouguiense,-,GD "Os Vidreiros"
GDRC Unidos,-,GD Santo Amaro

Jogos em Directo a partir das 15h00


Jogos em Directo
UD Leiria, 1 - 0 ,CD Fátima
Caldas SC 1 - GS Loures 1
AD Nogueirense 0 - GD Peniche 1
ACR Maceirinha, 1 - CC Ansião 2
GRAP 2  - GDR Boavista 0
ID Vieirense 0 - AC Marinhense 3 (Rúben Martins 2 e Zé Pedro)
Beneditense, 0 - 0 ,SC Pombal
CCR Alqueidão da Serra 3 (Dady e Vasco) - GC Alcobaça 3 (ag Tiago Cerejo)
GD Pelariga 1 - AD Portomosense 1 (Afonso)
GAU/Bajouca 3 - Moita do Boi 1
GD Atouguiense 1 - GD "Os Vidreiros" 1
GDRC Unidos 3 (Pinga 2 e Caminho) - GD Santo Amaro 2 (João Pinto)
UD Serra 0 - AC Marinhense B 2
----
----

sexta-feira, fevereiro 22, 2019

Vitória mantem viva a esperança de subida do SCE Bombarralense

Foi com os mesmos pontos (28) que as equipas de futebol sénior do Sport Clube Escolar Bombarralense (SCEB) e do GDR Cultural Unidos jogaram no último domingo, dia 17 de fevereiro, a 16.ª jornada da 1.ª Divisão Distrital (Série b), terminada com um 2-1 favorável aos homens da casa.
Da anterior jornada (15.ª), o SCEB trouxe um amargo empate da casa da União da Serra (1-1), enquanto que o Cultural Unidos, equipa da freguesia de Amor, conseguiu uma vitória caseira frente ao GDR Bidoeirense (2-1). Olhando para a tabela classificativa, fazia-se prever um encontro com bastante equilíbrio e, na verdade, a equipa visitante demonstrou nos 90 minutos o motivo pelo qual tem causado diversas surpresas no decorrer do campeonato.
Os homens da casa entraram no jogo a ganhar. Aos 4’, a defensiva visitante tentou sair a jogar da sua própria área, mas Miguel Carôço conseguiu cortar esta iniciativa, tabelar com Bernardo Silva já dentro da grande área e, na cara do guarda-redes José Freitas, picou a bola e inaugurou o marcador.
O árbitro do encontro não demorou a exibir cartões. Logo aos 18’, depois de uma dura falta sobre Ricardinho, o defesa visitante Wilson Alves viu o primeiro amarelo do jogo. Aos 20’, foi a vez do extremo Ricardinho ser admoestado com o mesmo cartão, desta feita por palavras dirigidas à equipa de arbitragem.
Durante toda a primeira parte, o SCEB usufruiu de várias bolas paradas, lances que contribuíram para uma significativa percentagem dos 32 golos marcados até ao momento no campeonato. No entanto, no último domingo a pontaria não esteve afinada e foram poucas as vezes que assustaram o adversário em cantos e livres. Exceção à regra foi o livre indireto cobrado por Miguel Carôço aos 24’. Descaído para a direita, Carôço cruzou para o coração da área e Jota cabeceou pouco ao lado da baliza de José Freitas.
Aos 35’, o técnico Gonçalo Carloto foi obrigado a fazer a primeira substituição: saiu o lesionado Joãozinho e entrou Bruno Lopes. No minuto seguinte, depois de um canto cortado pela defensiva do SCEB, a equipa da casa tentou sair em contra-ataque. Filipe André, médio visitante, conseguiu intercetar a transição da equipa “amarela e verde” mas Bruno Lopes, que saía do seu meio campo em velocidade, chocou contra o adversário e foi prontamente punido com a cartolina amarela. No consequente livre, a defensiva da casa foi “apanhada a dormir”. Nuno Santos viu o seu colega Hugo Neto completamente sozinho na área, bateu rapidamente o livre rasteiro e o camisola 9 rematou para o fundo das redes. Rodrigo Martins ainda tocou na bola mas não conseguiu impedir o restabelecimento da igualdade. As equipas recolheram aos balneários com um empate a uma bola.
O SCEB entrou com tudo no segundo tempo e podia ter marcado no primeiro lance. No seu meio campo ofensivo, Pedro Fonseca, ao aperceber-se da movimentação do colega Bruno Lopes, descobriu uma linha de passe entre o central e o lateral esquerdo adversário. Lopes conseguiu segurar a bola, fazer um “cabrito” ao defesa Pedro Toscano, deixou a bola bater uma vez no solo e rematou de pé esquerdo à entrada da área, mas por cima da baliza adversária.
A vantagem do Bombarralense acabaria por ser restabelecida aos 53’. Miguel Carôço encarregou-se da cobrança de um livre direto à entrada da área e obrigou o guardião José Freitas a desviar a trajetória da bola junto ao canto inferior esquerdo da sua baliza. O esférico, que não fugiu muito da pequena área, foi rapidamente recuperado por Pedro Fonseca que, com apenas três toques, colocou a bola no segundo poste, onde apareceu Rafa a cabecear para o 2-1.
O domínio caseiro mantinha-se, mas a equipa do Cultural Unidos podia ter empatado a partida aos 63’. Na sequência de um pontapé de baliza dos visitantes, a defesa do SCEB não conseguiu segurar nem despachar a bola, “aos papéis” deixaram o esférico na posse do avançado Hugo Neto que, na cara do guarda-redes Rodrigo Martins, atirou por cima. Esta oportunidade de golo flagrante surgiu depois de três lances de relativo perigo na área da equipa leiriense.
O jogo entrou numa fase em que começavam a “faltar pernas”. Apercebendo-se desse facto, ambos os treinadores se apressaram a mexer nas suas equipas, mas do lado do SCEB era primordial saber gerir a vantagem. Do lado do Cultural Unidos saiu Tiago Alves e entrou Nuno Osório (aos 66’), enquanto que Nailson Silva substituiu Filipe André (aos 79’); na equipa da casa Helder Vitorino deu lugar a Rui Santos (aos 71’) e Ricardo Espírito Santo rendeu o experiente Ricardinho (aos 80’).
A já referida necessidade de saber gerir foi bem conseguida pela formação da casa. Contudo, não se livraram de um susto já bem perto do final. O recém entrado Nailson Silva recebeu a bola à entrada da área do SCEB e foi travado em falta por Miguel Carôço, que foi repreendido com um cartão amarelo. Os jogadores da casa alegaram que Nailson rececionou a bola com o braço antes de sofrer falta, mas o árbitro não entendeu da mesma forma. Nuno Santos, que já contava com uma assistência, cobrou a bola parada quase na linha da grande área, a bola embateu na barreira e o lance perdeu-se... os “amarelos e verdes” respiraram de alívio e os três pontos ficaram no Bombarral.

Texto e fotos: Eduardo Gil de Carvalho (Jornal Região Oeste)

AC Marinhense emite comunicado

Em sequência dos acontecimentos verificados no último sábado no Campo da portela, o Atlético Clube Marinhense emitiu um comunicado no seu site oficial. Veja o comunicado na íntegra: 

O Atlético Clube Marinhense repudia veementemente os atos praticados e verificados no final da partida entre a nossa equipa de Sub 17 e a União Desportiva de Leiria, e condena os mesmos, considerando um atentado aos lesados, ao clube, ao distrito, e por fim, ao futebol.  
Por isso, o clube iniciou uma investigação interna para apurar todos os factos e verificou, no fim da mesma, que todos os elementos constantes da ficha de jogo estavam ou no interior do Campo da Portela, ou nos respetivos balneários, pelo que se isola de qualquer responsabilidade do ato causado.  Contudo, e mantendo o repúdio, não conseguimos desassociar este ato com mais um ataque ao bom nome do Atlético Clube Marinhense, que durante anos a fio lutou por tudo o que conseguiu até hoje, pelo que endereça um pedido de desculpas aos lesados.    

