Booking.com

quarta-feira, fevereiro 21, 2018

EAS vence SL Marinha e soma vitórias sem sofrer golos

Campo da Ordem, na Marinha Grande
Árbitro: David Domingos (A.F. Leiria)
Auxiliares: Pedro Pereira e Pedro Narciso.
Espectadores: 210
Sport Lisboa e Marinha 0 
Marco Freitas, Rui Muchenga, Bruno Duarte, Hugo Santos, João Ferreira (c), Eloi (Dani 70'), Tomás Freire, João Magalhães, Edgar Domingues, Fred e Manu (Luís Pinto 65').  
Não jogaram: João Gomes.
Treinador: Nélio Silva
.
EAS Marinha Grande 3 
Paulo Cerva, Paulo Silva, Gonçalo Vicente (c), Marcelo Gil (João Tavares 80'), Rafael Flor (José Luís 80'), Gui Serrão, Vitorino (Ivo Silvério 80'), André Limpinho (Marcos Cabral 60'), Rafael Teixeira, João Coutinho e Pedro Rodrigues. 
Treinador: Joaquim Trindade
.
Ao intervalo: 0-1
Golos: 0-1 Vitorino (17'); 0-2 João Coutinho (67'); 0-3 Vitorino (76'). 
Disciplina: Cartão Amarelo a João Ferreira (13’), André Limpinho (58’). Cartão Vermelho a Edgar Domingues (45').
.
Com um baixo grau de dificuldade, é como se pode resumir a superioridade da Academia do Sporting nesta corrida estratégica na perseguição do Caldas e do Marinhense, frente a um Sport Lisboa e Marinha que até iniciou a partida com dinâmica mas que baqueou por completo mal sofreu o primeiro golo.
O golpe anímico, com reflexos profundos no comportamento dos jogadores de Nélio Silva, surgiu na pasagem do quarto de hora de jogo. Pedro Rodrigues furou pela esquerda e serviu Vitorino que, livre de marcação, desviou para o fundo da baliza de Marco Freitas. (0-1)
Depois de uma primeira parte em que a ameaça do S L Marinha só surgiu através de lances  bolas paradas, a expulsão de Edgar Domingues condicionou ainda mais a tarefa da sua equipa.
Se a primeira parte do S L M esteve abaixo do futebol praticado nos últimos jogos, a capacidade verde e branca em recuperar a bola através da sua habitual pressão alta condicionou o desenvolvimento do futebol do adversário. Foi desta forma que, ao meio da segunda parte, o S L Marinha viu Vitorino trabalhar o esférico na direita e a assistir irrepreensivelmente João Coutinho que ampliou o resultado (0-2). 






A turma do Marinha nunca baixou os braços e, nesta fase, o capitão João Ferreira e o incansável João Magalhães eram os jogadores mais inconformados contudo, empolgados pela sua melhor série de vitórias na prova e suportados pela linha defensiva que há mais tempo não sofre golos no campeonato, os pupilos de Joaquim Trindade selaram a vitória no encontro através de Vitorino, que bisou, na sequência de um livre cobrado por João Coutinho. (0-3)
O trio de arbitragem efectuou um bom trabalho, sem influencia no resultado, manchado no entanto por uma grande penalidade que ficou por assinalar.    

Texto e vídeo: Paulo Daniel
Foto: Carla Major

Sem comentários:

Enviar um comentário

Pense duas vezes antes de comentar.
Moderação e bom senso é o que se pede!
Difamações e picardias valerá apena?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Wook