A direção,  21 de fevereiro de 2019

Ahmed Donga é reforço na UR Mirense

A União Recreativa Mirense acaba de garantir mais um reforço para a parte final do campeonato. Trata-se de Ahmed Donga, extremo, de nacionalidade egipta.

Dois jogadores de saída do SCL Marrazes

Aliú Camará e Tala já não fazem parte do plantel do SCL Marrazes. Os dois jogadores saíram do clube no passado mês de Janeiro, desconhecendo-se as razões.

Luís Félix é o novo treinador da AD Figueiró dos Vinhos

Luís Félix é o novo treinador da Associação Desportiva de  Figueiró dos Vinhos. O experiente treinador, de 46 anos, já orientou vários clubes, nomeadamente, o Carapinheirense, Vinha da Rainha, Tocha e Penelense, e assume agora um novo desafio, substituindo no cargo Fernando Gonçalves, técnico que não resistiu aos maus resultados da equipa do Norte do Distrito. Recorde-se que neste momento, a AD Figueiró dos Vinhos, soma apenas 9 pontos e está numa situação bastante complicada na tabela classificativa.

quinta-feira, fevereiro 21, 2019

Direção da AF Leiria e Conselho de Arbitragem emitem comunicado acerca da violência nos jogos de futebol e futsal

A Direção da A.F. Leiria e o seu Conselho de Arbitragem, na sequência dos últimos casos de violência e indisciplina nos campos de futebol/futsal, emitiram um comunicado para todos os Clubes apelando aos bons comportamentos por parte de todos os agentes desportivos e manifestar o total apoio a todos os árbitros da A.F. Leiria.

Leia o comunicado na íntegra:

VIOLÊNCIA NOS JOGOS DE FUTEBOL / FUTSAL 

1. Temos assistido nas últimas semanas a um aumento pouco habitual do número de casos de violência e de indisciplina nos campos de Futebol/Futsal no âmbito da AF Leiria, que se consumou, mais recentemente, com uma agressão física a um árbitro; 
2. Apesar de ter como atenuante, o estado de crispação que se vive no mundo do Futebol/Futsal em Portugal, a Direção da AF Leiria, não só não concorda com esta situação, como também não aceita que o esforço realizado por centenas de dirigentes benévolos, treinadores, jogadores e árbitros, que todas as semanas fazem um enorme esforço para manter em atividade cerca de 800 equipas e 11.000 jogadores no distrito, seja prejudicada por motivos fúteis de alguns que não podem ter lugar junto de nós; 
3. Por isso, a Direção e o Conselho de Arbitragem da AF Leiria, vem deste modo, solicitar a todos os agentes do Futebol/Futsal distrital, que tenham o maior empenho em manter a máxima contenção com todos aqueles que querem prejudicar o Futebol/Futsal e repudiar todas as situações em que se verifique atos de violência com adeptos, agentes desportivos e concretamente com equipas de arbitragem, que são parte integrante do jogo; 
4. Manifestar o total apoio a todos os árbitros da AF Leiria; 
5. Informar que não iremos pactuar com as situações, em que se verifiquem cenas de violência gratuitas e desnecessárias, no âmbito das competições da AF Leiria, usando todos os meios legais e regulamentares em vigor, para os corrigir. 

Leiria, 21 de fevereiro de 2019 
O Presidente da Direção (Manuel Nunes) 
O Presidente do Conselho de Arbitragem (Carlos Amado) 

Mapa Semanal de Castigos


Seniores
1 jogo: Nuno Tenente (GD Pelariga), Samuel Santos (GD Atouguiense)
2 jogos: Carlos Nine (UR Mirense), Dinis Quitério (GC Alcobaça), João Marques (Caseirinhos), Fábio Rebelo (AR Meirinhas), Ricardo Pedreira (GD Atouguiense)
3 jogos: Tomás Gomes (AC Avelarense)
4 jogos: Telmo Sousa (GD Ilha)
Suspensões: Lourenço Farto (ID Vieirense / 8 dias), Arlindo Rodrigues (Caseirinhos / 15 dias), Adriano Calé (GDRC Unidos / 15 dias)
Multas: GD Guiense (40 €), Lourenço Farto (ID Vieirense / 10 €), Arlindo Rodrigues (Caseirinhos / 20 €), Adriano Calé (GDRC Unidos / 20 €)
Diversos: GD Vidreiros (Processo de Averiguação Referente ao jogo contra o AC Marinhense B)

Juniores
1 jogo: Bruno Matias (SL Marinha), Gustavo Dinis (SCL Marrazes), João Silva (Recreio Pedroguense)
2 jogos: Daniel Oliveira (UD Batalha), Diogo Silva (GD Santo Amaro), Bruno Oliveira (Biblioteca), Rui Valadas (AE Óbidos)
Suspensões: Sérgio Matos (GD "Os Vidreiros" / 8 dias), António Galamba (AE Óbidos / 8 dias)
Multas: Sérgio Matos (GD "Os Vidreiros" / 5 €), António Galamba (AE Óbidos / 5 €)

Juvenis
1 jogo: Tomás Santos (SC Pombal), Vasco Martins (Academia CCMI)
Suspensões: Daniel Cardoso (AC Marinhense / 8 dias), João Gonçalves (SL Marinha / 15 dias), Guilherme Mendes (SL Marinha / 8 dias)
Multas: Daniel Cardoso (AC Marinhense / 5 €), AC Marinhense (76,50 €), João Gonçalves (SL Marinha / 10 €), Guilherme Mendes (SL Marinha / 5 €)
Diversos: AC Marinhense (Processo de Averiguação)

Iniciados
1 jogo: Afonso Ferreira (GRAP), João Peralta (GC Alcobaça), Afonso Duarte (UD Batalha)
Suspensões: Sérgio Jorge (ACademia CCMI / 15 dias)
Multas: Sérgio Jorge (Academia CCMI / 10 €)

Árbitros regressam ao balneário e encontram roupas na sanita


O futebol distrital em Leiria viveu mais um episódio insólito no passado sábado. No final do jogo entre o AC Marinhense e a UD Leiria B, a contar para a Divisão de Honra de juvenis, quando a equipa de arbitragem regressou aos balneários deparou-se com um cenário inusitado, já que toda a roupa do árbitro principal e dos árbitros assistentes, assim como telemóveis e chaves, estavam na sanita.
Tudo aconteceu no Campo da Portela, na Marinha Grande, após um jogo em que os leirienses venceram por 0-3 e que teve alguma polémica à mistura. É que perto do apito final o árbitro Gonçalo Carreira pediu aos elementos da PSP presentes para identificar dois adeptos da equipa da casa, que estavam na bancada, alegadamente por insultos à equipa de arbitragem. Este episódio acabou por incendiar ainda mais os ânimos, mas nada faria prever o cenário que o árbitro e os seus assistentes Fábio Monteiro e Bruno Colaço encontraram no balneário.
Contactado pelo Diário de Leiria, o árbitro Gonçalo Carreira, que pertence aos quadros nacionais de arbitragem, não quis tecer qualquer comentário, mas o nosso jornal sabe que para além de ter sido apresentada queixa junto das autoridades, a equipa de arbitragem vai levar o caso até ao tribunal com o apoio da APAF – Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol.

Luciano Gonçalves, presidente da APAF, fala em episódio vergonhoso
“Este é mais um episódio que envergonha o futebol. Espero que o Atlético Clube Marinhense, um clube com grande história, não se reveja neste tipo de atitudes e que, no mínimo, faça um pedido de desculpa aos árbitros”, vincou o presidente da APAF, Luciano Gonçalves, confirmando todo o apoio da instituição que preside à equipa de arbitragem.
Segundo conseguiu apurar o Diário de Leiria, a roupa dos três árbitros, que continha telemóveis e chaves nos bolsos, foi colocada na sanita dos balneários dos árbitros, tendo sido feita uma descarga de água. Além disso, a porta do balneário não apresentava qualquer indício de arrombamento.
Para João Mendes, vice-presidente do AC Marinhense com o pelouro do futebol de formação, todo este episódio “não tem explicação” e é “muito estranho”. “Não sei como é que tudo isto possa ter acontecido. O balneário só tem uma chave e essa chave estava na posse do árbitro. Não há outra cha­ve”, adiantou o responsável, acrescentando ter achado estranho que o árbitro só tenha dado conta da ocorrência “vários minutos depois de ter entrado no balneário”. Por fim, João Mendes remete para as autoridades a investigação do caso.
Já o presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Leiria (AFL) condenou a atitude e pede que as autoridades desportivas actuem em conformidade. “O que aconteceu é muito grave. Não é uma agressão, mas é como se fosse. Trata-se de uma situação humilhante para os árbitros”, adiantou Carlos Ama­do, acrescentando que a invasão da privacidade é uma situação “muito grave”.|

Texto: José Roque - Diário de Leiria
Foto: André Lucas

quarta-feira, fevereiro 20, 2019

O nulo fica-lhes tão bem



O Beneditense arrancou um precioso ponto na deslocação ao terreno do 'eterno rival' Ginásio de Alcobaça fruto de um jogo sem golos.
Num dérbi sempre apetecível e que leva muitos espectadores às bancadas, começou melhor a equipa da casa com o avançado brasileiro Valdir a deixar o primeiro aviso para a baliza de Vítor Maranhão.
A partir daí a equipa da Benedita equilibrou o jogo e explorava o contra-ataque como aconteceu à passagem da meia hora quando Lucas Grilo, isolado na cara de Bruno Estrelinha, rematou por cima, desperdiçando uma soberana oportunidade para marcar.Até ao intervalo o jogo foi muito disputado a meio-campo, com a bola a permanecer sempre longe de ambas as balizas. A única excepção foi quando Telmo Pereira encheu o pé e acertou em cheio na barra da baliza de Vítor Maranhão.Na segunda parte, a equipa visitante entrou melhor, obrigando o Ginásio de Alcobaça a recuar no terreno, mas sem causar qualquer oportunidade de golo junto da baliza 'azul'.
Ambos os técnicos jogam as 'cartadas' a partir dos bancos mas as mudanças nada trouxeram de novo ao jogo. Nos segundos 45 minutos, apenas registo para a melhor jogada da partida assinada pelo veterano Pimenta. Na área adversária, Pimenta dispôs de soberana oportunidade soltando-se de vários adversários, pecando apenas no remate à baliza.
No final, ambas as equipas mostraram ficar satisfeitas com o resultado face à postura fraca dos avançados que não atormentaram em demasia os guarda-redes, num jogo em que os defesas superiorizaram-se aos atacantes.|

Texto e foto: Fernando José - Diário de Leiria

Jogo equilibrado dá empate certo


Num jogo equilibrado e em que o empate (0-0) se aceita, ainda assim, principalmente na etapa complementar, foi a Boavista quem esteve mais por cima no jogo e com um bocadinho mais de acerto na hora da finalização, poderia ter conseguido um outro resultado.
O jogo começou numa toada equilibrada, mas, logo aos 6', Diogo Padeiro dispôs de uma ocasião soberana de golo, mas só com Rui Pedro pela frente, permitiu a defesa do guarda-
-redes axadrezado e o melhor que conseguiu foi um canto.
Apesar do equilíbrio, a Pelariga era mais prática na zona de decisões e, aos 20', depois de uma boa troca de bola à entrada da área, Diogo Padeiro obrigou novamente Rui Pedro a uma nova defesa apertada para canto.
A Boavista respondeu da melhor forma a estes lances e, aos 38', Diogo António dispôs de uma ocasião flagrante de golo. Wilson desmarcou o avançado da Boavista, que só com João Pedro pela frente, acabou por rematar ligeiramente ao lado da baliza da Pelariga.
De seguida, aos 41', e depois de alguns ressaltos à entrada da área da Pelariga, a bola acabou por sobrar para Gregório que rematou para golo, com João Pedro a fazer a defesa da tarde e a evitar o golo da Boavista.
A etapa complementar começou na mesma toada equilibrada, mas paulatinamente a Boavista foi assumindo uma posição mais ambiciosa no jogo. Com Pedro Luís a procurar tomar a batuta do jogo, a equipa de Pedro Nunes foi crescendo no jogo, perante uma Pelariga estrategicamente mais recuada e a procurar explorar lances de contra-ataque.
Apesar disso, o equilíbrio foi-se mantendo e só já dentro do último quarto de hora é que a Boavista ficou perto do golo. Primeiro foi Wilson que dispôs de um lance claro de golo, mas, uma vez mais, João Pedro superiorizou-se e conseguiu evitar o golo. Pouco depois, foi o recém-entrado Reis que dispôs, também ele, de duas claras ocasiões de golo, mas em ambas acabou por não conseguir alterar o nulo inicial.
Com a Boavista claramente mais ofensiva, ainda assim, a Pelariga também criou perigo, valendo André Amores que, com um corte providencial, conseguiu evitar males maiores para a sua baliza.
Arbitragem regular do trio comandado por Henrique Brites, num jogo sem grandes casos.|

GDR Boavista 0
Rui Pedro, Igor Sousa, Nuno Filipe, Amores, Gregório, Pedro Luís, Ari, Wilson (André Fonseca, 77'), Diogo António (c) (Luís Sousa, 86'), Celso (Reis, 80'), Lucas.
Não jogaram: Palecas, Godinho, João Capão, Pedro Roda.
Treinador: Pedro Nunes.

GD Pelariga 0
João Pedro, Joel, Tenente, Digo, Frade, Ivo (c) (João Pedro, 81'), Zeca (Simão, 57'), Flávio (Eusébio, 57'), João Pinto, Diogo Padeiro, Bajedas.
Não jogaram: Rodrigo, Jota, Tomás, Coimbra.
Treinador: Marco Ferreira.

Campo do GDR Boavista, Boa Vista
Árbitro: Henrique Brites. Assistentes: Ruben Anjos e Leonardo Dias.
Espectadores: 100.
Disciplina: Amarelo a Zeca (29'), Lucas (41'), Wilson (52'), Tenente (56' e 88'), Padeiro (66'), Diogo António (76'), Ivo (79'), Ari (89'). Vermelho por acumulação a Tenente (88').

Texto e foto: Pedro Almeida - Diário de Leiria

Exibição de gala garante goleada

A AD Portomosense recebeu e venceu a ACR Maceirinha (4-1), numa partida em que até começou a perder. A equipa de Pedro Solá entrou no jogo a querer mandar, mas foi a Maceirinha quem chegou ao golo por Picamilho, num remate à entrada da área, após uma desatenção da defesa da casa.
Os homens da casa tentaram reagir, mas em nova distração da defesa da casa quase resultou no 0-2, valendo a rápida reacção de Farruba.
Após dois momentos em que a equipa de Walter Estrela deu um ar da sua graça, a qualidade técnica do meio-campo do Portomosense veio ao de cima e o perigo começou a rondar a baliza visitante. Assim, na sequência de um canto, Testas colocou a bola na área para Rodrigo Rivas assistir Félix Carvalho para o golo do empate.
A partir daí os comandados de Pedro Solá não mais tiraram o pé do acelerador. Ainda antes do golo da reviravolta, Farruba atirou de cabeça ao poste após canto de Cepeda e, pouco depois, Félix Carvalho bisou de cabeça após canto de Caracol.
Félix Carvalho estava endiabrado e podia ter feito mais dois golos. Primeiro Miguel Filipe evitou que o avançado encostasse para o golo e depois foi Hugo Ricardo quem mostrou estar atento entre os postes.
Antes do intervalo, a ADP chegou ao 3-1, uma jogada construída por Rica e Testas, com Rodrigo Rivas a driblar o último defesa para, na cara de Hugo Ricardo, fazer o golo.
A etapa complementar teve um Portomosense a mandar e podia ter aumentado por Afonso, mas Marcelo Gil fez um grande corte para canto.
O golo chegou pouco depois. Rodrigo Rivas em grande velocidade passou por toda a gente e, já no interior da área atirou cruzado. Hugo Ricardo fez uma defesa incompleta e Félix Carvalho, oportuno, fixou o resultado final em 4-1 e completou os eu 'hat-trick'.
Até ao final a Maceirinha ainda tentou reagir, mas a verdade é que foi sempre o Portomosense a equipa mais ameaçadora.
Arbitragem positiva. |

AD Portomosense 4
Makê; Caracol (Pedro Guerreiro, 82’), Carlos Cruz, Farruba, Testas; Elton Cruz (c), Rica, Cepeda (Boris, 64’); Rodrigo Rivas, Afonso Feteiro, Félix Carvalho (Zé Sousa, 74’).
Não jogaram: Caio Moreira, Filipe Carvalho, Vítor Vinhas, Amaro.
Treinador: Pedro Solá.

ACR Maceirinha 1
Hugo Ricardo; Marcelo Gil, Miguel Filipe (c), FP (Miguel Leal, 46’); Trezentos, Luís Franco, Rodrigo Marta, Bertolino (João Rasteiro, 63’); Rafa, Coutinho (Ruben Ramos, 78’), Picamilho. Não jogaram: João Pereira, Ricardo Soares.
Treinador: Walter Estrela.

Estádio Municipal de Porto de Mós
Árbitro: José Agostinho. Assistentes: Marco Marques e Bruno Colaço.
Espectadores: 250. Ao intervalo: 3-1.
Golos: 0-1 Picamilho (7’), 1-1 Félix Carvalho (23’), 2-1 Félix Carvalho (31’), 3-1 Rodrigo Rivas (41’), 4-1 Félix Carvalho (62’).
Disciplina: Amarelo a Miguel Filipe (28’), Luís Franco (30’), Elton Cruz (52’), Cepeda (56’), Carlos Cruz (79’), Miguel Leal (79’), João Rasteiro (90+1’).

Texto: Pedro Sousa - Diário de Leiria
Foto: Fernando José/Arquivo

Bis de Daniel vale vitória na Guia

Dois golos de Daniel valeram ao Vieirense a conquista dos três pontos na Guia, numa vitória convincente da turma de Luciano Silva que se mantêm no lugares cimeiros.
O jogo começou com o Vieirense a ser a equipa mais acutilante, mas sem criar grande perigo para as redes à guarda do experiente Sérgio.
Ao quarto de hora de jogo, Letra ainda assustou com um remate de longe, mas o esférico passou ao lado. Paulatinamente o Guiense foi chegando à baliza do Vieirense e Ruben, com grande intervenção, negou o golo a Tiago Marques que se antecipou à defesa e cabeceou forte.
Ao minuto 33, o Guiense teve uma oportunidade soberana de abrir o marcador numa grande penalidade executada por Joel, mas Ruben adivinhou o lado e defendeu.
Logo de seguida valeu novamente o guardião visitante para defender o remate cruzado de Diogo Gameiro.
O Vieirense reagiu bem aos momentos de maior aflição e conseguiu sacudir a pressão. Botas ainda introduziu a bola na baliza, mas o árbitro considerou que o avançado dominou a bola com a mão e anulou o tento. Pouco depois novamente Botas recebeu bem e rematou de pronto, valendo o corte do central Vítor para evitar o golo.
Já a fechar o primeiro tempo, Daniel inaugurou o marcador num lance em que, lançado em profundidade, surgiu na cara de Sérgio e disparou forte para o fundo das redes.
A segunda parte foi mais pobre em relação ao futebol praticado e poucos foram os momentos dignos de registo. Destaque no entanto para o golo de Daniel, que bisou na partida, numa jogada de insistência em que Cláudio ganhou o ressalto e serviu Daniel, com o avançado a não desperdiçar ao desviar a bola de Sérgio (0-2).
O Guiense ainda tentou reagir, mas o melhor que fez foi de bola parada num livre de Tiago Grilo que Ruben agarrou seguro. Do outro lado também os avançados pareciam pouco inspirados e pouco ou nenhum perigo levaram a baliza caseira.
Até final destaque ainda para uma boa jogada de Joel, mas o remate do atacante da casa saiu frouxo e à figura.
Vitória do Vieirense que não merece contestação que continua assim nos lugares da frente.
Arbitragem globalmente positiva Pedro Menino, não isenta de pequenos erros, mas quando teve de decidir os lances cruciais mostrou-se seguro e assertivo.|

GD Guiense 0
Sérgio (c), Tiago Marques, Vítor, Fábio, Pacheco, Pedro Dias (Riky, 67’), Tiago Grilo, Daniel, André Duarte (Márcio, 80’), Diogo Gameiro (Gato, 85’) e Joel.
Não jogaram: Zé, Ricardo Pedrosa e Diogo Grilo.
Treinador: Mário Artur.

ID Vieirense 2
Rúben, Bruno Ferreira, Freitas, Rúben Fernandes, Daniel, Cláudio, Letra (c), André Cruz (Júlio, 74’), Serginho, Botas (Mini, 85’) e Teles (Rego, 90’).
Não jogaram: Carlos, Rodrigo, Tomás e Coelho.
Treinador: Luciano Silva.

Campo das Cabecinhas, Guia
Árbitro: Pedro Menino. Assistentes: Francisco Ferreira e Eduardo Menino.
Espectadores: 180. Ao intervalo: 0-1.
Golos: 0-1 Daniel (42’), 0-2 Daniel (67’).
Disciplina: Amarelo a Freitas (33’), Botas (45’), Bruno Ferreira (61’), Diogo Gameiro (64’), Teles (70’), Gato (87’), Pacheco (89’), Mini (89’).

Texto e foto: Carlos Pinheiro - Diário de Leiria

Penálti ao cair do pano decide jogo

O Marinhense B recebeu e venceu o GD Atouguiense (2-1), e segue com os mesmos pontos do primeiro classificado, o GD Nazarenos.
Num jogo importante para as contas da subida, o jogo começou calmo, com vários duelos a meio-campo, mas foi a equipa da casa que teve a primeira oportunidade quando Ricardo Carpinteiro isolou-se, mas o chapéu saiu por cima da baliza.
Na resposta, na sequência de um canto, o Atouguiense também não acertou no alvo. Do outro lado, os vidreiros estiveram perto do golo, mas Joca rematou ao lado da baliza.
O jogo manteve-se bem disputado até que, à passagem do minuto 31, o Marinhense chegou ao golo. Edgar encheu o pé fora da área, com a trajectória da bola a ser alterada num defesa visitante, traindo o guarda-redes.
Com o golo, a equipa da casa controlou melhor o jogo e podia ter dilatado quando Joca surgiu isolado, mas desequilibrou-se na altura do remate.
Adivinhava-se uma segunda parte intensa, e assim foi com o Atouguiense a ameaçar o empate mas o remate saiu ao lado. Pouco depois, nova ameaça na sequência de um livre, com Jorge a fazer uma defesa incompleta e, na recarga, a bola passou muito acima da baliza.
Depois da ameaça, o golo chegou mesmo. Na sequência de um lançamento lateral longo, a bola surgiu nos pés de Damião que, sozinho, colocou a bola no fundo das redes.
A cinco minutos do fim, Fábio foi obrigado a fazer uma grande intervenção ao tirar a bola em cima da linha, com Marcos Cabral a falhar por pouco na recarga.
No período de compensação, o árbitro apontou para a marca dos 11 metros por uma mão dentro de área com muitos protestos do Atouguiense, que levaram à expulsão de Ricardo Jorge e Samuel Santos. Na conversão da grande penalidade, Edgar não desperdiçou e bisou.
Arbitragem de bom nível de Jorge Carreira.|

AC Marinhense B 2
Jorge Oliveira, Edgar, Zé Miguel (c) (Filipe Almeida, 85’), Diogo Vieira, João Teles (Miguel Inácio, 78’), Marco Azenha, Ricardo Carpinteiro (Marcos Cabral, 68’), Nélson Marques, Douglas Takeda, Vitor Duarte, João Carlos.
Não jogaram: David Santos, Rafael Flor, Filipe Gonçalves, João Sousa.
Treinador: Vitor Duarte.

GD Atouguiense 1
Fábio Martins, António Vala, Bruno Silva, André Santos, Rui Pereira, Paulo Franco, Ricardo Jorge, Raul Lino, Samuel Santos, Damião Marques (Rúben Filipe, 83’), Thasys Santos (Pedro Marques, 78’).
Não jogaram: Fábio Ferreira, Bruno Costa, Rodrigo Silva, Luís Gonzaga.
Treinador: Ricardo Leal.

Campo da Portela, Marinha Grande
Árbitro: Jorge Carreira. Assistentes: Tomé Pires e Gonçalo Gomes.
Espectadores: 100. Ao intervalo: 1-0.
Golos: 1-0 Edgar (31’), 1-1 Damião Marques (67’), 2-1 Edgar (90’, p.).
Disciplina: Amarelo a Nélson Marques (12’), Edgar (19’), António Vala (25’), Samuel Santos (37’ e 90+2'). Vermelho directo a Ricardo Jorge (90+2’).

Texto e foto: André Lucas - Diário de Leiria

Caldas goleia Marrazes e ‘voa’ para o título

Num jogo entre os dois primeiros classificados, o Caldas mostrou por que é o mais sério candidato ao título ao golear o SCL Marrazes por 4-2, num jogo em que a turma de Vasco Silva foi sempre superior.
O jogo começou demasiado morno, mas teve dois golos madrugadores que pareceram caídos do céu. Primeiro, Miguel Cunha, com um remate colocado à entrada da área, deu vantagem aos caldenses. Dois minutos depois, respondeu o Marrazes igualmente com eficácia máxima, com Gustavo a corresponder de cabeça a um cruzamento (1-1).
O jogo voltou a entrar numa toada desinteressante até que, na sequência de um canto, o Caldas colocou-se novamente em vantagem com o cabeceamento de Miguel Cunha a tabelar ainda num defesa contrária e a anichar-se no fundo das redes.
Já perto do intervalo, o Caldas voltou a marcar após uma perda de bola do meio-campo da casa, com os visitantes, em transição, a fazerem o 1-3, com Miguel Cunha a aproveitar a passividade dos centrais para desviar para o golo.
Na segunda parte a primeira grande oportunidade pertenceu ao Caldas, na sequência de um canto, mas a bola andou a pairar perto da linha de golo sem que ninguém conseguisse empurrar para o fundo das redes.
A meio da segunda parte, o Caldas, novamente de bola parada, esteve perto de marcar, mas o livre embateu na barra e Guilherme Lourenço falhou a recarga quando tinha tudo para fazer o golo. Se não foi à primeira foi à segunda. Também de livre directo, Miguel Cunha atirou ao poste, mas a bola ganhou efeito acabando por entrar na baliza marrazense, com Miguel Cunha a completar o seu 'póker'. |

SCL Marrazes 1
Diogo Martins, Francisco Baptista, Marco Soares (Jean Carlo, 81'), Eduardo Sousa, Diogo Carvalho, Khalid Kalda (Diogo Máximo, 81'), Bernardo Silva, Simão Coteiro (c), Ivan Pereira, André Matias (Serginho, 65'), Gustavo Dinis. Não jogaram: Nuno Jorge, João Botas, Telmo Quintal, Sandro Belo.
Treinador: Bruno Ramusga.

Caldas SC 4
Guilherme Querido, David Sil, Duarte Coito (c), Guilherme Lourenço, Júlio Sousa (Cota, 85'), David Santos, Rafael Roque (Pedro Lucas, 77'), Matheus, Miguel Cunha (Rodrigo Fernandes, 85'), Afonso Ramos (João Alves, 77'), Diogo Fiandeiro. Não jogaram: Hugo Antunes, Marcus Luis, Herlyson.
Treinador: Vasco Silva.

Campo Aldeia do Desporto, em Marrazes
Árbitro: Paulo Encarnação. Assistentes: Gil Pires e Fábio Santos.
Ao intervalo: 1-3. Espectadores: 300.
Golos: 0-1 Miguel Cunha (9'), 1-1 Gustavo Dinis (11'), 1-2 Miguel Cunha (27'), 1-3 Miguel Cunha (43').
Disciplina: Amarelo a Miguel Cunha (37'), Khalid Kalda (67'), Duarte Coito (69'), Marco Soares (72'), Gustavo Dinis (86' e 89'). Ordem de expulsão para o treinador Bruno Ramusga (int.).

Texto e foto: José Roque - Diário de Leiria

UD Leiria vence clássico polémico na Marinha

A UD Leiria B venceu o AC Marinhense por 0-3, num jogo que contou com mais uma arbitragem polémica de Gonçalo Carreira. Frente a frente estavam o segundo e o terceiro classificados da prova, num jogo que se adivinhava bem disputado e que acabou por o ser.
A partida começou bastante equilibrada, mas a UD leiria deixou o primeiro aviso com um grande remate de Guilherme Norte a permitir uma grande defesa a Rodrigo Lima. Pouco depois, o mesmo guarda-redes entregou a bola ao adversário, mas Guilherme Norte rematou para defesa de Rodrigo.
De seguida, a UD Leiria voltou a ameaçar em novo duelo entre Norte e Rodrigo Lima, com o guardião da casa a superiorizar-se. Depois das ameaças, o golo chegou mesmo. Na sequência de um canto, Gabriel Martins saltou mais alto e cabeceou para o golo.
As equipas foram para o intervalo com um 0-1 que se justificava pelas melhores oportunidades por parte da UD Leiria. A segunda parte prometia ser intensa com os vidreiros a quererem ser superiores e foi isso que aconteceu, a espaços.
À passagem do minuto 51, o Marinhense criou perigo quando José Batista cruzou rasteiro para o remate ao poste de Leal. Dois minutos depois, Matos cabeceou para grande defesa de João Costa.
Como quem não marca sofre, a UD Leiria chegou ao golo na melhor fase dos alvinegros: contra-ataque rápido e Rodrigo Pedrosa, com um remate cruzado, a fazer o 2-0.
Volvidos seis minutos, a equipa orientada por Diogo D'Aprile sentenciou a partida, numa jogada que motivou muitos protestos no Campo da Portela. Após um canto ofensivo do Marinhense, a bola foi afastada da área com Rodrigo a ficar no chão depois de levar um pontapé na boca de Rafael Marcelino. O pontapé lascou um dente e o aparelho cortou-lhe a gengiva, mas o árbitro não achou que havia motivo para paragem e mandou prosseguir a jogada, que terminou com um cruzamento do lado esquerdo com Grama a cabecear para o fundo das redes alvinegras e a estabelecer o resultado final.
O jogo esteve ainda parado durante largos minutos, após Gonçalo Carreira ter pedido aos elementos da PSP presentes para identificar dois adeptos por motivos que ninguém conseguiu perceber.
O resultado manteve-se até ao final da partida, terminando com uma vitória justa da UD Leiria, num jogo que tudo tinha para ser um bonito espectáculo, não fosse mais uma exibição desastrosa de Gonçalo Carreira.|

AC Marinhense 0
Rodrigo Lima, Flávio Pedrosa, João Caçador, Pedro Alexandre (Tomás Cordeiro, 40'), Bruno Esteves, Rodrigo Matias (Luís Carrasqueiro, 63'), José Baptista, Francisco Leal, João Carlos (Diogo Domingues, 63'), Tiago Nunes (André Frias, 40'), André Matos.
Treinador: Diogo Valente.

UD Leiria ‘B’ 3
João Costa, Artur (João Caetano, 73'), Francisco Grama, Gabriel Martins, Rafael, João Marques (José Rodrigues, 57'), Pedro Cruz, João Sousa, Rodrigo Pedrosa (Daniel Reis, 73'), Rúben (João Polaco, 57'), Guilherme Norte (Gabriel Dantas, 73'). Não jogaram: Rúben Silva, Bruno Miroto.
Treinador: Diogo D’Aprile.

Campo da Portela, Marinha Grande
Árbitro: Gonçalo Carreira. Assistentes: Fábio Monteiro e Bruno Colaço.
Ao intervalo: 0-1. Espectadores: 150.
Golos: 0-1 Gabriel Martins (40’), 0-2 Rodrigo Pedrosa (54’), 0-3 Francisco Grama (61’)
Disciplina: Amarelo a Pedro Alexandre (33’).

Texto e foto: André Lucas - Diário de Leiria

GRAP supera teste em Pombal e mostra que é candidato

Num jogo entre o segundo e o terceiro classificados, o GRAP mostrou ser superior ao vencer por 0-2, num jogo em que a turma dos Pousos dispôs das melhores oportunidades.
O GRAP começou o jogo a todo o vapor criando desde logo apuros na área contrária. Num desses lances, Alexandre Cruz, com a baliza deserta, atirou ao lado.
Depois de um início forte dos homens dos Pousos, o SC Pombal conseguiu equilibrar, mas só perto do intervalo é que criou perigo quando Guilherme aproveitou um corte defeituoso de Migas para rematar para boa defesa de Mocheco.
Na segunda parte voltou a entrar melhor o GRAP com Vieirinha a proporcionar uma grande defesa a Rodolfo na cobrança de um livre. Na resposta, o Pombal também criou perigo num lance em que Mocheco socou a bola que sobrou para Guilherme que rematou por cima quando podia ter feito melhor.
Ao minuto 60, o GRAP chegou ao golo após um cruzamento de Cristiano, com Dany a rematar para defesa de Rodolfo, mas, na recarga, Dany não perdoou e colocou os visitantes em vantagem.
O golo animou os homens dos Pousos que não tiraram o pé do acelerador e continuaram a dispôr das melhores ocasiões. Numa delas, Cédric cabeceou para grande defesa de Rodolfo. O Pombal tentou arriscar mais em termos ofensivos, e o GRAP aproveitava para semear o pânico na área contrária. Exemplo disso mesmo foi quando Cédric, isolado, fez o chapéu a Rodolfo, mas a bola saiu por cima da trave.
Já no período de compensação, o GRAP sentenciou a partida na sequência de um canto, em que Caio fez um passe atrasado para Rodrigo atirar a contar na zona de penálti.
Arbitragem com alguns erros de Joana Rodrigues, mas globalmente positiva. |

SC Pombal 0
Rodolfo, Tião, Miguel Cá (André, 8'), Leo, Paulito, Vicente, Rafa, António, Gilles, Camará (Figo, 75'), Guilherme (Airton, 69').
Não jogaram: Luís, Cardoso, Dedé, Thales.
Treinador: Fernando Mateus.

GRAP 2
Mocheco, Migas, Lomba, Fábio Martins, Lucas, Caio Prado, Fábio Pedro (Mbala, 90+3'), Alexandre Cruz (Cristiano, 45'), Dany (Rodrigo, 86'), Vieirinha, Cédric.
Não jogaram: Renato, Mantorras, Beny, Diogo.
Treinador: Carlos Ribeiro.

Estádio Municipal de Pombal
Árbitro: Joana Rodrigues. Assistentes: Paulo Leitão e Rodrigo Reis.
Ao intervalo: 0-0.
Golos: 0-1 Dany (60'), 0-2 Rodrigo (90+4').
Disciplina: Amarelo a António (20'), Fábio Pedro (33'), Fábio Martins (76'), Paulito (78'), Vieirinha (84').

Texto e foto: Luís Conceição - Diário de Leiria

terça-feira, fevereiro 19, 2019

Vitória alvinegra só peca por escassa

O Marinhense venceu o Alqueidão da Serra por 2-1, num jogo em que os vidreiros demonstraram bom futebol, criando várias oportunidades de perigo, falhando apenas na concretização, ficando a dever a si próprio um resultado mais volumo­so. Começaram melhor os alvinegros que cedo chegaram ao golo. Após cruzamento na esquerda, a bola sobrou para Rúben Martins que, ‘à bomba’ atirou a contar e inaugurou o marcador.
Os homens da casa não tiravam o pé do acelerador e podiam ter feito o 2-0 por João Paulo, com Zé Pedro a cruzar e o capitão dos alvinegros a atirar por cima. Fred Machado, pouco tempo depois, também tentou a sua sorte, mas Ângelo, com um grande voo, evitou males maiores para a sua equipa. Só que o golo acabaria mesmo por chegar, desta vez por Rúben Coelho. Grande lance individual de João Paulo, que ganhou a linha lateral, cruzou para o interior da área onde estava Rúben Coelho, no sítio certo, para desviar para o fundo das redes (2-0).
O jogo adivinhava-se fácil e tranquilo, e o Marinhense podia ter mesmo chegado ao 3-0 antes do intervalo, com uma recuperação de Rúben Coelho após perda de bola de Tiago Cerejo, mas Ângelo emendou o erro do colega. Quando tudo parecia controlado, já perto do intervalo, na sequência de quatro cantos seguidos, o Alqueidão da Serra chegou ao golo com Vazão a subir ao último andar e a dar esperança ao conjunto da serra, que foi para o intervalo em desvantagem por 2-1. A segunda parte prometia um jogo intenso, mas o Marinhense soube controlar os espaços e a posse de bola, criando as melhores oportunidades. Zé Ricardo esteve perto, de cabeça, de aumentar a vantagem dos alvinegros e João Guerra, no minuto seguinte, foi obrigado a uma grande defesa, após remate de Vasco Gonçalves.
O Marinhense somava oportunidades, com Rúben Martins a tentar duplamente emendar em golo, mas a ter pela frente um Ângelo inspirado, que carimbou uma grande exibição. Logo de seguida, o mesmo Rúben Martins atirou de cabeça ao lado. Fred Machado, de livre, e André Sousa com um remate de longa distância, também criaram perigo, mas não conseguiram o desfecho desejado.
Arbitragem de bom nível e sem erros de Diogo Oliveira.|

AC Marinhense 2
João Guerra, Fred, Luís Oliveira, Zé Ricardo, Zé Pedro, Pedro Rodrigues, André Sousa, Pedro Faustino (Bernardo Lopes, 78’), Rúben Coelho, Rúben Martins, João Paulo (c) (Marcos Santos, 87’). Não jogaram: Hugo Pinheiro, John Abraham, Fábio Silva, Pedro Emanuel, Tozé.
Treinador: Marco Aurélio.

CCR Alqueidão da serra 1
Ângelo, Sérgio Neves, David Marques, Tiago Cerejo, João Videira, Nuno Colaço (Vasco Pontes, 66’), Telmo Vazão (c) (João Costa, 80’), Leandro Gaspar (Ciro Costa, 88’), Rudy, Dady, Vasco Gonçalves. Não jogaram: André Tavares, João Matos, André Carreira, Marco Monteiro.
Treinador: Filipe Faria.

Campo da Portela, Marinha Grande
Árbitro: Diogo Oliveira. Assistentes: Rodrigo Luís e João Dias.
Espectadores: 230. Ao intervalo: 2-1.
Golos: 1-0 Rúben Martins (3’), 2-0 Rúben Coelho (35’), 2-1 Vazão (45’).
Disciplina: Amarelo a Rúben Martins (40’), Vazão (47’), Rúben Coelho (72’), João Guerra (90+2’).

Texto e foto: André Lucas - Diário de Leiria

Hugo Almeida decide dérbi ‘morno’

A UD Leiria B ultrapassou o GRAP na tabela classificativa ao vencer nos Pousos por 0-1, num jogo em que os unionistas foram superiores, nomeadamente ao nível táctico, promovendo a superioridade no meio-campo, o que acabou por ser determinante.
Num jogo até então sem reais oportunidades de golo e com muito equilíbrio, aos 24', numa transição rápida, a UD Leiria B chegou ao golo quando Hugo Almeida executou um chapéu perfeito a Dani que acabou por ficar mal na fotografia já que não devia ter saído da baliza.
O GRAP sentiu muito o golo sofrido pelo que a UD Leiria dominou a seu belo prazer até ao intervalo.
Na segunda parte o GRAP quis entrar no jogo com outra atitude, mas foi a UD Leiria quem criou perigo novamente numa transição rápida, em que Francisco Ferreira rematou pouco ao lado do poste.
Na resposta foi Miguel Gomes que, em boa posição, rematou para defesa apertada de Danilo. O GRAP animou-se com este lance e podia ter chegado ao empate quando Jota surgiu isolado, mas o remate saiu à figura do guardião leiriense.
Quando a equipa da casa começava a apertar o cerco, eis que o GRAP sofre um duro revés quando Afonso viu o segundo amarelo e deixou a sua equipa em inferioridade.
Até ao final, o golo podia ter surgido em qualquer uma das balizas, mas a UD Leiria pareceu ter sempre o jogo controlado.
Arbitragem positiva de Bru­no Colaço. |

GRAP 0
Dani, Simão (Bernardo, 63'), Afonso, Miguel Gonçalves, Henrique, Miguel Gomes (c), Duarte, Fandango (Cordeiro, int.), Correia (Lopes, int.), Kiko (To-más Pereira, int.), Jota.
Não jogaram: Tomás Silva, Rebelo, Rodrigo Castro.
Treinador: Gonçalo Filipe.

UD Leiria 'B' 1
Danilo, Dinis Silva, André, Simão, Ivan (Gonçalo, 69'), Rodrigo (Hugo Miguel, 62'), Tiago Borges (Diogo Oliveira, int.), Tomás Faria (Simão Meca, 62'), Martim (Simão Lopes, 62'), Francisco Ferreira, Hugo Almeida.
Não jogaram: Dinis Pereira, Guilherme Franco.
Treinador: José Horta.

Campo da Charneca, nos Pousos
Árbitro: Bruno Colaço. 
Assistentes: Marco Marques e José Agostinho.
Ao intervalo: 0-1. 
Espectadores: 180.
Golos: 0-1 Hugo Almeida (24').
Disciplina: Amarelo a Dani (45'), Afonso (45' e 59'), Hugo Almeida (68'), André (70+2').

Texto: José Roque - Diário de Leiria
Foto: Rik Marlen

domingo, fevereiro 17, 2019

Resultados de 17 de Fevereiro de 2019

Divisão de Honra
AC Marinhense 2 - CCR Alqueidão da Serra 1
GDR Boavista 0 - GD Pelariga 0
UR Mirense 1 - SCL Marrazes 1
SC Pombal 0 - GRAP 2
CC Ansião 4 - AD Figueiró dos Vinhos 1
GD Guiense 0 - ID Vieirense 2
AD Portomosense 4 - ACR Maceirinha 1
---
1ªDistrital/Norte
GD Alvaiázere 2 - GAU/Bajouca 3
Chão de Couce 1 - ARCUDA 3
---
1ªDistrital/Sul
GD Nazarenos 5 - GD Peso 1
SCE Bombarralense 2 - GDRC Unidos 1
AR Meirinhas 0 - Motor Clube 1
GDR Bidoeirense 3 - Biblioteca 0
GD Santo Amaro 2 - UD Serra 8

sexta-feira, fevereiro 15, 2019

Dário Marquês (Beneditense) pendura as chuteiras para se dedicar ao kickboxing

Foi um dos jogadores mais prodigiosos a pisar os relvados do distrito, contudo as amarguras do futebol fizeram-no afastar-se desse mundo e abraçar de alma e coração o kickboxing/K1. Uma paixão recente, mas que veio para ficar.
Falamos de Dário Marquês, um dos jogadores mais reputados do futebol distrital em Leiria e que dividiu a sua formação entre o Sporting CP, o NS Rio Maior e a UD Leiria.
Como sénior, envergou as camisolas do GC Alcobaça, do Caldas SC, da UD Leiria, do Alcanenense e do clube da sua terra, o Beneditense. Apesar de todas estas experiências, nunca conseguiu cumprir o sonho de sempre: ser profissional de futebol.
Foi numa altura em que o futebol já não despertava a mesma paixão de sempre que Dário Marquês foi abordado - há um ano e meio - por um 'mestre' para experimentar o kickboxing. Fê-lo na Escola Kickboxing Fernando Paulo, instituição que tem sede na Nazaré, contando ainda com mais três escolas, duas em Leiria e uma na Benedita, e desde aí que nunca mais parou ao ponto de ter que deixar de lado o futebol.
“Não vou jogar mais. Coloquei um ponto final no futebol porque não está a ser compatível com o kickboxing”, disse o atleta que completou recentemente 27 anos e que fez o seu último jogo de futebol no passado dia 13 de Janeiro, numa partida entre o 'seu' Beneditense e o Alqueidão da Serra, despedindo-se então dos relvados com uma vitória por 4-2. Apesar de ter pendurado as chuteiras de futebol, Dário Marquês não fecha totalmente as portas a um possível regresso, mas a verdade é que as suas atenções estão agora inteiramente dedicadas às artes marciais.

E tudo o kickboxing mudou
“Nunca tinha visto isto [kickboxing] na minha vida e agora está a tomar proporções que não poderia imaginar”, contou Dário Marquês, orgulhoso do seu trajecto na modalidade. É que em apenas um ano e meio tornou-se campeão regional (-74 kg), ficou em terceiro lugar no campeonato nacional e venceu ainda um torneio em Espanha de 'low kick'. Uma ascensão meteórica que faz com que ‘chova' convites para participar em diversas galas.
Ainda assim, Dário Marquês é apenas um lutador amador e não lhe passa pela cabeça ser profissional. “Não penso nisso. O objectivo é levar as coisas treino a treino e combate a combate”, disse.
Mas afinal o que mudou na vida de Dário Marquês? A resposta é simples: tudo! “Dantes saía à noite, não tinha grandes cuidados, mas agora abdico de muita coisa”, disse, dando como exemplos as horas de descanso e a alimentação cuidada como factores principais de mudança. Acima de tudo, o jovem de 27 anos apaixonou-se por uma modalidade em que as palavras de ordem são “respeito, rigor e disciplina”, sendo igualmente um desporto em que impera o “fair-play”.
Os primeiros tempos no kickboxing não foram fáceis para Dário Marques. Aos primeiros murros e pontapés encaixados tudo se equaciona. “O corpo não foi feito para levar pancada e passa-nos tudo pela cabeça. Contudo, comecei a pensar que, se apanhava, é porque tinha que aprender mais, aprender a defender-me”, contou.
Assim, o futuro na modalidade está em aberto para Dário Marquês que tem vários projectos para realizar a curto prazo. Desde logo com a participação no dia 26 de Fevereiro no Irish Open, na Irlanda, num dos maiores torneios do mundo de kickboxing, passando pelo campeonato regional (Março), um torneio na Madeira (Abril) e na República Checa (Outubro). Pelo meio, em Maio, o jovem da Benedita vai à Tailândia experimentar e treinar Muay Thai. Todo um mundo novo para quem pendurou as chuteiras para calçar as luvas.

Texto: José Roque - Diário de Leiria

quinta-feira, fevereiro 14, 2019

João Lopes (Juniores AD Figueiró dos Vinhos) suspenso preventivamente

Seniores
1 jogo: André Lourenço (ID Vieirense), Rabi (SC Pombal), Francisco Silva (GD Santo Amaro)
2 jogos: Diogo Almeida (AD Figueiró dos Vinhos), Arlindo Ferreira (Caseirinhos), Mickael Soares (UD Serra)
3 jogos: José Évora (GD Vidreiros)
Suspensões: Fernando Gonçalves e Américo Almeida (AD Figueiró dos Vinhos / 8 dias), Jorge Machado (AC Avelarense / 8 dias), Vítor Duarte (AC Marinhense B / 20 dias)
Multas: Fernando Gonçalves e Américo Almeida (AD Figueiró dos Vinhos / 10 €), Jorge Machado (AC Avelarense / 10 €), GD "Os Nazarenos" (10 €), GD Vidreiros (30 €), Vítor Duarte (AC Marinhense B / 30 €)
Diversos: AD Figueiró dos Vinhos (Esclarecimento referente ao jogo frente à AD Portomosense)

Juniores
1 jogo: Simão Lopes (GD Pelariga), João Mota (AC Carnide), Alexsandro Oliveira e Eugénio Costa (GD Vidreiros)
2 jogos: Laurentiu Chitanu (AC Marinhense B), Francisco Ricardo (GD Nazarenos)
3 Jogos: Francisco Duarte (Biblioteca)
4 jogos: Leandro Pereira (SL Marinha)
Suspensões: Edgar Jacinto (ACR Maceirinha / 15 dias)
Multas: Edgar Jacinto (ACR Maceirinha / 10 €)
Diversos: João Lopes (AD Figueiró dos Vinhos / Processo Disciplinar - Suspensão Preventiva), AD Figueiró dos Vinhos (Processo Disciplinar), Recreio Pedroguense (Derrota, Subtracção de três pontos e Multa de 50 €, referente ao jogo frente à UD Serra do Torneio de Abertura)

Juvenis
1 jogo: João Rodrigues (GD Peniche), Bruno Medeiros (UD Batalha)
2 jogos: Rui Francisco (AC Avelarense), Francisco Mendes e Ricardo Carrilho (AC Marinhense B), Diogo Bernardino (SCE Bombarralense)
Suspensões: Sílvio Gonçalves (GD Guiense / 8 dias), Ricardo Silva (SCL Marrazes / 8 dias)
Multas: Sílvio Gonçalves (GD Guiense / 5 €), Ricardo Silva (SCL Marrazes / 5 €)
Diversos: AC Marinhense B (Derrota e Multa de 50 €, referente ao jogo frente à Academia CCMI), SCE Bombarralense (Derrota e Multa de 50 €, referente ao jogo frente ao GD Atouguiense)

Iniciados
1 jogo: João Oliveira (AC Marinhense)
Multas: AD Portomosense (60 €), GD Nazarenos (60 €)

Imperou a lei do mais forte na Benedita

O Beneditense perdeu (1-3), em casa, no passado domingo, com o líder Marinhense, que vinha da primeira derrota da época frente ao GRAP, e que tentava o regresso às vitórias no campeonato, algo que acabou por conseguir de forma justa e tranquila.
Começou melhor a equipa alvinegra, que desde cedo tomou conta do jogo, e avisou logo no primeiro minuto as suas intenções, com um remate de Bernardo Lopes a sair ao lado da baliza de Giroto.
O Beneditense podia ter chegado também ao golo pouco tempo depois, de bola parada, com Luis Paixão a responder a um livre na esquerda do ataque, mas a bola saiu ao lado da baliza de João Guerra.
Os visitantes eram, ainda assim, os mais perigosos e deixaram o aviso por várias vezes. Primeiramente por Rúben Coelho que, de cabeça, atirou ao lado, e depois por Rúben Martins que por pouco não fez o primeiro da tarde.
Mas o golo chegaria mesmo à passagem do minuto 15, de livre directo, após falta sobre João Paulo que seguia isolado para a baliza de Giroto. Pedro Faustino assumiu a marcação e, com um arco perfeito, atirou para o fundo das redes caseiras.
Pouco depois seria a vez de Rúben Martins mexer com o marcador. Grande lance individual de Pedro Faustino, cruzamento milimétrico para o coração da área e Rúben Martins a finalizar de cabeça para o 2-0, resultado que se iria manter até ao intervalo.
Ainda antes do descanso, o mesmo Rúben Martins viu um golo ser-lhe tirado em cima da linha por um defesa canarinho.
Na segunda parte, a toada do jogo manteve-se, com um Beneditense recuado e um Marinhense controlador. Rúben Martins, à passagem do minuto 47, podia ter dilatado a vantagem de cabeça e, 10 minutos depois, Bernardo Lopes, com um remate potente, esteve perto também de marcar, mas viu a bola ser desviada na barreira defensiva do Beneditense.
Depois das ameaças, o golo chegaria mesmo pelo capitão João Paulo, que respondeu da melhor forma a um cruzamento de Zé Pedro.
O Beneditense, pouco depois de ter sofrido o 3-0, chegou ao golo de honra, por Rafael Ramalho após um corte deficiente da defensiva marinhense, com um atraso a ser apanhado por Rafael Ramalho e o mesmo, oportuno e apenas com um toque, a colocar o esférico por cima de João Guerra e a abrir novamente a disputa da partida.
O golo mexeu com o jogo, mas a verdade é que o Beneditense não mais criou perigo. Foi aliás o Marinhense que esteve perto do golo por Zé Pedro, aos 73 minutos, com um remate ao lado. Pouco depois, Rúben Coelho, por duas vezes, obrigou Giroto às duas defesas da tarde, que podiam facilmente ter dilatado a vantagem, o que se justificava pelo o que o Marinhense produziu.
Arbitragem positiva e tranquila de Leandro Pereira.|

Beneditense 1
Fábio Giroto, David Agostinho, Diogo Lopes, Miguel Peralta, Lucas Grilo (Guilherme Lopes, 85'), Marcelo Marques, João Noite, Diogo Fialho, Miguel Guerra (Rafael Ferreira, 70'), Luís Paixão (Rafael Ramalho, 50'), João Amaro.
Não jogaram: Bernardo, Sandro Belo, Codinha, Pedro.
Treinador: Rui Agostinho.

AC Marinhense 3
João Guerra, Fred Machado, Pedro Rodrigues, Zé Ricardo. Zé Pedro, André Sousa, Bernardo Lopes, Pedro Faustino (Marcos Santos, 90’), Rúben Coelho, Rúben Martins (Fábio Silva, 80’), João Paulo.
Não jogaram: Hugo Pinheiro, Diogo Vieira, Tozé, Luís Oliveira, John.
Treinador: Marco Aurélio.

Parque de Jogos Fonte da Senhora, na Benedita
Árbitro: Leandro Pereira. Assistentes: Bruno Lopes e Hugo Pradiante.
Ao intervalo: 0-2. Espectadores: 210.
Golos: 0-1 Pedro Faustino (17’), 0-2 Rúben Martins (39’), 0-3 João Paulo (63’), 1-3 Rafael Ramalho (69').
Disciplina: Amarelo a João Amaro (15'), André Sousa (64'), João Noite (65'), Rúben Coelho (77').

Texto e foto: André Lucas - Diário de Leiria

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Wook